GRCS

Mostrando itens por marcador: engenharia unida

Os engenheiros do estado de São Paulo participaram da 73ª Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia (Soea), ocorrida em Foz do Iguaçu (PR), entre os dias 29 de agosto a 1º de setembro, por meio de sua federação, a Federação Nacional dos Engenheiros (FNE). O presidente do SEESP, Murilo Pinheiro, destaca em sua coluna No Ponto, veiculada no JE na TV, o debate durante o evento sobre as mudanças necessárias para a Engenharia brasileira e para que o País volte ao caminho do desenvolvimento sustentável.

Pinheiro, também presidente da FNE, proferiu, na manhã de quinta (1º/9), a palestra magna “Engenharia Unida”. A mesa foi coordenada pelo presidente do Conselho Regional do Estado de Goiás (Crea-GO), Francisco Antônio Silva de Almeida.

"A engenharia unida é, sem duvida nenhuma, a nossa maior luta. É a luta da nossa federação dos nossos engenheiros, dos nossos sindicatos pode ser um fator preponderante para um caminho para o desenvolvimento e crescimento do País", diz o dirigente, frisando a importância da união da categoria.


Confira a íntegra do Podcast abaixo. Outros áudios estão disponíveis neste link.





Comunicação SEESP
Editado por Pedro Henrique Souza Santana




Na 73ª Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia (Soea), cuja tônica é o esforço dos profissionais para ajudar o País a voltar ao caminho do desenvolvimento sustentável, o presidente da FNE, Murilo Pinheiro, na manhã desta quinta-feira (1º/09), proferiu a palestra magna “Engenharia Unida”. A mesa foi coordenada pelo presidente do Conselho Regional do Estado de Goiás (Crea-GO), Francisco Antônio Silva de Almeida.


Foto: Rita Casaro
Murilo Soea palestra editada 
Murilo Pinheiro, em palestra magna na 73ª Soea, ressalta a unidade aos profissionais  em prol do País.
 

Na sua apresentação, Pinheiro falou sobre a importância da unidade da categoria para contribuir com o País, mencionando o projeto “Cresce Brasil + Engenharia + Desenvolvimento” – que na edição deste ano trata das cidades brasileiras – e o Instituto Superior de Inovação e Tecnologia (Isitec), como exemplos de contribuição da entidade à população brasileira.

O dirigente salientou a necessidade da coalizão de forças para a apresentação de propostas para a retomada do crescimento. Para ele, o momento é de unidade para enfrentar as ameaças que estão na pauta, como as reformas trabalhista, sindical e da Previdência Social. "Se não estivermos unidos, o trator passará por cima”, alertou.

O evento, cujo tema é “A engenharia a favor do Brasil: mudanças e oportunidades”, está sendo realizado em Foz do Iguaçu (PR), em conjunto com a terceira edição do Congresso Técnico Científico da Engenharia e da Agronomia (Contecc). Na sequência, será realizado o 9º Congresso Nacional de Profissionais (CNP), nos dias 2 e 3 de setembro.

Confira mais fotos do evento aqui.

 


Rosângela Ribeiro Gil
Comunicação SEESP
Com informações e fotos de Rita Casaro








Tadeu Soea dentroEm seu pronunciamento na solenidade de abertura da 73ª Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia (Soea), na noite desta segunda-feira (29/08), em Foz do Iguaçu (PR), o presidente do Conselho Nacional de Engenharia e Agronomia (Confea), José Tadeu da Silva [foto ao lado], exortou os profissionais presentes a serem protagonistas de uma grande mudança no País, ajudando a promover o progresso com sustentabilidade. Ao mesmo tempo, ele criticou os problemas enfrentados na área de infraestrutura, dizendo que, segundo dados do Senado Federal, mais de 30 mil obras estão paradas ou inacabadas. “Gastou-se muito dinheiro e as obras não foram concluídas para atender à sociedade brasileira”, lamentou.

Segundo ele, a fiscalização dessa situação é uma questão prioritária do Sistema e dos 27 conselhos regionais (Creas) que estão espalhados pelo território nacional. “A má gestão dos recursos públicos não tem nada a ver com os nossos profissionais, porque o poder de decisão não está em nossas mãos”, salientou, acrescentando que tal regime é diferente em outros países, “onde 70% das decisões são tomadas pelo pessoal da engenharia”.

Crise e oportunidade
Apesar da situação envolvendo o poder público e o setor privado em casos de corrupção, problemas na indústria e no comércio e o aumento do desemprego, relacionou, para o presidente do Confea o momento também enseja mudanças e oportunidades. “Precisamos de mudanças para vencer a crise. Transformar em propostas, com planejamento, projeto e execução adequados, para a retomada do crescimento e geração de oportunidades para toda a população brasileira. A engenharia e a agronomia são molas propulsoras dessa transformação.”

Ele finalizou ressaltando que as áreas tecnológicas sabem transformar recursos naturais para melhorar a qualidade de vida de todos. “A engenharia e agronomia sempre estiveram a favor do Brasil, e vamos provar isso mais do que nunca nesse momento.”

Valorização profissional
O presidente da Federação Nacional dos Engenheiros (FNE), Murilo Pinheiro, presente à solenidade e que ministrará palestra sobre a “Engenharia Unida” na quinta-feira (1º/09), destaca que a Soea é um evento muito importante para os profissionais do sistema Confea/Creas e fórum privilegiado não só para o debate dos assuntos ligados ao exercício profissional, mas também dos temas que dizem respeito ao interesse mais amplo das categorias da área tecnológica. “Por isso mesmo, neste ano a FNE participa propondo o debate que nos parece fundamental: as mudanças necessárias para a valorização da engenharia brasileira.”

Pinheiro reforçou a posição da federação de que o crescimento econômico e o investimento produtivo têm relação direta com a inserção qualificada na nossa categoria no mercado de trabalho e na sociedade. “Desta forma, o desenvolvimento é bandeira de luta permanente da nossa entidade. E essa dinâmica deve conter uma política de valorização dos engenheiros que contemple remuneração justa, condições adequadas do exercício profissional e respeito ao conhecimento dos quadros técnicos.”

A 73ª Soea termina no dia 1º de setembro e é realizada em conjunto com a terceira edição do Congresso Técnico Científico da Engenharia e da Agronomia (Contecc). Na sequência, será realizado o 9º Congresso Nacional de Profissionais (CNP), nos dias 2 e 3 de setembro. Confira a programação aqui.


 

Rosângela Ribeiro Gil
Comunicação SEESP
Com informações e fotos de Rita Casaro 









Diretores da Federação Nacional dos Engenheiros (FNE) participam da 73ª Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia (Soea), em Foz do Iguaçu (PR), cujo será “A engenharia a favor do Brasil: mudanças e oportunidades”. O evento, segundo os organizadores, deverá reunir cerca de quatro mil profissionais desta segunda-feira (29/08) até 1º de setembro, em conjunto com a terceira edição do Congresso Técnico Científico da Engenharia e da Agronomia (Contecc). Na sequência, será realizado o 9º Congresso Nacional de Profissionais (CNP), nos dias 2 e 3 de setembro.

A programação contará com atividades como palestras, fóruns e debates conduzidos pelos principais especialistas do setor. Serão abordados os seguintes eixos complementares ao tópico central: desafios e estratégias para inserção dos profissionais; manutenção e conservação de obras e equipamentos de engenharia; mobilidade internacional; transformações e avanços necessários ao sistema profissional; e planejamento de infraestrutura.

Engenharia unida
O presidente da FNE, Murilo Pinheiro, ministrará palestra magna, na quinta-feira (1º), das 9h às 10h, sobre o movimento “Engenharia Unida”, lançado em março último, em São Paulo, e que conta com o apoio de diversas lideranças da categoria em todo o Brasil. Na atual edição do “Cresce Brasil + Engenharia + Desenvolvimento”, cujo tema é “Cidades”, profissionais falaram sobre a proposta. Em sua declaração publicada na revista, o presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (Crea-PR), Joel Krüger, anfitrião da 73ª Soea, destacou que há muito as ações do conselho local seguem a linha proposta pela federação de união e valorização das engenharias, da agronomia e das geociências. “Além de unida, nossa engenharia precisa ser fortalecida. (...) O Crea-PR parabeniza a FNE pela campanha e ressalta que apoia esse e outros projetos que tenham como objetivo o fortalecimento da nossa categoria”, afirmou. Posição reforçada, na mesma publicação, pelo presidente do Confea, José Tadeu da Silva: “Vejo como decisão acertada a da FNE de chamar a integração dos profissionais para a gente virar essa página da história do País e entrar numa fase melhor. O momento é de unir mesmo.”


Foto: Beatriz Arruda/SEESP
Engenharia Unida Lideranças 
Diversas lideranças de todo o Brasil no dia do lançamento do movimento "Engenharia Unida",
em março último, em São Paulo.
 

Para Pinheiro, o movimento é o esforço coletivo de todos os profissionais da área tecnológica em defesa das categorias e em prol do desenvolvimento do País. "Acreditamos que o Brasil tem plenas condições de se tornar uma grande nação capaz de oferecer vida digna a toda a população."


 

Rosângela Ribeiro Gil
Comunicação SEESP
Com informações do Confea e do jornal Gazeta do Povo

 

 

 

 

 

 

 

 

Dirigentes da Federação Nacional dos Engenheiros (FNE) estiveram reunidos, nesta quarta-feira (24/08), em Brasília, com os presidentes da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e dos Correios, órgãos ligados ao Governo Federal, respectivamente, Francisco Marcelo Rodrigues Bezerra e Guilherme Campos Júnior. O teor principal dos encontros, segundo o diretor José Luiz Bortoli Azambuja, foi a solicitação do ingresso da FNE nas negociações dos acordos salariais como legítima representante dos profissionais das duas empresas. 


Foto: Paula Bortolini/Assessora da Presidência
Murilo Brasília 24AGO2016 2 
Dirigentes da FNE com o presidente da Conab (ao centro), em Brasília, reivindicam
representar engenheiros na mesa de negociação do acordo coletivo

 

Na ocasião, explica Azambuja, foi entregue documento argumentando, juridicamente, a legalidade da representatividade da federação junto a esses profissionais, e destacando-se que a FNE, por delegação de seus 18 sindicatos filiados, tem abrangência nacional e competência para negociar nesse âmbito. “Além disso, enfatizamos que os próprios engenheiros estão procurando os nossos sindicatos solicitando a nossa inclusão nas negociações salariais”, salienta. 

Na Conab existem 250 engenheiros lotados nas diversas unidades da empresa distribuídos em vários Estados, sendo que a unidade com maior lotação é a do Distrito Federal, na sede da companhia, em Brasília, e a data-base é 1º de setembro. Já os profissionais dos Correios somam em torno de 700 em todo o Brasil e a data-base é 1º de agosto, ou seja, as negociações já estão em andamento. 

Cresce Brasil
O presidente da FNE, Murilo Pinheiro, enfatizou a disposição da FNE em contribuir para o fortalecimento das empresas destacando que os engenheiros são estratégicos para que isso aconteça e apresentou, ainda, o projeto “Cresce Brasil + Engenharia + Desenvolvimento” e sua edição atual sobre Cidades e o Movimento Engenharia Unida. 

 

 

Rosângela Ribeiro Gil
Comunicação SEESP

 

 

 

 

 

 

 

O presidente da FNE, Murilo Pinheiro, participou, nesta terça-feira (23/08), da abertura da 2ª Semana da Engenharia e da Agronomia do Piauí (Seapi), em Teresina. Na sua fala, Pinheiro destacou a importância do movimento Engenharia Unida, cujo objetivo é apresentar propostas para o crescimento e desenvolvimento do País, assim como também o projeto “Cresce Brasil”, da entidade. O dirigente também parabenizou o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia local (Crea-PI) pela realização do evento, “unindo estudantes e profissionais de forma a discutir temas relevantes”.



Piauí 230816 2Pinheiro, no pulpito, fala sobre o movimento Engenharia Unida
e defende propostas para o desenvolvimento do País
 

A 2ª Seapi termina no próximo dia 27 e está sendo realizada no Centro de Convenções Atlantic City, com o tema "Saneamento: Saúde e Desenvolvimento". O evento tem a parceria das maiores Instituições de Ensino Técnico e Superior do Piauí para o desenvolvimento metodológico do evento e das entidades de diversas categorias profissionais da engenharia. A programação aqui.



Rosângela Ribeiro Gil
Comunicação SEESP
Com informações e fotos de Paula Bortolini - Assessoria da Presidência







 

A Federação Nacional dos Engenheiros (FNE) participou, nesta quarta-feira (20/07), do “I Simpósio de Engenharia Civil – Sobre a cidade de Macapá”, no auditório da Faculdade de Macapá (Fama), na Capital do Amapá. O presidente da entidade, Murilo Celso de Campos Pinheiro, à mesa de abertura, destacou o trabalho sério e comprometido do Senge-AP em defesa do desenvolvimento tecnológico e da valorização profissional, cujo presidente licenciado é Lincolin Silva Américo, e o movimento Engenharia Unida. “Precisamos discutir a política brasileira sem partidarismo em busca de soluções aos problemas por que passa o País”, salientou o dirigente.


Fotos: Paula Bortolini
Amapa 4 
Pinheiro destaca participação da engenharia no desenvolvimento do País
 

Para tal tarefa, Pinheiro convocou os jovens estudantes e profissionais a engrossarem esse debate. Ao mesmo tempo, destacando que o ano é de eleições municipais, disse que “é necessária a reflexão da responsabilidade de cada um de nós na hora da escolha dos nossos representantes, do voto consciente, pensar na mudança que queremos”. E acrescentou: “Está na hora de colocar pessoas novas que estão prontas para contribuir com essa mudança.”

A nova edição do projeto “Cresce Brasil + Engenharia + Desenvolvimento”, que trata das cidades, foi realçada pelo presidente da FNE como a contribuição da categoria ao bom debate nas campanhas eleitorais.


Amapa 1Presidente licenciado do Senge-AP destaca ações do sindicato
em defesa da valorização profissional
 

Na programação, o engenheiro e professor da Universidade Federal Fluminense (UFF), Marco Aurélio Cabral Pinto ministrou a palestra “Financiamento em infraestrutura urbana”. A palestra sobre Infraestrutura das Cidades foi comandada pelo engenheiro Maurício Melo Ribeiro.

O simpósio teria ainda uma mesa-redonda com especialistas que discutiram os temas “Verticalização da cidade de Macapá”, com Eduardo Correa; “Mobilidade das Cidades”, com Jurandir Fernandes; “Engenharia elétrica e meio ambiente”, com Marcos Gomes; “Mapeamento Geológico-geotécnico para o desenvolvimento urbano”, com Fábio Araújo; e “Proposta de interseção viária e redução de conflitos”, com a engenheira Gabriele Curcino.



Rosângela Ribeiro Gil
Imprensa SEESP
Com informações de Paula Bortolini – Assessoria da Presidência







O presidente da Federação Nacional dos Engenheiros (FNE), Murilo Celso de Campos Pinheiro, participou, na quarta-feira (6/07), em Caldas Novas (GO), do VI Mutuação – Tempo de Inovar, uma atividade da Caixa de Assistência dos Profissionais do Crea (Mútua). À mesa de abertura, o dirigente destacou o tema do seminário, a inovação, e saudou a iniciativa da entidade: “A capacitação é fundamental para melhoraria do trabalho em prol dos profissionais, ou seja, no atendimento da Mútua aos engenheiros e técnicos.” Nesse sentido, Pinheiro falou sobre a ação dos engenheiros de São Paulo que criaram uma instituição de ensino de superior, o Isitec, que vem contribuindo para a qualificação de muitos jovens, oferecendo único curso, no País, de Engenharia de Inovação. “O nosso curso é gratuito e tem alunos selecionados em todo o País.”


Fotos: Paula Bortolini
Murilo Mutua 06JUL2016 3 
Pinheiro, ao microfone, parabeniza Mútua pelo seminário sobre inovação
 

Para ele, o seminário da Mútua também contribui para pensar boas ideias que ajudem o Brasil a superar os momentos difíceis atuais; da mesma forma, salientou a importância das próximas eleições municipais. “Independentemente do partido político de cada um, devemos participar e exercitar nossa cidadania nos debates e na hora do voto.”

Ao finalizar sua fala, o presidente da FNE convidou a todos para participarem do movimento da Engenharia Unida, uma coalização de forças com o propósito de oferecer saídas às dificuldades enfrentadas pelo País na atualidade e contribuir com o permanente avanço no futuro.

Mutuação
A atividade, em sua sexta edição, é realizada anualmente como treinamento dos colaboradores e diretores regionais da Mútua, visando o aperfeiçoamento do atendimento aos associados do sistema. O evento começou no dia 4 último e termina nesta sexta-feira (8).


 

Rosângela Ribeiro Gil
Imprensa SEESP
Com informações de Paula Bortolini – Assessora da Presidência








Se mais de 84% da população brasileira vive nos centros urbanos, discutir as cidades é colocar em pauta o País. Com esse fio condutor, proposto pelo consultor da FNE, Artur Araújo, aconteceu o seminário que marcou o lançamento de mais uma etapa do projeto “Cresce Brasil + Engenharia + Desenvolvimento”, cujo foco é a qualidade de vida nos municípios e o desenvolvimento local. Promovido pela federação em parceria com o Clube de Engenharia, o evento foi realizado na sede desse último, no Rio de Janeiro, em 29 de junho.


Foto: Gutah/Mix Mídia
Murilo CresceBrasil Clube
Pinheiro na apresentação da nova edição "Cidades" do projeto Cresce Brasil
 

O debate em torno das cidades está sistematizado em uma publicação, elaborada a partir de notas técnicas sobre os temas: habitação, saneamento, mobilidade, iluminação pública e internet pública. Integram ainda o trabalho diagnóstico e propostas para o financiamento dos municípios. A questão foi outro ponto essencial destacado por Araújo. Como solucionar a brutal falta de recursos sem aumentar a carga tributária ou reduzir a oferta de serviços? “Isso coloca um desafio que é da engenharia: o aumento da produtividade”, defendeu ele.

Autor da nota técnica que se propõe a responder à complexa questão, o professor da Universidade Federal Fluminense (UFF) Marco Aurélio Cabral Pinto defendeu repensar a forma como as prefeituras têm acesso às verbas disponíveis, usualmente por meio de emendas parlamentares. “O dinheiro existe, só está sendo mal equacionado pela nossa tradição política”, disse. Conforme ele, os estados deveriam dar suporte técnico aos municípios para a formulação de projetos qualificados e os bancos públicos avaliarem os projetos e decidirem quanto à melhor combinação entre recursos reembolsáveis ou não, levando em conta o perfil da localidade.

Diversidade
A correta avaliação das características das cidades é essencial para se definir também as intervenções a serem feitas, ponderou Jurandir Fernandes, ex-secretário de Transportes Metropolitanos do Estado de São Paulo. Ele lembrou que apenas 300 localidades no País têm mais de 100 mil habitantes e somente nessas a mobilidade é um fator problemático, que demanda soluções mais caras.

Independentemente do porte das cidades, Fernandes destacou como essencial o planejamento do uso e ocupação de solo – que não pode ficar à mercê da especulação imobiliária – para que não se gerem deslocamentos desnecessários. Medida útil também é a desburocratização, com integração da gestão e informatização, sugeriu.

O secretário de Planejamento, Habitação e Urbanismo de Duque de Caxias, Luiz Edmundo Costa Leite, também frisou as dificuldades da gestão municipal diante de regras comuns para realidades díspares. “A diversidade é brutal; existem São Paulo, com 12 milhões de habitantes, e Borá, com 800. E estamos sempre sujeitos às políticas que vêm de Brasília.”

Para Vicente Loureiro, diretor executivo da Câmara Metropolitana de Integração Governamental do Rio de Janeiro, é urgente alterar a maneira “doentia” como são reproduzidas cidades. Conforme ele, um exemplo dessa realidade é o fato de no Rio de Janeiro terem sido construídas, nos últimos seis anos, 150 mil unidades habitacionais pelo “Minha casa, minha vida”, com investimento de R$ 12 milhões, e mesmo assim não se ter conseguido frear  o “crescimento informal, sem controle urbanístico ou infraestrutura”.  Até por isso, enfatizou, a iniciativa do “Cresce Brasil – Cidades” é oportuna, porque pode ajudar a transformar essa realidade.

Engenharia Unida
O objetivo do esforço empreendido pela FNE, pontuou o presidente da entidade, Murilo Celso de Campos Pinheiro, desde que o projeto foi inaugurado em 2006, é precisamente contribuir para mudar o País para melhor. O “Cresce Brasil – Cidades”, informou, será entregue aos candidatos a prefeito, nos diversos municípios, nas eleições 2016. Para ele, esse é um dever que se impõe aos profissionais da área tecnológica.  “Temos a obrigação de discutir as questões da sociedade, apresentando propostas factíveis. Temos que unir as nossas entidades, pois somente com a ‘Engenharia Unida’ podemos ter um Brasil melhor. Temos mais de 1,5 milhão de profissionais, precisamos juntar forças”, afirmou.

O papel central da engenharia no desenvolvimento nacional e na boa gestão das cidades foi corroborado pelas demais lideranças e autoridades que prestigiaram a atividade, como Pedro Celestino Pereira, presidente do Clube de Engenharia; o coordenador técnico do “Cresce Brasil”, Carlos Monte; os presidentes dos conselhos Federal (Confea) e Regional de Engenharia e Agronomia do Rio de Janeiro (Crea-RJ),  José Tadeu da Silva e Reynaldo Barros; o secretário municipal de Desenvolvimento e Gestão de Rio Branco, Ricardo Araújo; e o deputado federal Ronaldo Lessa (PDT-AL), autor da proposta de formação da Frente Parlamentar Mista de Engenharia, Infraestrutura e Desenvolvimento Nacional.

Carreira e gestão
Completou a programação o painel que abordou a necessidade se resgatar a engenharia na gestão pública, que teve a participação de Renato da Silva Almeida e Marcio Queiroz Ribeiro, ambos conselheiros do Clube de Engenharia; Nilo Ovídio Lima Passos, presidente da Sociedade dos Engenheiros e Arquitetos do Estado do Rio de Janeiro (Seaerj); Antonio Octaviano, diretor do Instituto Superior de Inovação e Tecnologia (Isitec); e Carlos Bastos Abraham, vice-presidente da FNE.

A discussão lembrou a necessidade de haver critérios técnicos e não meramente políticos na administração das cidades, assim como capacitação dos profissionais que atuam no serviço público, que precisam de condições de trabalho adequadas e remuneração justa. Nesse sentido, é urgente que se assegure piso salarial compatível com a Lei 4.950-A/66 (de seis salários mínimos para jornada de seis horas e de nove para jornada de oito). Imprescindível ainda a criação da carreira pública de Estado para engenheiros e arquitetos, conforme previsto no PLC 13/2013, cuja tramitação no Senado continua estacionada.

 

* Confira fotos do evento aqui

 

Por Rita Casaro
Matéria publicada, originalmente, no jornal Engenheiro, Edição 170, de julho de 2016, da Federação Nacional dos Engenheiros (FNE)

 

 

 

 

 

 

O Instituto Superior de Inovação e Tecnologia (Isitec), cujo mantenedor é o SEESP, assinou, nesta segunda-feira (27/06), na Capital paulista, termo de cooperação técnica com o Instituto de Engenharia (IE) para cursos de capacitação. Antonio Octaviano, diretor de Extensão e Serviços de Consultoria do Isitec, comemorou a iniciativa, salientando que a faculdade do sindicato tem todo “o credenciamento para realizar cursos de extensão, capacitação, especialização e também a graduação em Engenharia de Inovação”.


Fotos: Paula Bortolini
Murilo Isitec CE 27JUN2016 
Diretores do Isitec e do Instituto de Engenharia à mesa
que firmou parceria entre as entidades
 

Murilo Celso de Campos Pinheiro, presidente do SEESP, no ensejo, destacou que a parceria significa ainda mais benefícios aos associados do sindicato e aos profissionais em geral. “É mais um passo importante que o Isitec dá e também mostra, na prática, a Engenharia Unida.”


Murilo Isitec CE 27JUN2016 4Presidente do SEESP, Murilo Pinheiro (à esq), acompanha assinatura de parceria,
afirmando que era um passo concreto da Engenharia Unida
 

Por parte do IE, o vice-presidente de Administração e Finanças, José Olimpio Dias de Faria, disse que a entidade está trabalhando em discussões e estratégias para o desenvolvimento, com destaque especial ao agronegócio brasileiro que vem dando bons resultados ao País. Faria falou sobre o espaço para o coworking (é um modelo de trabalho que se baseia no compartilhamento de espaço e recursos de escritório) que o instituto está montando para trabalhar com inovação, empreendedorismo e tecnologia e convidou o Isitec a participar ativamente do projeto.


Murilo Isitec CE 27JUN2016 3Diretoria do IE comemora convênio como uma evolução da engenharia
 

A parceria com o Isitec foi avaliada pelo vice–presidente de Assuntos Internos do instituto, Roberto Bartolomeu Berkes, como uma ação que “acompanha a evolução da engenharia”. Ele aproveitou, ainda, para parabenizar o SEESP pela criação e manutenção da faculdade. Miriana Pereira Marques, vice-presidente de Atividades Técnicas do IE, reforçou a importância do passo entre as entidades e afirmou que já existem muitas ideias para serem colocadas em prática, conclamando os presentes a já estabelecerem um cronograma de reuniões.

A assinatura foi acompanhada, ainda, por outros diretores do Instituto de Engenharia e pelo consultor da Pós-Gradução do Isitec, Denésio de Andrade Carvalho.

 

Engemaker
Logo após a assinatura, Pinheiro e os diretores do Isitec visitaram o empreendimento Engenho Maker, fruto de contrato entre o IE e a Engemaker, que prevê a implantação e operação de espaços “makers” e coworking. O espaço oferece aos associados do instituto, bem como ao público em geral, acesso a ferramentas específicas, tais como, impressora 3D, CNC, cortadora a laser, torno e fresa, dentre outras. O objetivo dessa iniciativa é proporcionar ao cidadão comum a utilização das ferramentas e tecnologias necessárias para a criação de seus projetos e estimular a inovação e a resolução de problemas. 


Murilo Engemaker 27JUN2016



 

Rosângela Ribeiro Gil
Imprensa SEESP
Com informações de Paula Bortolini









O presidente da FNE, Murilo Pinheiro, participou, na noite de quarta-feira (22/06), em Brasília, da abertura do 9º Congresso Distrital de Profissionais do Distrito Federal (9º CDP), que termina nesta sexta-feira (24). A atividade é organizada pelo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia local (Crea-DF) com o intuito de discutir o temário aprovado pelo Plenário do Confea para o 9º CNP, apresentar propostas para esse evento e eleger os delegados distritais que dele participarão.


Fotos: Paula Bortolini
Murilo DF 22JUN2016 
Pinheiro pediu pela unidade dos profissionais em todo o Brasil
 

Em sua fala, Pinheiro destacou o compromisso do movimento Engenharia Unida para fazer a diferença e contribuir com propostas factíveis de crescimento e desenvolvimento do País e pela valorização profissional. O presidente do Confea, José Tadeu da Silva, que defendeu a Engenharia Unida, reforçou a necessidade de a categoria propor soluções aos grandes problemas do País com a união dos profissionais e entidades em torno desse ideal. Também salientou o apoio ao combate à corrupção e afirmou que a entidade acompanha o andamento de projetos de lei de interesse dos engenheiros, assim como o exercício profissional.


Murilo DF 22JUN2016 3
Presidente do Confea endossou a necessidade do movimento Engenharia Unida


Já o presidente do Crea-DF, Flávio Correia, destacou os 55 anos de fundação do conselho, que vem crescendo de forma sólida. A entidade, comemorou Correia, já realizou e venceu muitas lutas e, ao longo desses anos, contribuiu bastante para o desenvolvimento de Brasília e do Distrito Federal. E completou dizendo que o congresso era um espaço para pensar novas formas do sistema e servia como inspiração para discussão de ideias e proposições em defesa do fortalecimento da engenharia e da agronomia.


Murilo DF 22JUN2016 5Presidente Flávio Correia falou dos 55 anos de lutas do Crea-DF

 

 

Rosângela Ribeiro Gil
Imprensa Seesp
Com informações de Paula Bortolini







O presidente da Federação Nacional dos Engenheiros (FNE), Murilo Celso de Campos Pinheiro, participou, na manhã desta quarta-feira (22/06), em Brasília, da reunião ordinária do Colégio de Entidades Nacionais (Cden), composto pelos presidentes ou representantes das entidades nacionais do Sistema Confea/Crea. Na oportunidade, Pinheiro convidou os presentes para o lançamento da edição “Cresce Brasil – Cidades”, que ocorrerá no dia 29 de junho próximo, às 14h30, na sede do Clube de Engenharia, no Rio de Janeiro.


Foto: Paula Bortolini
Murilo Ceden 
A defesa do voto eletrônico nas eleições do Sistema Confea-Crea feita pelo presidente
da FNE repercutiu positivamente na reunião do Cden, nesta quarta-feira (23)
 

A liderança explicou que a atualização do projeto lançado pela FNE, em 2006, deverá percorrer o País e chegar às mãos dos candidatos às eleições municipais do segundo semestre, com o intuito de garantir boas discussões políticas e técnicas nas próximas campanhas eleitorais. Ele aproveitou para falar sobre o Movimento Engenharia Unida, cujo propósito é reunir a área tecnológica num grande e vital debate sobre saídas conjuntas ao momento por que passa o País, assegurando que isso deve ser feito independentemente de posicionamentos políticos. “Devemos unir os profissionais pelo crescimento e desenvolvimento”, defendeu. E acrescentou: “Os profissionais da área tecnológica têm responsabilidade enorme em colaborar com propostas factíveis para a saída das crises econômica e política do País.”

Dentro desse espírito, Pinheiro destacou a iniciativa pioneira dos engenheiros de São Paulo que criaram o Instituto Superior de Inovação e Tecnologia (Isitec) –  projeto que atende a área social e a qualificação profissional de excelência. “Uma ação do nosso sindicato e da FNE para contribuir com a sociedade brasileira.”

Voto eletrônico
Pinheiro finalizou salientando a importância do voto eletrônico nas eleições do sistema profissional, acabando com o atraso do voto em urna. “Diversas entidades já realizam eleições dessa forma, com empresas especializadas e auditoria garantindo a segurança dos pleitos”, observou. Para ele, o voto eletrônico aumenta e democratiza a participação dos profissionais nas eleições, hoje restrita a 6%. Depois dessa defesa, o presidente da Associação Brasileira de Engenheiros Eletricistas (Abee) e membro do Cden, Olavo Botelho, propôs a discussão do voto eletrônico dentro do colegiado.

O diretor licenciado da FNE, Florentino Filho, participou da reunião do Cden como convidado.


 

Rosângela Ribeiro Gil
Imprensa SEESP
Com informações de Paula Bortolini







Uma discussão que interessa aos engenheiros, à sociedade e a todos os comprometidos com a retomada do desenvolvimento nacional. “A engenharia e as cidades brasileiras” será promovida pela Federação Nacional dos Engenheiros (FNE) e pelo Clube de Engenharia, no dia 29 de junho, no Rio de Janeiro. Em pauta está a urgência em se resgatar a engenharia pública na gestão das cidades brasileiras e o seu papel para garantir bem-estar à população e desenvolvimento local. O debate contará com a participação de profissionais, especialistas, autoridades e lideranças da engenharia nacional.

No evento, será lançada a edição “Cidades” do projeto “Cresce Brasil + Engenharia + Desenvolvimento” (www.crescebrasil.org.br), que, neste ano de eleições municipais, pretende oferecer aos candidatos propostas para a boa gestão das localidades. A edição "Cidades" abordará temas como finanças, mobilidade e transporte, saneamento básico, habitação, iluminação e internet pública.

Além do projeto "Cresce Brasil", o debate integra o movimento “Engenharia Unida”, que defende a valorização da profissão, destacando os engenheiros como protagonistas para o crescimento e desenvolvimento, inclusive na gestão pública. “Resgatar a engenharia na gestão pública significa fazer com que as funções técnicas sejam ocupadas por profissionais habilitados. É preciso fazer bem e de forma planejada; os parcos recursos disponíveis nos cofres públicos não podem ser desperdiçados com improviso e amadorismo. Ainda menos aceitável que gastar irresponsavelmente é expor a população a riscos que a boa engenharia certamente pode evitar”, defende Murilo Celso de Campos Pinheiro, presidente da FNE.

No dia 29, às 14h, Pinheiro e o presidente do Clube de Engenharia, Pedro Celestino Pereira, farão a abertura do evento, que será seguida pelo painel “Desafios das cidades brasileiras: desenvolvimento e qualidade de vida”, com a participação de Vicente de Paula Loureiro, diretor executivo da Câmara Metropolitana de Integração Governamental do Rio de Janeiro, e de Luiz Edmundo Costa Leite, secretário de Planejamento, Habitação e Urbanismo do Município de Duque de Caxias.

O segundo painel, “Resgatar a engenharia na gestão pública”, contará com a presença de Nilo Ovídio Lima Passos, presidente da Sociedade dos Engenheiros e Arquitetos do Estado do Rio de Janeiro (Seaerj) e de Antonio Octaviano, diretor de Extensão do Instituto Superior de Inovação e Tecnologia (Isitec), entre outros palestrantes.

Confira a programação completa no link: http://goo.gl/kKNvIk.

 

Imprensa SEESP
Com informação de Renata Dias

 

 

 

 

 

O presidente do SEESP e da Federação Nacional dos Engenheiros (FNE), Murilo Celso de Campos Pinheiro, foi agraciado com a Medalha da Ordem do Mérito Naval distinção oferecida pela Marinha do Brasil para premiar militares e instituições civis que prestaram serviços relevantes à Armada. A cerimônia de entrega da condecoração foi nesta sexta-feira (10/06), na parte da manhã, no Comando do 8º Distrito Naval, na Capital paulista.


Fotos: Beatriz Arruda/SEESP
Murilo Marinha editada 
Murilo Pinheiro ao ser condecorado com a Medalha da Ordem do Mérito Naval
 

O almirante Glauco Castilho Dall´Antonia, comandante do 8º Distrito Naval, disse que a comenda era um reconhecimento à contribuição da engenharia nacional à Marinha. “Estamos ofertando por coisas que já foram feitas e por coisas que queremos que vocês façam ainda.” E acrescentou: “É uma homenagem justa aos engenheiros que fazemos em nome do presidente da entidade.”


Murilo Marinha 3 editadaAlmirante Castilho disse que cumprimentava, em nome de Murilo Pinheiro,
os serviços prestados pela engenharia nacional à Marinha do Brasil
 

Ele aproveitou para reafirmar a importância da categoria para o avanço tecnológico da Marinha. “Estamos construindo um submarino de propulsão nuclear e precisamos de quem? Dos engenheiros.” E finalizou com um pedido: “Nos ajudem a construir um submarino genuinamente brasileiro.”

Pinheiro, visivelmente emocionado, disse que era mais uma vitória da categoria e que a condecoração representava a consolidação da força da engenharia brasileira. Reforçando o pedido do almirante Castilho, o dirigente sindical disse que os engenheiros estão prontos e preparados a ajudar no que for possível e necessário para o avanço tecnológico da Marinha, como é o caso do submarino.

Batalha naval
Juntamente com Pinheiro, foram agraciadas mais 24 personalidades, entre militares e civis. A cerimônia de entrega da condecoração é realizada no transcurso da comemoração da Batalha Naval do Riachuelo, de 11 de junho de 1865, data magna da Marinha.

A medalha foi criada pelo Decreto nº 24.659, de junho de 1934, e é definido o seu oferecimento pelo Conselho da Ordem do Mérito Naval com a aprovação da Presidência da República.


Murilo Marinha 4.jpg editadaCerimônia é realizada na data em comemoração à Batalha Naval do Riachuelo, de 1865


*Confira mais fotos da cerimônia aqui


Rosângela Ribeiro Gil
Imprensa SEESP







 

A Câmara Municipal de Teresina homenageou, na manhã desta sexta-feira (3/06), em sessão solene, os 30 anos do Sindicato dos Engenheiros do Piauí (Senge-PI), conforme propositura da vereadora Teresa Britto (PV) aprovada por unanimidade dos parlamentares da Casa.


Fotos: Paula Bortolini
Piaui 03JUN2016 
Mesa da solenidade na Câmara Municipal de Teresina, no dia 3 de junho
 

O presidente licenciado do sindicato, Antonio Florentino de Souza Filho, agradeceu a honraria e destacou as ações da entidade em prol do desenvolvimento do País, a participação no projeto Cresce Brasil, da Federação Nacional dos Engenheiros (FNE) e a luta pela valorização da categoria, como a defesa do salário mínimo profissional na Prefeitura de Teresina e no governo estadual.

A autora da homenagem reconhece a importância do trabalho dos profissionais no processo de desenvolvimento do Estado. “Não há como nos omitirmos em expressar nossa gratidão a este profissional que muito tem contribuído para construir uma sociedade que alia desenvolvimento, qualidade de vida e superação de desafios tanto no estado do Piauí como em Teresina”, destacou. E completou: “Um sindicato que não se vende e não se rende na luta em defesa dos profissionais e das entidades. Sindicato autêntico e comprometido em fazer o bem à sociedade.”


Piaui 03JUN2016 3Vereadora Teresa Britto ao prestar homenagem aos 30 anos do Senge-PI,
ladeada por Pinheiro (esquerda) e Florentino


Na sessão solene, o presidente da FNE, Murilo Celso de Campos Pinheiro, fez questão de destacar o orgulho que a entidade tem pelo trabalho sério desenvolvido pelo Senge-PI, ao mesmo tempo conclamou à unidade da categoria para fazer frente aos desafios atuais do País. “Momento em que a engenharia poderá fazer a diferença. Por isso, lançamos o Movimento Engenharia Unida que apresenta propostas de crescimento e desenvolvimento. É mais uma contribuição da engenharia por um país melhor.” O sindicalista aproveitou a oportunidade para entregar o documento “Breves considerações da engenharia brasileira” e o manifesto “Engenharia Unida em defesa dos profissionais e do desenvolvimento do País” às autoridades presentes.

Já o superintendente da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (SDU) Centro-Norte, João Pádua, destacou o reconhecimento da prefeitura pela luta do Senge em defesa dos engenheiros, mas também a favor da sociedade, dizendo que a administração municipal está sempre aberta ao diálogo com a categoria. O presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Estado (Crea-PI) também participou da homenagem, ressaltando que o conselho sempre atua junto com o sindicato.


 

Rosângela Ribeiro Gil
Imprensa SEESP
Com informações de Paula Bortolini 

 







agenda