GRCS

Mostrando itens por marcador: CPTM

Comunicação SEESP*

 

Conforme aprovado na Assembleia Geral Extraordinária, que abriu a Campanha Salarial 2019, realizada no dia 23/4, ficou estabelecido para este ano a Contribuição Assistencial descrita abaixo:

 

  • 1,78% do salário-base reajustado, a ser descontado a partir da folha de maio de 2019, em duas parcelas iguais e consecutivas de 0,89%; ou
  • 0,99% do salário-base reajustado, a ser descontado a partir da folha de maio de 2019, em duas parcelas iguais e consecutivas de 0,495% aos sócios em dia, por decisão da diretoria do SEESP, conforme autorizado pela Assembleia Geral Ordinária da entidade de 2018, relativa ao exercício de 2019.

 

De acordo com o previsto na Cláusula da Contribuição Assistencial do Acordo Coletivo em vigor, o direito de oposição é feito por meio de carta individual, escrita de próprio punho, em duas vias, assinadas e entregues pessoalmente, no prazo de até sete dias corridos, no SEESP, que protocolará a segunda via.

 

O prazo estende-se até o dia 7 de maio de 2019. A via protocolada, em sequência, deverá ser encaminhada pelo engenheiro, dentro deste prazo, ao Departamento de Administração Pessoal (DRHP) da empresa.

 

A Contribuição Assistencial está prevista na Constituição e na Consolidação das Leis de Trabalho (CLT), em seu Artigo 513, alínea "e". Tem o objetivo de custear gastos do sindicato da categoria.

 

 

 

 

 

*Com informações da Ação Sindical do SEESP.

 

 

 

 

 

 

Comunicação SEESP*

 

A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) adiou a reunião que ocorreria na última quinta-feira, 4/4, para o próximo dia 11/4, alegando que não havia ainda recebido sinalização dos órgãos de Governo com a proposta econômica indicativa para as negociações salariais 2019.

 

O SEESP não compreende o motivo do atraso, pois a Pauta de Reivindicações 2019/2021 dos engenheiros foi protocolada na empresa em 19 de dezembro de 2018.

 

Confira as principais reivindicações econômicas da categoria:

  • Reajuste salarial pelo maior índice inflacionário aferido no período de 01/03/2018 até 30/04/2019, mais aumento real de 3,51%, extensivo aos demais benefícios de caráter econômico, exceto para o auxílio materno-infantil e os vales alimentação e refeição, que precisam sofrer reajuste maior com vistas à equiparação aos valores pagos pelo Metrô;
  • pagamento do piso salarial dos engenheiros com base na Lei 4.950-A/66, a exemplo do Metrô e da Sabesp.

 

O sindicato salienta a necessidade de se corrigirem as distorções existentes no Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS), adequando-se os cargos às funções e, por conseguinte, aos salários. É preciso ter como referências o piso salarial dos engenheiros previsto em lei e a garantia da progressão na carreira.

 

O SEESP conclama, portanto, a empresa a fazer gestões junto aos referidos órgãos governamentais para que possa trazer, já no dia 11, uma proposta econômica compatível com as justas reivindicações e a necessária valorização de nossa categoria.

 

 

*Com informações da Ação Sindical do SEESP.

 

 

 

 

 

 

Página 1 de 4

agenda