GRCS

Mostrando itens por marcador: CPTM

Comunicação SEESP

Os engenheiros da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) realizam na quinta-feira (22/2) uma Assembleia Geral Extraordinária, às 18h, na sede da Associação dos Engenheiros da Estrada de Ferro Santos-Jundiaí, Rua José Paulino, nº 07, Bom Retiro, na capital paulista. Na pauta: horas extras.

Os profissionais discutirão e deliberarão sobre a proposta da empresa em relação às horas extras em atividades insalubres, principalmente dos que exercem atividade de sobreaviso. A atividade servirá ainda como aquecimento para a Campanha Salarial 2018.



Comunicação SEESP

O Sindicato dos Engenheiros no Estado de São Paulo (SEESP) realizará, de 11 a 13 de dezembro próximos, eleição pela internet para definição de seu corpo de delegados sindicais, titular e suplente, em diversas unidades da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), gestão 2018-2021.

O pleito ocorrerá das 8h do dia 11 de dezembro até às 17h do dia 13 de dezembro próximos, em uma página na internet, na qual o eleitor utilizará login e senha que lhe serão encaminhados pelos Correios no dia 1º de dezembro. O SEESP utilizará o endereço que está registrado no cadastrado do sindicato e que é utilizado para envio da cobrança da contribuição sindical, que ocorre no início de cada ano (o imposto sindical cujo vencimento é no último dia de fevereiro de cada ano). Quem não receber as informações até o dia 8 de dezembro, deverá entrar em contato com a Comissão Eleitoral.

Caso o profissional da CPTM não esteja recebendo regularmente a correspondência deve preencher, datar e assinar a ficha de atualização cadastral que foi enviada por boletim eletrônico, na sexta-feira (24/11). Depois de preenchida, o engenheiro pode enviá-la escaneada pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. até quarta (29).

Os cargos estão distribuídos da seguinte forma:

Sede (Rua Boa Vista) – um titular e um suplente

Brás – um titular e um suplente

Luz – um titular e um suplente

Lapa – um titular e um suplente

Presidente Altino – um titular e um suplente


Poderão votar os engenheiros empregados na CPTM. Já para se candidatar é preciso ser sócio e estar em dia com o SEESP e não estar cumprindo aviso prévio. Para se inscrever e confirmar sua inscrição o candidato deverá preencher e assinar a ficha em duas vias, informando nome completo, matrícula na empresa, endereço, telefone, local de trabalho, cargo exercido na empresa e número de matrícula sindical no SEESP.


As inscrições deverão ser feitas na Gerência de Ação Sindical do SEESP, com Antonio Hernandes (4º andar da sede, Rua Genebra 25, Bela Vista – São Paulo/SP), no período de 27 a 29 de novembro de 2017, das 9h às 17h. Não serão aceitas inscrições por meio de telefone, fax ou e-mail.

No ato da inscrição, além da ficha preenchida e assinada, o candidato deverá entregar cópia simples do documento funcional da CPTM (crachá) e declaração de quitação das contribuições sindical, associativa e assistencial com o SEESP, que pode ser fornecida pelo Departamento de Cadastro do sindicato (3º andar), no próprio momento da inscrição.

O sindicato informará aos engenheiros, por meio de boletim, no dia 30 de novembro, a relação dos candidatos inscritos por local de trabalho.

Comissão eleitoral
A Comissão Eleitoral, encarregada de coordenar o pleito, é composta pelos diretores do SEESP: Feres Mohamad Amin, José Augusto de Moraes e Luiz Roberto de Oliveira. Eles também esclarecerão dúvidas, respectivamente, pelos telefones (11) 97404-0051, 97404-0137 e 98112-2998.

Os delegados sindicais reforçam a ação sindical junto à categoria na CPTM e têm a responsabilidade de defender seus interesses mediante o encaminhamento de suas reivindicações e propostas ao SEESP, discutindo-as nas reuniões de organização e retornando à base as deliberações tomadas. Suas principais atribuições são: servir de elo entre os engenheiros da CPTM e o SEESP, mantendo-os informados da posição e das atividades do sindicato; articular a participação dos engenheiros nas reuniões e assembleias convocadas pelo SEESP; encaminhar ao SEESP as reivindicações da categoria sobre assuntos relacionados ao sindicato e a empresa; e zelar pelas conquistas da categoria, acompanhando o cumprimento dos acordos coletivos de trabalho e das sentenças normativas proferidas em dissídio coletivo.




Comunicação SEESP

Está marcada para sexta-feira (20/10) uma Assembleia Geral Extraordinária dos engenheiros da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) para avaliação e deliberação sobre a proposta feita pela empresa para o Acordo Coletivo do Programa de Participação nos Resultados (PPR) 2017.

A atividade será na sede da Associação dos Engenheiros da Estrada de Ferro Santos-Jundiaí (Rua José Paulino, 7, Bom Retiro – São Paulo/SP), às 18h30 (segunda convocação). Foi enviado nesta segunda (16) um boletim informativo à categoria convocando a presença dos profissionais.



Em comemoração aos 150 anos da primeira ferrovia de São Paulo, a Universidade Estadual Paulista (Unesp) em parceria com a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) lançará, nos dias 18 e 19 de fevereiro, um aplicativo que contará a história ferroviária. Com o novo recurso, os passageiros do Expresso Turístico poderão consultar durante as viagens um mapa on-line, que identificará as estações e as respectivas datas de inauguração.

O aplicativo foi desenvolvido dentro do Projeto Memória Ferroviária, da Unesp (Câmpus de Rosana, Assis e Bauru), coordenado pelo professor Eduardo Romero de Oliveira. Para explicá-lo, o pesquisador e criador do dispositivo, Ewerton de Moraes, fará uma apresentação no Expresso Turístico Jundiaí neste sábado, dia 18, e na viagem para Paranapiacaba no domingo, dia 19.

Os amantes da história da ferrovia também terão a oportunidade de conhecer a maquete da primeira locomotiva da São Paulo Railway, cedida pela ABPF (Associação Brasileira de Preservação Ferroviária).  A locomotiva Enterprise entrou em operação em 1861 e ficará exposta na Estação da Luz, neste sábado, das 8h às 16h.

Batizado como “SPR 150”, o aplicativo homenageia a São Paulo Railway, companhia inglesa que operava a linha Santos – Jundiaí. Em 1992, a linha foi dividida e coube a CPTM administrar os trechos Luz – Jundiaí, pela Linha 7-Rubi (antiga Linha A), e Brás – Rio Grande da Serra, pela Linha 10-Turquesa (antiga Linha D). Os dois trajetos também são utilizados pelo Expresso Turístico que oferece viagens para Jundiaí e Paranapiacaba. A operação entre Rio Grande da Serra e o Porto de Santos é realizada atualmente pela MRS, que obteve a concessão para a circulação dos trens de carga.

Para baixar o programa, é preciso ter um celular Android e acessar o link ou utilizar o QRCode abaixo:

 

Comunicação SEESP
Notícia da Notícias Unesp

 

 

 

 

O SEESP conseguiu, junto ao Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo (TRT-SP), liminar suspendendo a aplicação do teto remuneratório vinculado ao subsídio do governador, conforme havia informado a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). Tal medida, segundo comunicado da empresa, já teria aplicação a partir da folha de pagamento de janeiro deste ano. O pedido liminar foi concedido pelo tribunal no dia 28 de janeiro e determina a suspensão da aplicação do teto remuneratório vinculado ao subsidio do Governador a partir da folha de pagamento de janeiro de 2016 e, ainda, multa diária de R$ 50 mil caso a decisão não seja cumprida. 

A CPTM alega que, por ser uma empresa dependente, estaria obrigada a limitar a remuneração paga aos seus empregados ao subsídio mensal do Governador. Todavia, o sindicato, por não concordar com esta tese, ingressou com o Dissídio Coletivo de Natureza Jurídica, com a solicitação de liminar, alegando que a aplicação do teto constitucional resulta na redução salarial, no descumprimento do Acordo Coletivo de Trabalho e da legislação trabalhista, sendo a CPTM empresa de economia mista, e não de administração direta, com empregados regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). 

"Além disso, a companhia não se enquadraria no artigo 37, § 9º, da Constituição Federal, pois não pode ser considerada como empresa estatal que receba recursos para pagamento de despesas de pessoal ou de custeio em geral", observa a advogada Cláudia Regina Salomão, do jurídico do SEESP. E acrescenta: "A empresa tem receita própria, que advém principalmente do preço cobrado pelas tarifas, que são estabelecidas pelo governo e que tem caráter social. Também concretiza as gratuidades ou isenções legalmente instituídas. Assim, a caracterização do recurso recebido pela empresa, na verdade, deve ser analisada como subvenção ao consumidor e fornecedor."

Salomão explica que diante da divergência de interpretação do artigo constitucional o Dissídio Coletivo de Natureza Jurídica foi suscitado visando à interpretação do Poder Judiciário a respeito de referido dispositivo.

 

Rosângela Ribeiro Gil
Imprensa SEESP






 

O Tribunal Regional do Trabalho 2ª Região (TRT/SP) oficiou à Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e ao Conselho de Defesa dos Capitais do Estado (Codec), em 16 de junho último, que se manifestem, no prazo de dez dias, sobre a correção da estrutura salarial dos engenheiros. Até o momento, nenhuma resposta foi juntada ao processo. A empresa foi contatada e informou ao sindicato que aguarda resposta do conselho.

Diante da ausência de resposta, o SEESP requererá o julgamento da Seção de Dissídios Coletivos (SDC), do TRT/SP, das cláusulas que não tiveram acordo e da correção da estrutura salarial dos engenheiros, de acordo com o piso salarial da categoria estabelecido pela Lei nº 4.950-A/66.


 

Edição Rosângela Ribeiro Gil
Imprensa SEESP








Os engenheiros da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), em assembleia geral extraordinária nesta quinta-feira (11/6), decidiram pela aprovação da proposta apresentada pela empresa na quarta Audiência de Instrução e Conciliação do Dissídio de Greve, no mesmo dia, no Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo (TRT/SP) 2ª Região. Por isso, também suspenderam a greve agendada para o dia 15 de junho próximo.

Entre outros itens, a proposta aprovada define reajuste linear de 8,25%, correspondente ao Índice de Preços ao Consumidor da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (IPC-Fipe) mais 1,5% de aumento real, retroativo a data-base 1º de março, sobre os salários e demais benefícios de caráter econômico; reajuste adicional de 3,4%, a partir de 1º de outubro de 2015, sobre o vale-alimentação, totalizando, a partir dessa data, 11,94% de reajuste sobre esse item, cujo valor de face será de R$ 276,50 nesse momento; reajuste adicional de 1,6%, a partir de 1º de outubro de 2015, sobre o vale-refeição, totalizando, a partir dessa data, 10% de reajuste sobre esse item, cujo valor de face será de R$ 660,00 nesse momento; reajuste linear de 8,25% incidirá também sobre o valor mínimo do Programa de Participação nos Resultados (PPR) a ser pago. Os indicadores do PPR continuam a ser discutidos entre as partes.

E também submeter a julgamento da Seção de Dissídios Coletivos (SDC) do TRT 2ª Região as cláusulas não consensadas e quanto à correção da estrutura salarial dos engenheiros, aguardar o retorno do Conselho de Defesa dos Capitais do Estado (Codec), no prazo de  até 10 dias, estabelecido na audiência do TRT, e, caso contrário aos anseios da categoria, submeter a questão a julgamento da SDC do TRT 2ª Região.

 

 

 

 

Imprensa SEESP

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Em assembleia realizada nesta quinta-feira (21/5), os engenheiros da Companhia Paulista dos Trens Metropolitanos (CPTM) aprovaram a paralisação das atividades a partir da zero hora do dia 27 próximo (quarta-feira). A decisão foi tomada porque a empresa, em mesa de negociação para renovação do Acordo Coletivo de Trabalho 2015, ofereceu proposta salarial insuficiente e sem atender às reivindicações da categoria. A empresa já foi comunicada sobre a decisão.

O SEESP está aberto às negociações e espera que a CPTM reveja a sua posição e valorize os seus profissionais apresentando uma proposta mais decente.

Nova assembleia
Os engenheiros se reúnem, em nova assembleia, no dia 26 de maio, às 18h (segunda convocação), na sede da Associação dos Engenheiros da Estrada de Ferro Santos-Jundiaí (Rua José Paulino, 7, Bom Retiro – São Paulo/SP), para avaliar qualquer fato novo na campanha e definir os próximos passos da mobilização da categoria.


Ilustração Maringoni/SEESP
CPTM Maringoni editado 



Rosângela Ribeiro Gil
Imprensa SEESP









 

Os engenheiros da CPTM, em assembleia geral extraordinária no dia 8 de maio último, insatisfeitos com a posição da empresa nas negociações coletivas de trabalho, principalmente no que tange à iniciativa de atrelar o pagamento da PPR 2015 à aceitação do índice de reajuste proposto pela empresa, extensivo às demais cláusulas de ordem econômica, deliberaram por:

* Rejeitar a proposta da empresa de 6,65% de reajuste nas cláusulas de ordem econômica;

* rejeitar a vinculação/concessão do PPR à aceitação da proposta da empresa;

* reiterar a manutenção de todas as cláusulas econômicas e as ainda não consensadas da pauta de reivindicação da categoria;

* autorizar o SEESP a assinar o ACT parcial das cláusulas já consensadas;

* manter abertas as negociações;

* manter a assembleia aberta em caráter permanente até o fechamento da Campanha Salarial de 2015;

* decretar estado de greve e aguardar um novo posicionamento da empresa para definir os rumos da campanha; e

* autorizar o encaminhamento para dissídio, em conjunto com a empresa, de todas as cláusulas não consensadas, somente depois de esgotadas todas as tratativas de negociação.

Ainda em relação à assembleia, pontuamos abaixo as questões mais debatidas/reivindicadas e que tiveram uma calorosa discussão, e que, portanto, requerem uma solução urgente:

* Piso salarial dos engenheiros;

* aumento real;

* plano de Previdência Privada (Refer); e

* benefício Saúde – ter outro modelo, onde o empregado possa ter a opção em ter o plano de saúde oferecido pela empresa ou receber um auxílio-saúde, como praticado anteriormente.


Foto: Beatriz Arruda
CPTM 08MAI2015 editada 
Assembleia do dia 8 discutiu contraproposta econômica da companhia 



Imprensa SEESP







As conversações salariais com a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) entraram num impasse, porque a empresa, no dia 27 de abril último, na última rodada de negociação, voltou a dizer que não tem nada a apresentar em relação às reivindicações de caráter econômico da categoria. Os sindicatos, por sua vez, reafirmaram posição pelo prosseguimento das negociações e pela unidade nas ações em defesa dos direitos dos profissionais.

A próxima reunião com a CPTM está marcada para esta quinta-feira (7/5). E as categorias realizam, no dia 8, assembleias gerais extraordinárias para avaliar as negociações, definir os próximos passos da campanha salarial e discutir e deliberar sobre a possibilidade de fazer greve em data ainda a ser definida.

A assembleia dos engenheiros será nesta sexta-feira (8/5), às 13h (segunda convocação), na sede da Associação dos Engenheiros da Estrada de Ferro Santos-Jundiaí (Rua José Paulino, 7, Bom Retiro – São Paulo/SP).


Campanha salarial Laerte home
Engenheiros da CPTM na luta por direitos e por valorização profissional


 

Rosângela Ribeiro Gil
Imprensa SEESP








Frente à impossibilidade de haver consenso entre a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e o SEESP em relação ao piso salarial dos engenheiros na companhia, em audiência realizada, nesta segunda-feira (30/7), no Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos Coletivos (NCC) do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) - 2ª Região, o núcleo propôs, em nome da isonomia com outras empresas do setor público do Estado de São Paulo, a aplicação, pela CPTM, do piso de R$ 6.154,00 para a categoria, dando prazo de 30 dias para a empresa se pronunciar a respeito.


 

Imprensa SEESP









Em assembleia realizada na tarde desta quarta-feira (14/5), os engenheiros da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), juntamente com os ferroviários, rejeitaram a nova contraproposta econômica da empresa e decidiram suspender a paralisação das atividades, que estava prevista para zero hora desta quinta-feira (15). Mas está mantido o estado de greve e nova assembleia será realizada no dia 19, às 18h, quando se deliberará pelo início de movimento grevista a partir da zero hora do dia 20 de maio.

* TRT propõe à CPTM adotar piso salarial dos engenheiros

Na segunda reunião, no Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos Coletivos (NCC), do Tribunal Regional do Trabalho 2ª Região, no dia 14, os representantes da CPTM apresentaram a nova contraproposta econômica considerada, pelos sindicatos, como insuficiente ao pleito das categorias. Entre os itens, destacam-se: reajuste salarial de 7%; vale-refeição com 24 cotas mensais de R$ 25,00 (correspondendo a 18,6% de aumento no valor total atual por mês); vale-alimentação de R$ 160,00 por mês (correspondendo a 60% de aumento em relação ao valor atual); reajuste dos demais benefícios de caráter econômico, pelo mesmo índice do reajuste salarial; pagamento do Programa de Participação nos Resultados (PPR) de 2014, com garantia de um mínimo de R$ 3.500,00 por empregado, vinculado ao cumprimento das metas e resultados; constituição de comissão para discussão do Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) no prazo máximo de 60 dias.


Foto: Beatriz Arruda
CPTM 14MAI2014Trabalhadores da CPTM em assembleia nesta quarta-feira, 14
 

Em relação ao piso salarial conforme determina a Lei 4.950-A/66, os engenheiros acataram sugestão do tribunal de criação de comissão junto ao NCC para discussão e implantação do piso no prazo de 30 dias, com pagamento retroativo à data-base. 

O SEESP destaca que as negociações do Acordo Coletivo de Trabalho 2014 estão em fase decisiva o que exige a participação de todos os engenheiros nas atividades da campanha salarial. Por isso, todos devem comparecer à assembleia do dia 19 de maio (segunda-feira), às 17h30 (1ª convocação) e às 18h (2ª convocação), na sede da Associação dos Engenheiros da Estrada de Ferro Santos-Jundiaí (Rua José Paulino, 7, Bom Retiro, São Paulo), para avaliar e deliberar sobre os próximos encaminhamentos de mobilização. Nova reunião no NCC/TRT com a CPTM está marcada para o dia 19, às 13h.

Leia neste link a íntegra da ata da reunião entre os sindicatos e a CPTM, no TRT, no dia 14.

 


 

Rosângela Ribeiro Gil
Imprensa - SEESP










Em reunião do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos Coletivos, na segunda-feira (12/5), com o SEESP, os sindicatos dos ferroviários e a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), em função de medida cautelar solicitada pela empresa, o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) formalizou proposta conciliatória, cujo um dos itens é que a companhia adote o piso salarial dos engenheiros, conforme a Lei 4.950-A/66, uma das bandeiras de luta da categoria. Uma nova rodada de negociação foi marcada para às 14h30 desta quarta-feira (14/5). A empresa deverá comparecer com sua posição e estar representada, no ato, por negociadores com poder de decisão. No mesmo dia ocorre uma assembleia geral extraordinária na sede da Associação dos Engenheiros da Estrada de Ferro Santos-Jundiaí, às 17h30, no Bom Retiro, para avaliar uma possível nova contraproposta.

 

Foto: Beatriz Arruda
audiencia conciliacao TRT CPTM
Trabalhadores aguardam resultado de audiência, no TRT-2ª Região, no dia 12



Também destacam-se na proposta: reajuste salarial de 5,39% na data-base, com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (INPC/IBGE) mais aumento real de 2,5%, totalizando 8,03%, extensível aos demais benefícios de caráter econômico; aumento de 28,1% no montante total de vales-refeição, que passaria a corresponder a 24 cotas de R$ 27,00; R$ 247,96 de vale-alimentação (48% de aumento em relação aos R$ 100,00, previstos no último acordo); pagamento do Programa de Participação nos Resultados (PPR) de 2014, com garantia de um mínimo de R$ 4.000,00 por empregado, independente do cumprimento de metas e resultados.


Os engenheiros da CPTM já haviam rejeitado a proposta final apresentada pela empresa, em assembleia na quinta (8), e decidiram aderir à greve dos trabalhadores marcada para a partir da zero hora da quinta-feira (15). A proposta não condiz com o trabalho e os resultados satisfatórios alcançados nos últimos anos, por todos os empregados da CPTM. Eles reivindicam reajuste da inflação mais ganho real de 7,5%; reajuste do vale-refeição de R$ 23,00 para R$ 27,00; reajuste do vale-alimentação de R$ 100,00 para R$ 200,00; cumprimento do acordo de 2013 quanto ao piso salarial dos engenheiros, de nove salários mínimos, entre outros itens.

Assembleia Geral Extraordinária
Data: 14 de maio de 2014 (quarta-feira)
Horário: 17h30 (1ª convocação) e 18h (2ª convocação)
Local: Sede da Associação dos Engenheiros da Estrada de Ferro Santos-Jundiaí (Rua José Paulino, 7, Bom Retiro – São Paulo/SP)
Pauta: Avaliação e deliberação sobre os próximos encaminhamentos de mobilização da categoria.



Imprensa - SEESP






 

Os engenheiros da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) refutaram a proposta final apresentada pela empresa, em assembleia na quinta (8/5), e decidiram aderir à greve dos trabalhadores marcada para a partir da zero hora da quinta-feira (15). Segundo o Sindicato dos Engenheiros no Estado de São Paulo (SEESP), a proposta não condiz com o trabalho e os resultados satisfatórios alcançados nos últimos anos, por todos os empregados da CPTM.

Foto: Beatriz Arruda/SEESP
greve cptm 2014
Assembleia dos engeheiros da CPTM define greve a partir de quinta


Diante disso, os cerca de 300 profissionais da categoria que atuam na empresa reivindicam: reajuste da inflação mais ganho real de 7,5%; reajuste do vale-refeição de R$ 23 para R$ 27; reajuste do vale-alimentação de R$ 100 para R$ 200; cumprimento do acordo (de 2013) do piso salarial dos engenheiros – definido na lei 4.950/66 -, de nove salários mínimos, entre outros itens.

No início da tarde desta segunda (12), ocorre uma audiência de conciliação, a pedido da empresa, no TRT 2ª Região. 




Imprensa SEESP






Os engenheiros da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) estão convocados para assembleia geral extraordinária, nesta sexta-feira (17/01), às 12h30 (em segunda convocação), na sede da Associação dos Engenheiros da Estrada de Ferro Santos-Jundiaí (Rua José Paulino, 7, Bom Retiro, SP). É o início da campanha salarial de 2014.

Os itens da assembleia: discussão e aprovação da pauta de reivindicações da categoria, visando o início das negociações da data-base de 1º de março; delegar poderes para a direção do SEESP dar início às negociações coletivas, assinar Acordo Coletivo de Trabalho ou instaurar Dissídio Coletivo; e fixação dos valores e autorização para desconto em folha da Contribuição Assistencial e/ou Confederativa e/ou Profissional e/ou Negocial.

 

Imprensa - SEESP

Página 2 de 3

agenda