GRCS

30/04/2021

Centrais persistem na luta por Emergencial de R$ 600,00

Agência Sindical

 

Às vésperas do 1º de Maio, o sindicalismo está na ofensiva. Terça-feira (27/4), em reunião com o deputado Arthur Lira, presidente da Câmara dos Deputados, as centrais sindicais cobraram votação da Medida Provisória (MP) 1.039/2021, que retoma o valor do Auxílio Emergencial de R$ 600,00.

 

Os dirigentes reivindicam que o benefício, agora entre R$ 150,00 e R$ 375,00, seja reajustado com urgência, com parcelas até o fim da pandemia. Também participaram representantes dos movimentos sociais e deputados de oposição.

 

Lira reconheceu o agravamento da situação e o aumento da fome entre os brasileiros. Mas, segundo os sindicalistas, ele não se comprometeu em colocar a MP para votação.

 

Para Sérgio Nobre, presidente da CUT, o País caminha pro colapso. “Estamos muito preocupados com o crescimento absurdo da fome e do desemprego. A pandemia é muito mais grave do que era um ano atrás e naquele período havia Auxílio de R$ 600,00”, diz.

 

O retorno do Emergencial em R$ 600,00 é uma das bandeiras do 1º de Maio Unitário das Centrais. Pelo segundo ano consecutivo, o ato do Dia Internacional do Trabalhador será virtual. No momento em que o Brasil ruma para as 400 mil mortes por Covid-19, o evento é pela Vida – Democracia, Emprego e Vacina para Todos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Lido 52 vezes

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

agenda