GRCS

12/12/2019

Como deve ser a escolha do procurador-geral da Justiça do Estado

 

Comunicação SEESP

 

Mudança no processo para aprovação do profissional que ocupará o cargo de procurador-geral da Justiça do Estado é objeto da Proposta de Emenda à Constituição nº 14/2019, em tramitação na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp). De autoria do deputado estadual Campos Machado, líder da bancada do PTB, e de um conjunto de outros parlamentares, a PEC em questão estabelece a obrigatoriedade, como ocorre no Congresso Nacional, de que o nome indicado previamente pelo Governador, a partir de uma lista tríplice para comandar o Ministério Público Estadual (MPE), seja sabatinado pela Alesp.

 

Campos Machado, um dos autores da PEC 14/2019. (Foto: Divulgação / PTB)

 

Atualmente, esse processo se encerra com a decisão do chefe do Executivo paulista. A Proposta de Emenda à Constituição do Estado apresenta a arguição pública e aprovação prévia do Legislativo como requisito indispensável. Conforme sua justificativa, “obedece ao princípio da simetria com a Constituição Federal, que no seu artigo 52, inciso III, letra ‘e’, confere competência ao Senado para aprovar, previamente e após arguição pública, a escolha do procurador-geral da República, que é o titular-chefe do Ministério Público Federal”. Ainda de acordo com o texto, vai “ao encontro da própria atribuição da Assembleia Legislativa no controle externo” do MPE, prevista no parágrafo 3º do artigo 93, Seção I, da Constituição do Estado.

 

 

 

Lido 327 vezes

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

Oportunidades Plataforma 29 04 1

VAGAS DE ESTÁGIO DE ENGENHARIA

agenda