GRCS

25/10/2017

EMTU recebe grupos da Maratona de Inovação do Isitec

Comunicação Isitec*

Os três grupos finalistas da primeira Maratona de Inovação do Instituto Superior de Inovação e Tecnologia (Isitec), realizada nos dias 16 e 17 de setembro último, deram o primeiro passo na caminhada de transformar projetos em soluções realizáveis de melhoria no transporte metropolitano sobre rodas. Promovida pela Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo (EMTU/SP) e o Instituto Superior de Inovação e Tecnologia (Isitec), a disputa selecionou proposta de tarifação inteligente, monitoramento em tempo real e sustentabilidade. Durante seis meses, os desenvolvedores ficarão incubados no E-Lab da EMTU/SP.

No dia último dia 20, os gestores da EMTU recepcionaram os jovens e apresentaram as instalações da empresa, sediada em São Bernardo do Campo. Os grupos também conheceram a Metra, concessionária que opera o Corredor ABD. A coordenadora do Núcleo de Parcerias + Inovação da EMTU, Renata Veríssimo, recepcionou os alunos e explicou que os gestores da empresa atuarão como mentores dos projetos durante o período no qual os jovens desenvolvedores ficarão incubados. “Eles terão também mentoria acadêmica científica dos professores do Isitec”, acrescentou.

Os jovens receberão declaração de estágio não remunerado, segundo Veríssimo. “Nossos alunos estão acostumados a desafios e até checaram a viabilidade dos projetos”, salienta o diretor geral do Isitec, Saulo Krichanã Rodrigues, ao valorizar a parceria entre EMTU e Isitec. A gerente de Tecnologia da Informação, Cilena Mainente, deu boas vindas aos grupos. “Daremos todo o apoio para que os projetos de vocês tenham vida longa”, ressaltou.

Os estudantes foram acompanhados por funcionários da EMTU que falaram sobre a empresa de acordo com cada trabalho proposto. O professor José Marques Póvoa, diretor de Graduação do Isitec, ressaltou a importância da relação entre ensino acadêmico e relacionamento direto com empresas. “Os estudantes precisam conhecer e testar na prática o que aprendem dentro das universidades e os laboratórios de incubação de projetos são excelentes para o aprimoramento do conhecimento”, afirmou.

Estiveram presentes na ocasião os diretores da Isitec  Saulo Krichanã e José Marques Póvoa, o professor Diogo Dutra, o assessor Heitor Kawano, representando o diretor de Gestão Operacional, Marco Assalve, membros do colegiado do Núcleo de Parcerias +Inovação,  gerentes, chefes de departamento e mentores da EMTU.


Monitoramento

Os alunos Gideão Gomes da Silva e Lucy Anne de Omena, membros do grupo Hackafé, levaram à empresa a proposta de um monitoramento em tempo real. “Nosso projeto é eliminar zonas de sombra, locais em que o GPS do ônibus não tem sinal de rede móvel e o coletivo desaparece do mapa do sistema”, esclareceu Silva.

A solução proposta integrará os dados do GPS (georreferenciado) com os do validador (instalado no ônibus) e, assim, a informação chegará à companhia sem interrupções. “Também haverá histórico geral do que ocorre com os ônibus durante o trajeto”, adicionou Omena.


Bilhetagem

Sandor Fleury, Felipe Carvalho, Ellen Fleury e Guilherme Fernandes são os alunos que compõem o grupo SFEG, que propõe a inclusão de um segundo validador no ônibus para informatizar a cobrança de tarifa proporcional ao trecho percorrido das linhas seccionadas, que são as de longa distância (acima de 30 quilômetros). “Vamos criar um software para pagamento da tarifa pelo cartão BOM, de acordo com o trecho percorrido”, disse Sandor Fleury.

Ellen relata que contataram a empresa fabricante do validador, pois os ônibus terão que dispor de dois equipamentos; no validador da entrada, o passageiro informa o destino e paga pelo trecho; no da saída, confirma o valor cobrado. “Se a pessoa não validar, a cobrança será pelo valor integral do percurso. Isso é para evitar fraude”, destacou Carvalho.


Meio ambiente

Atentos à necessidade de reduzir a emissão de poluentes na atmosfera, os alunos do grupo CQV, Giovanni Bevilacqua, Vivian Baena, André Arahawa e Pedro Luiz Silveira propõem instalar sensor de poluentes acoplado aos coletivos e nas entradas das garagens. “O sensor captará emissão em tempo real e terá leituras mais dinâmicas. Se o veículo estiver poluindo além do permitido, será possível perceber rapidamente e evitar multa”, explicou Bevilacqua. E acrescentou: “também será possível identificar problemas nas velas, bombas injetoras e outros problemas mecânicos”.

 

Fotos: Comunicação Interna da EMTU
Isitec na EMTU 1
Estudantes conhecem departamentos e núcleo de inovação da EMTU.

 

 

 

 

 

*Com informações da Comunicação Interna da EMTU e Diário Oficial Poder Executivo – Seção II – 23/10/2017

 

 

 

 

Lido 1185 vezes

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

Oportunidades Plataforma 29 04 1

VAGAS DE ESTÁGIO DE ENGENHARIA

agenda