GRCS

02/03/2016

GM de São Caetano planeja cortar 1.500 trabalhadores

Maringoni trabalhadoresA General Motors informou, no dia 29 último, ao Sindicato dos Metalúrgicos de São Caetano a intenção de demitir 1.500 trabalhadores que estão com os contratos suspensos na modalidade layoff. Os desligamentos ocorreriam ainda nesta semana. “Não concordamos com essa atitude da empresa e marcamos uma reunião nesta terça-feira para encontramos juntos uma solução que seja menos dolorosa para os trabalhadores”, afirmou o presidente do sindicato, Aparecido Inácio da Silva, o Cidão.

A empresa tem 2.250 funcionários afastados através de regime de layoff. A GM informou ao sindicato que aproximadamente 400 metalúrgicos deste total devem ser convocados ao trabalho para reiniciar o segundo turno de produção.

Ao contrário de outras montadoras da região, a GM não adotou o PPE (Programa de Proteção ao Emprego). O próprio sindicato sempre considerou que o PPE não era uma boa alternativa, mas já cogita mudar de ideia por conta do risco de as demissões anunciadas pela montadora se concretizarem.

 

Imprensa SEESP
Com informações do Repórter Diário

 

 

 

 

 

 

Lido 1280 vezes

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

agenda