GRCS

OPINIÃO - Amaury, o melhor candidato ao Crea-SP

Avalie este item
(0 votos)

Edilson Reis


         Poucos são os que têm a oportunidade de participar de reuniões com dirigentes de entidades da área tecnológica atentas ao Sistema Profissional Confea/Creas, instituição que rege a regulamentação, mercado de trabalho e fiscalização do exercício profissional.

         Nesse contexto, a FNE (Federação Nacional dos Engenheiros) e seus sindicatos filiados têm a missão, os meios e a representatividade para interferir crítica e criativamente para modificação do cenário nacional, uma vez que representam um universo de profissionais ligados aos setores da ciência, engenharia, tecnologia e inovação.

         Entre os projetos de alcance nacional discutidos nessa comunidade, destaco a criação do Isitec (Instituto Superior de Inovação e Tecnologia), o lançamento do projeto “Cresce Brasil + Engenharia + Desenvolvimento”, referência para o desenvolvimento de políticas públicas e, mais recentemente, o lançamento da candidatura do presidente da Delegacia Sindical do SEESP em São José do Rio Preto, engenheiro Amaury Hernandes, à Presidência do Crea-SP.

         Convidado para coordenação-geral da campanha, imediatamente aceitei pelo fato de o candidato possuir atributos e a experiência necessários para contrapor ao velho Crea existente (de poucos para poucos) a proposta de um novo Crea, em favor dos profissionais e da sociedade brasileira.

         Há muito, os profissionais da tecnologia do Estado de São Paulo clamam por mudanças no Crea-SP, transformado, nos últimos 30 anos, num sistema cartorial e arrecadador que não atende às necessidades dos profissionais, das empresas e tampouco cumpre com as suas responsabilidades para com a sociedade. Embora conte com um considerável volume de recursos – provenientes das anuidades e das altas taxas que cobra de profissionais e empresas –, o Crea-SP não cumpre o seu papel de órgão fiscalizador como deveria. Não obstante abrigue categorias profissionais diretamente ligadas à tecnologia, dispõe de um sistema de informação anacrônico, dispensando precário e moroso atendimento àqueles que dele necessitam para obtenção de documentos.

         A candidatura de Amaury Hernandes é a que melhor expressa o sentimento de mudanças preconizado pelos profissionais paulistas para o seu conselho. É um candidato jovem, porém experiente, e disposto a promover as transformações que o Crea-SP precisa. Conta com o dinamismo e a determinação necessários para enfrentar a inércia e o anacronismo resultantes de sucessivas gestões nocivas e descompromissadas com os anseios dos seus representados.

         Nesse sentido, Amaury tem como compromisso firmado com os profissionais a implantação de um sistema integrado de informação para todos os processos e produtos da autarquia, de maneira a permitir a obtenção de documentos com facilidade e comodidade pela internet, uniformizando os procedimentos.

         Vai promover uma gestão administrativa e financeira transparente e sem favorecimentos ou discriminação, privilegiando o debate aberto com entidades de classe, empresariais e associativas e disponibilizando as informações de forma a tornar democráticas e representativas as decisões e ações do nosso conselho.

         Uma instituição como o Crea-SP deve refletir a importância dos setores da tecnologia, empresas e profissionais para o desenvolvimento do País e a geração de emprego e riqueza, que implementam o crescimento e a qualidade de vida da população. Nesse aspecto, contemplado no conjunto de propostas do programa de gestão de Amaury Hernandes, é fundamental inserir o conselho no âmbito dos debates e formulações de políticas e programas que envolvam os setores da tecnologia, empresas e profissionais em projetos que beneficiem a sociedade.

         O apoio do SEESP à candidatura de Amaury tem como alicerce um arrojado e objetivo plano de gestão amplamente discutido e que representa os reais anseios dos profissionais paulistas. Entre esses, estão ainda a proteção do mercado de trabalho brasileiro da invasão irregular por estrangeiros, o compromisso com programas de apoio à requalificação das categorias abrangidas pelo Crea-SP e a fiscalização do cumprimento do salário mínimo profissional.


Edilson Reis é diretor do SEESP e coordenador de campanha do candidato à Presidência do Crea-SP Amaury Hernandes




 

Mais nesta categoria: EDITORIAL - Hora de ir às urnas »

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

VAGAS DE ESTÁGIO

agenda