GRCS

Mostrando itens por marcador: emprego

Comunicação SEESP*

Diversas empresas dão início aos seus programas de estágio e trainee, oportunidades ao profissional já formado ou ao estudante de adquirirem mais conhecimento e experiência. São vagas destinadas a diversas áreas, dentre elas à engenharia, com atuação em São Paulo e em outros estados. Confira.

Trainees

Avon
Podem participar da seleção os profissionais formados entre dezembro de 2015 e fevereiro de 2018 nos cursos de engenharia, administração de empresas, economia, comunicação social, ciências atuariais, ciências contábeis, relações internacionais, matemática aplicada a negócios, publicidade e propaganda, marketing, estatística e ciências sociais. O programa começa em março e dura dois anos.

Inscrições até 21/1
Site: http://matchboxbrasil.com/

Embraer
Para participar do programa, é preciso ter formação universitária concluída entre julho de 2015 e dezembro de 2017, nas áreas de recursos humanos, financeira, operações (TI, Suprimentos, CSI, PCP), tecnologia, mercado de defesa & segurança e inovação. O programa tem duração de um ano e meio.

Inscrições até 22/1
Site: https://embraer.com/br/pt/junte-se-a-nos

Estágios             

Amazon
São 48 vagas em diversas áreas para atuação em São Paulo.

Inscrições até 20/1
Site: www.ciadeestagios.com.br

Basf
Oportunidade para todas as áreas e cursos, como direito, psicologia, marketing, matemática, administração, contábeis, química, farmácia, publicidade, biblioteconomia, todas as engenharias e outras. Além do salário, são oferecido benefícios como seguro de vida e assistência médica e odontológica.

Inscrições até 30/1
Site: www.ciadeestagios.com.br/basf

Scania
São 25 vagas para São Bernardo do Campo de nível superior e técnico em diversos cursos.

Inscrições até 30/1
Site: www.ciadeestagios.com.br/scania

OdontoPrev
A companhia busca estudantes que estejam cursando o penúltimo ou o último ano de bacharelado em administração, odontologia, engenharias, direito, psicologia, ciência da computação e análise de sistemas, atuação em Barueri (SP), nas áreas de TI, jurídico, auditoria clínica (odontologia), marketing, recursos humanos e financeiro.

Inscrições até 12/1
Site: https://odontoprevcdt.elancers.net/frames/odontoprev/frame_geral.asp

AngloGold Ashanti
São aceitos estudantes com previsão de formatura em dezembro de 2018 dos cursos de engenharia civil, engenharia de minas, engenharia química, engenharia elétrica, direito, engenharia de produção, engenharia ambiental, engenharia de controle e automação, engenharia mecânica, geologia, geografia, comércio exterior, economia, história, comunicação, administração, sistemas de informação, psicologia ou nutrição. É preciso ter disponibilidade para trabalhar nas cidades de Santa Bárbara (MG), Caeté (MG), Sabará (MG) e Nova Lima (MG).

Inscrições até 21/1
Site: https://www.vagas.com.br/

Amgen
A empresa busca universitários com previsão de formatura entre dezembro de 2019 e dezembro de 2020. Os cursos mirados são farmácia, administração, engenharia, biomedicina, biologia, marketing, relações públicas, publicidade e propaganda, comunicação social, jornalismo, letras, psicologia e turismo. Os candidatos devem ter inglês avançado e domínio do pacote Office. As vagas são para atuar na sede administrativa, localizada na cidade de São Paulo, e também na unidade fabril em Taboão da Serra.

Inscrições até 28/1
Site: http://www.pagetalent.com.br/

Banco DLL
Oportunidades na área de cadastramento de clientes e operações para trabalhar em Alphaville (SP). Podem se candidatar estudantes do período noturno de administração de empresas e de engenharia de produção com conclusão da graduação prevista para o período entre julho e dezembro de 2019. Inglês avançado e Excel intermediário são requisitos.

Inscrições até 30/1
Site: http://www.pagetalent.com.br/

Banco Toyota
Oportunidades em São Paulo (SP) na área de cobrança para estudantes do período noturno de ciência da computação, engenharia de computação, engenharia de produção. A conclusão da graduação deve estar prevista para a partir de 2019. Inglês intermediário/avançado e Excel avançado são requisitos.

Inscrições até 30/1
Site: www.pagetalent.com.br

Bollhoff
Vagas nas áreas de finanças e engenharia de processos para trabalhar em Jundiaí. Para as últimas, podem participar estudantes de engenharia de produção, engenharia mecânica e de engenharia de manufatura que vão se formar entre dezembro de 2018 e dezembro de 2019. Inglês intermediário e Excel intermediário.

Inscrições até 30/1
Site: http://www.pagetalent.com.br/

Czarnikow
Oportunidades em São Paulo (SP) na área de market research para estudantes de administração de empresas, economia e engenharias que devem se formar entre dezembro de 2018 e dezembro de 2019. Os candidatos devem ser do período matutino. Inglês avançado ou fluente e Excel avançado são requisitos.

Inscrições até 30/1
Site: http://www.pagetalent.com.br/

Keysight
Estágio para estudantes de engenharia de computação, engenharia elétrica, engenharia de controle e automação e engenharia eletrônica com formatura prevista para o período entre dezembro de 2018 e dezembro de 2019. Inglês avançado e Excel avançado são requisitos.

Inscrições até 30/1
Site: http://www.pagetalent.com.br/

Techint
Oportunidades nas áreas de engenharia de produção, engenharia civil, propostas, cadastro de propostas, engenharia elétrica, direito trabalhista, tributário e finanças. As vagas são para São Paulo (SP) e inglês avançado é exigido para todas elas.

Inscrições até 30/1
Site: http://www.pagetalent.com.br/ 

*Com informações de Companhia de Estágios e Blog Você S/A – Exame.com

 

 

Comunicação SEESP*

Diversas empresas estão com inscrições abertas para programas de trainee com início em 2018. As vagas são destinadas a recém-formados, nas áreas de humanas e exatas. Ambas pedem conhecimento da língua inglesa. Confira:


Laureate

Rede mundial de instituições de ensino superior, presente em 25 países. No Brasil, é formada por 12 instituições de ensino superior que possuem mais de 50 campi em oito estados. O programa tem duração de 24 meses, com participação em projetos da empresa, job rotation, sessões de coaching e treinamentos. Saiba mais em: https://goo.gl/C5JLBE


Centauro

Maior rede de lojas de produtos esportivos da América Latina, a empresa conta com 186 lojas em mais de 20 estados brasileiros, além do e-commerce. É necessário formação superior concluída entre julho de 2015 a dezembro de 2017. Saiba mais em: https://goo.gl/2qix5Q


Johnson & Johnson

Maior empresa do mundo no segmento de higiene e saúde, com produtos vendidos em mais de 175 países. O programa tem duração de dois anos e será acompanhado por um time composto por líderes sêniores da organização, RH e consultores de desenvolvimento. É necessário conclusão da graduação entre dezembro de 2015 a dezembro de 2017. Saiba mais em: https://goo.gl/vGHfcP

 

 

*com informações do Núcleo Jovem Engenheiro

 

 

 

 

Da Agência Fapesp*

O Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) abriu inscrições para o Concurso Público de Provas e Títulos para provimento de 60 vagas para o cargo efetivo de professor para a carreira do magistério superior.

As inscrições, que se encerram em 31 de outubro próximo, podem ser realizadas presencialmente no horário das 8 às 11h e das 14 às 17h, diariamente, exceto feriados ou dias em que não haja expediente no ITA, na Sala da Vice-Reitoria do ITA – sala 2.037, por via postal ou internet.

O edital do concurso contendo os campos de conhecimento e as áreas de especialização, informações sobre a realização das provas e as demais informações pertinentes aos concursos; a ficha de inscrição e outros documentos e/ou informações podem ser acessados no endereço http://www.ita.br/concurso.

Mais informações podem ser obtidas com a Comissão Especial de Concursos 2017 pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..


* Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

 

Do site da Bunge

O grupo ligado ao agronegócio e ao setor de alimentos, está divulgando seu "Programa Jovens Engenheiros" com vagas para vários estados brasileiros. As vagas, segundo a Bunge, é para profissionais formados de quatro a cinco anos em Engenharias: Mecânica, Agrícola, Agronômica, Química, Elétrica, Instrumentação, Produção, Alimentos ou Eletromecânica. A empresa é responsável pelas marcas Soya, Delícia, Primor, Salada, Cardeal, Salsaretti, Suprema e Gradina. As inscrições devem ser feitas até 19 de outubro. 

O programa, de acordo com a empresa, tem como objetivo preparar jovens engenheiros para assumirem futuras posições de liderança, através de atividades multifuncionais que possibilitam o desenvolvimento de capacidades técnicas e competências ligadas à gestão e liderança desses profissionais. Ao todo, são 15 vagas, distribuídas nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso, Tocantins e Pernambuco, locais onde o grupo tem unidades.

>> Confira mais informações sobre a oportunidade, como qualificação e inscrição aqui.

 

 

Comunicação SEESP


O diretor da Organização Internacional do Trabalho (OIT) parabenizou a CNTU pela iniciativa do projeto "Rumo ao Brasil 2022", diante do atual contexto de crise política e econômica. Peter Poschen, que falou sobre a importância do trabalho para o desenvolvimento do País durante a 11ª Jornada Brasil Inteligente, ocorrida no dia 18 de agosto último, também concedeu na ocasião uma entrevista exclusiva ao JE na TV. "O trabalho também é identidade. Temos orgulho do que fazemos. E o brasileiro valoriza muito pouco as competências. E isso deveria ser valorizado. O trabalho e as competências técnicas do trabalhador", disse Poschen.

Na Reportagem, a tentativa de privatizar as companhias estaduais de saneamento em todo o País. Entre os entrevistados, representante do Dieese, Patrícia Pelatieri, aponta que só quem ganha são as empresas.

O JE na TV vai ao ar toda segunda-feira pela TV Aberta São Paulo, ao vivo e em mais de 40 cidades do Estado, sempre tratando de assuntos relevantes à engenharia. Todas as edições ficam também disponíveis no canal do SEESPl do SEESP no Youtube.

A edição que foi ao ar primeiramente na segunda-feira (11/9) pode ser vista abaixo.

https://www.youtube.com/watch?v=nYwCApInrjQ





 

Comunicação SEESP*

Em 22 de agosto último, o Núcleo Jovem Engenheiro do SEESP ministrou a palestra "Engenharia: profissão e mercado de trabalho" para os acadêmicos da área da Universidade Paulista (Unip), na cidade de Bauru, interior de São Paulo. A atividade foi acompanhada pelos diretores da delegacia sindical local, Cezar José Sant´Anna, Luiz Antonio Battaglini e Carlos kirchner.

A instituição de ensino reuniu cerca de 590 estudantes interessados em participar e compreender os desafios da profissão, as responsabilidades e a implantação do Núcleo Jovem Engenheiro na região. A coordenadora do núcleo, Marcellie Dessimoni, ressaltou a importância de os futuros profissionais exercerem o seu papel como protagonistas, contribuindo para o desenvolvimento do Estado e do País. Ela falou também sobre legislação e as exigências do mercado de trabalho atual.


Foto: Jéssica Trindade Passos
Alunos de Engenharia Civil da Unip acompanham palestra do Núcleo Jovem do SEESP.

Sant´Anna discorreu sobre as lutas do sindicato em defesa dos profissionais da área tecnológica desde a sua criação, como pelo cumprimento do piso salarial (Lei 4.950/A-66) e a liderança da entidade no movimento de ciência e tecnologia no Congresso Constituinte, em 1988, cujo papel foi fundamental na inclusão dos artigos 218 e 219 na Carta Magna, que tratam do incentivo ao desenvolvimento científico e a capacitação tecnológica. O dirigente ainda falou sobre a reforma trabalhista transformada na Lei 13.476, sancionada em 13 de julho último, que significará grave retrocesso social.

Já Kirchner apresentou o Programa de Moradia Econômica (Promore), criado há 20 anos pela Delegacia Sindical do SEESP em Bauru com o propósito de facilitar a construção de casas para famílias com renda até cinco salários mínimos. O programa permite também aos recém-formados em Engenharia Civil obterem experiência na sua área de formação, já que são acompanhados de profissionais experientes para orientar os clientes no projeto e execução da obra.

O professor e coordenador do curso de Engenharia Elétrica, Luis Adriano Madalena, recebeu o grupo com grande entusiasmo e ressaltou a importância de iniciativas como essas, promovidas pelo SEESP, que dispõe de profissionais para levar o conhecimento aos estudantes de engenharia.

Para Dessimoni, a palestra foi uma grande oportunidade de apresentar o projeto “Cresce Brasil” e o movimento Engenharia Unida, da Federação Nacional dos Engenheiros (FNE). “Acreditamos que a engenharia é a mola propulsora do desenvolvimento nacional, e a juventude é o presente e futuro desta nação; juntas, transformam e melhoram a vida das pessoas."

Formação do núcleo em Bauru
No dia seguinte (23), a coordenadora do núcleo e a estagiária Jéssica Trindade Passos se reuniram na regional com os diretores Cezar José Sant´Anna e Luiz Antonio Battaglini e os recém-formados Alison Tibúrcio, Sabrina, Thiago Cabestré e Vinicius Pinezi, para discussão e orientação sobre a formação do grupo na região abrangida pela delegacia em Bauru.

Foi apresentado aos profissionais o objetivo do núcleo, que é o de aproximar a juventude da entidade, da luta sindical e do debate sobre o desenvolvimento do País, garantindo ao segmento um espaço para discutir os desafios do ingresso no mercado de trabalho.

Segundo Dessimoni, ficou clara a importância da expansão do Núcleo Jovem Engenheiro para o fortalecimento da Engenharia Unida. "Acreditamos que esse movimento deve estar presente em todas as regiões do Brasil para integrar o jovem à ação pelos seus direitos e responsabilidades como profissionais e cidadãos."


* Com informações de Marcellie Dessimoni e Jéssica Trindade Passos

 

Até o dia 31 de julho próximo estão abertas as inscrições para o concurso público da Universidade Estadual Paulista (Unesp), de Registro, para professor substituto do curso de Engenharia Agronômica, nas disciplinas Topografia e Topografia I. A atuação é para o segundo semestre letivo de 2017 e pelo prazo máximo de cinco meses. Mais informações a respeito em https://goo.gl/Qhkm4V.


Informação da assessoria de comunicação e imprensa da Unesp
Comunicação SEESP

 

 

 

 

A empresa  Crossover, de recrutamento e tecnologia, realizará no próximo dia 29 uma competição em São Paulo, para a contratação de 50 engenheiros de software com alto conhecimento em codificação e Java Script,  que poderão trabalhar à distância, com salário anual de US$ 100 mil, ou R$ 321 mil.

O evento terá duração de um dia, em que os candidatos participarão de uma espécie de hackathon e passarão por uma bateria de testes, além de uma entrevista técnica. A adrenalina compensará os de melhor desempenho nas condições especificadas com uma contratação imediata.

A Crossover atua recrutando pessoal para empresas como Jive, CrazyEgg, Aurea Software e Versata e afirma buscar, com esse tipo de campeonato, aquele 1% de profissionais da mais alta qualificação no mundo.  Evento como esse já foram realizados na África e Leste Europeu.

De acordo com a empresa, os campeonatos se mostraram uma forma mais eficaz e rápida de recrutamento, do que as seleções online, com todas as etapas até a entrevista e contratação final. A metodologia da empresa permite que os engenheiros de software sênior trabalhem remotamente, em qualquer lugar onde estejam, disponibilizando 40 horas semanais para a empresa, em qualquer período, sendo um dia de descanso.

Que tiver interesse e considerar-se com a capacitação para enfrentar a bateria deve se inscrever no site. As vagas para o torneio são limitadas. Dúvidas podem ser esclarecidas diretamente junto à empresa por meio do agendamento de chats

 

Redação Federação Nacional dos Engenheiros (FNE)
Comunicação SEESP

 

 

 

 

O trabalho de organização dos engenheiros paulistas prosseguiu nesta segunda-feira (6/02) em reuniões realizadas nas delegacias sindicais do SEESP em Alta Mogiana-Ribeirão Preto e em Franca. A diretoria executiva, desde o dia 13 de janeiro último, vem se reunindo com as lideranças regionais da categoria no sentido de definir um planejamento de atividades e ações em 2017 em prol dos profissionais e do desenvolvimento do País, com ênfase na criação de oportunidades de emprego no Estado de São Paulo. 

Murilo Pinheiro, presidente do SEESP, acompanhado do vice-presidente João Carlos Gonçalves Bibbo e da coordenadora do Núcleo Jovem Engenheiro, Marcellie Dessimoni, nos dois encontros, fez uma retrospectiva de como foi o ano de 2016 para a categoria, destacando alguns feitos importantes tanto do sindicato como da Federação Nacional dos Engenheiros (FNE), que congrega 18 sindicatos de engenheiros do País. As ações, esclareceu a liderança, tiveram o objetivo de se contrapor ao clima de pessimismo vivido pelo País. Salientou Murilo que as duas entidades apresentaram uma agenda positiva cujo foco foi o desenvolvimento nacional para gerar emprego e renda para os engenheiros e demais trabalhadores. 

Nesse sentido, o movimento Engenharia Unida teve papel fundamental no chamamento às entidades representativas dos engenheiros, desde sindicatos, associações ao Sistema Confea/Creas em torno de uma pauta comum, cujo carro-chefe é o fortalecimento da indústria nacional, da ciência, da tecnologia, da inovação. A Engenharia Unida, informou Murilo, também está engajada na ação que reúne entidades representativas do setor produtivo nacional em defesa da Petrobras e da participação das empresas brasileiras em licitações públicas e de adoção de políticas de conteúdo local em compras do governo. 

Murilo mostrou que o sindicato vem trabalhando no sentido oposto à desmotivação, por isso ressaltou o pioneirismo na criação do Instituto Superior de Inovação e Tecnologia (Isitec), que, desde 2015, vem oferecendo a graduação em Engenharia de Inovação e cursos de pós e especialização em diversas áreas ligadas à área tecnológica. 

Mobilização contra maldades
Da mesma forma que a engenharia precisa estar atenta à macropolítica econômica do País, Murilo destacou que os profissionais da área também precisam estar presentes nas lutas que ocorrerão em 2017 contra as reformas trabalhista, previdenciária e sindical pretendidas pelo Governo Temer. “Não temos dúvida que devemos cerrar fileiras contra os ataques aos direitos constantes na CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) e ao atual regime previdenciário e de assistência social. Os jovens dificilmente conseguirão se aposentar com as alterações pretendidas”, observou. 

As direções das regionais também fizeram um relato das atividades locais e concordaram que a ação sindical deve ser ainda mais reforçada neste ano, assim como incentivar a participação dos jovens estudantes e profissionais da área no sindicato. Especificamente na delegacia de Franca, onde é grande o número de engenheiros lotados na Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), foram levantadas questões específicas sobre a área. O vice-presidente Bibbo destacou a conquista do piso salarial e de todas as ações que vêm sendo feitas em prol da valorização do profissional. 

Presente à reunião de Franca, o presidente da Associação dos Engenheiros, Arquitetos e Engenheiros Agrônomos (Aerf), Ercel Ribeiro Spinelli, realçou a importância do movimento Engenharia Unida, como sendo algo que a categoria da região sempre quis ouvir, com questões concretas voltadas a políticas de crescimento. “Estamos juntos nessa linha e ficamos à disposição”, disse.

Presença
Na reunião de Alta Mogiana-Ribeirão Preto participaram o presidente local Nelson Martins da Costa e os diretores Luiz Gonzaga de Freitas Filho, Carlos Henrique Silva, Abadia Donizete Rezende, Fábio Dias Baptista e Antonio Sérgio Ignacio. Em Franca, o presidente local Marcos Marcelino de Andrade Cason e os diretores José Chozem Kochi e Antonio Carlos Gianotti e os engenheiros da Sabesp Alex Henrique Veronez, Marcos Aurélio Garcia, Maria de Fátima Brito Ferreira e José Marcius Marson Guidi e José Luis Rodrigues Alves, da Enge-Tetos.

Abrangência
Confira as cidades abrangidas pelas delegacias sindicais. Alta Mogiana: Altinópolis, Barrinha, Brodowski, Cajuru, Cássia dos Coqueiros, Cravinhos, Dumont, Guariba, Guatapará, Jaboticabal, Jardinópolis, Luiz Antonio, Monte Alto, Pitangueiras, Pontal, Pradopolis, Ribeirao Preto, Santa Cruz da Esperança, Santa Rosa do Viterbo, Santo Antonio da Alegria, São Simão, Serra Azul, Serrana, Sertãozinho, Taquaral. Franca: Patrocínio Paulista, Itirapuã, Pedregulho, Restinga, Cristais Paulista e Rifaina.

Fotos: Paula Bortolini
Em Alta Mogiana, diretores discutem a intensificação da luta em defesa do engenheiro.

Participação em peso dos engenheiros da Sabesp na reunião de Franca.
 

Rosângela Ribeiro Gil
Comunicação SEESP
Com informação da assessora da Presidência, Paula Bortolini

 

 

 

 

Luciana Tegon EngXXI DivulgaçãoA tecnologia da informação veio para ficar e mudar muitas relações, pessoais e profissionais. Nesta última, como informa a headhunter Luciana Tegon, sócio-diretora da Consultants Group by Tegon – empresa especializada em recrutamento, seleção, outplacement e recolocação –, a entrevista online, por exemplo, é usada há pelo menos dez anos nos Estados Unidos. “Ferramentas de comunicação, no computador, tablet ou celular, se tornaram grandes aliadas das empresas para recrutamento.” Nesta entrevista ao Jornal do Engenheiro, ela aborda o tema e dá algumas dicas importantes aos profissionais.

O que é entrevista digital?

Essa solução começou a ser utilizada para otimizar o tempo, conhecer candidatos que estão a longas distâncias e também por conta dos atrasos das grandes metrópoles. Hoje, no Brasil, o número de entrevistas digitais está em ascensão, mais usualmente pelas videoconferências ou hangouts, justamente para reduzir o tempo de busca de profissionais, que chega a cair de 25 para apenas sete dias. Além disso, podemos entrevistar bons candidatos que estão atualmente empregados e não conseguiriam deixar o local de trabalho para participar.

Como o profissional deve se preparar?

Como qualquer processo seletivo, há regras de comportamento, mesmo que se esteja no conforto de casa. As dicas são:

1. Ambiente da entrevista

É importante ter bom isolamento acústico, silencioso e arrumado. Não é interessante a câmera captar uma cama desarrumada, roupas pela casa – caso seja um quarto – ou brinquedos das crianças em desordem.

2. Conexão de internet e equipamentos

A conexão precisa ser regular para que não afete a entrevista. Há casos em que a videoconferência é interrompida por falha de conexão e isso compromete o tempo do candidato. Equipamentos de som e microfone devem ser conferidos antes.

3. Não atrase

Como qualquer entrevista, combine um dia e horário e seja pontual.

4. Imagem é importante

Estar bem apresentado, assim como numa entrevista presencial, é importante para passar uma boa impressão e responsabilidade.

5. Naturalidade

Treine seu discurso e haja naturalmente com o recrutador. Evite falar demais ou ser disperso. Estar preparado para as perguntas é a melhor opção. Estude e seja você mesmo!

6. E-mail e foto

Certifique-se que seu e-mail é adequado e que a foto de perfil não está informal demais. Além do vídeo, recrutadores observam o comportamento virtual dos candidatos.

 

Rosângela Ribeiro Gil
Comunicação SEESP
Matéria publicada no Jornal do Engenheiro, do SEESP, Edição 500, de fevereiro de 2017

 

 

 

 

 

As inscrições para o Trainee Técnico 2017 da concessionária de ferrovias Rumo – a maior empresa de logística do Brasil – seguem até o dia 15 de outubro. O programa foi lançado no início de setembro e abrange 16 cidades em cinco estados. 

Podem participar candidatos de todo o País que tenham concluído ou estejam concluindo cursos técnicos ou de ensino médio técnico nas áreas de Mecânica, Elétrica, Eletromecânica, Estrada, Edificações ou Infraestrutura. 

A Rumo abriu 30 vagas para o Trainee Técnico 2017, do qual 16 cidades participam – sete em São Paulo (Santos, Paratinga, Rio Claro, Araraquara, Votuporanga, Embu-Guaçu e Limeira), cinco no Paraná (Curitiba, Paranaguá, Ponta Grossa, Rio Negro e Apucarana) e outras quatro em Mato Grosso (Rondonópolis), Mato Grosso do Sul (Chapadão do Sul), Santa Catarina (Mafra) e Rio Grande do Sul (Santa Maria). 

O programa, que tem como proposta a formação do primeiro nível de liderança, busca jovens talentos interessados em trabalhar na maior concessionária de ferrovias do Brasil. Assim, o Trainee Técnico da Rumo abre oportunidades profissionais num setor que registra crescente demanda por serviços. 

O jovem que se inscrever no programa deve ter como objetivo participar ativamente da equipe e estar comprometido com os resultados dele e da Companhia. Esses são considerados requisitos fundamentais para o sucesso do colaborador Rumo. 

O Trainee Técnico tem duração de um ano. O crescimento do colaborador ocorre de acordo com critérios como produtividade e perfil. O processo seletivo consiste em cinco etapas. Após a triagem dos currículos inscritos pela internet, são feitas provas online, seguidas por vídeo pessoal, dinâmica de grupo e entrevistas. Depois disso, ocorre a final regional. No Trainee 2017, a Rumo inseriu a fase de apresentação pessoal por vídeo, com duração de 1 minuto. 

Orientações
Prazo final para inscrições: 15 de outubro. Áreas de formação: técnico ou ensino médio técnico em Mecânica, Elétrica, Eletromecânica, Estrada e Edificações ou Infraestrutura. Que pode se inscrever: formados ou estudantes que concluirão cursos técnicos até dezembro de 2016. Cidades com vagas: Em SP: Araraquara, Embu-Guaçu, Limeira, Paratinga, Rio Claro, Santos e Votuporanga; no PR: Apucarana, Curitiba, Paranaguá, Ponta Grossa e Rio Negro; em SC: Mafra; no RS: Santa Maria; em MS: Chapadão do Sul; em MT: Rondonópolis. Endereço eletrônico para inscrição: http://www.trainee.rumolog.com

Sobre a Rumo 
A concessionária tem 12 mil quilômetros de malha ferroviária, 966 locomotivas, 28 mil vagões e quase 12 mil funcionários diretos e indiretos. Sua capacidade de elevação no Porto de Santos e no Porto de Paranaguá é de 29 milhões de toneladas ao ano. 

A Rumo atua no transporte de produtos agrícolas e industriais em seis estados: São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Oferece serviços que dão suporte às exportações e ao transporte interno de mercadorias sobre trilhos. Além disso, desenvolve projetos ferroviários em parceria com investidores.

 

 

Comunicação SEESP
Informação da Assessoria de Imprensa da Rumo Logística

 

 

 

 

 

 

 

Como tradicionalmente ocorre, o SEESP realizou nesta quarta-feira (27) em sua sede, na Capital, o XVI Seminário de Abertura das Campanhas Salariais. O evento, que tem o objetivo de sedimentar o caminho do diálogo entre capital e trabalho, inaugura o processo rumo às negociações coletivas da categoria – hoje, são 100 mil contemplados, metade dos profissionais no Estado, a maioria com data-base em 1º de maio. Em meio a uma crise política e econômica no País, a atividade apontou as perspectivas na interlocução com as empresas. A principal delas é a preservação de empregos e direitos aos engenheiros.

Murilo Celso de Campos Pinheiro, presidente do sindicato, deu o tom da atividade: “Com otimismo, vamos buscar uma saída sempre. Temos que acreditar, lutar. Resultado bom é resultado de muito trabalho. Temos que ser protagonistas na busca pela retomada do crescimento e desenvolvimento. Precisamos discutir a Engenharia Unida para apresentar propostas factíveis nesse sentido. Somente juntos conseguiremos chegar lá.” Lançado pela Federação Nacional dos Engenheiros (FNE) em 28 de março último, durante a posse de sua nova diretoria, em São Paulo, o movimento Engenharia Unida visa apresentar uma agenda coletiva e positiva ao Brasil. Reúne, assim, diversas entidades e organizações da área, além de instituições de ensino e representantes do setor produtivo empresarial.

O consultor sindical do SEESP, João Guilherme Vargas Netto, apresentou a conexão entre o seminário de abertura das campanhas salariais e a Engenharia Unida: “Provavelmente, depois de anos em que vinha crescendo bem, este adolescente de 16 anos que é nosso seminário terá que enfrentar uma situação de dificuldades. Quando houve problemas em 2008-2009, saímos com o projeto ‘Cresce Brasil + Engenharia + Desenvolvimento” (lançado pela FNE em 2006) com a proposta de superá-los. Hoje, a economia está travada e como elemento negativo da compreensão da realidade, temos a divisão do movimento sindical. A boa notícia é que as necessidades do ‘Cresce Brasil’ se somaram a outro projeto: a Engenharia Unida. O mundo das empresas precisa se sensibilizar a esse movimento e compreender o alcance de sua estratégia, unindo nossos interesses na perspectiva de retomada do crescimento para iluminar, desse modo, as negociações, que serão difíceis.”


Foto: Beatriz Arruda/SEESP
Seminrio 27ABR2016 Murilo 
Pinheiro, presidente do sindicato, deu o tom da atividade: “Com otimismo, vamos buscar uma saída
sempre. Temos que acreditar, lutar. Resultado bom é resultado de muito trabalho.” 

 

Conjuntura
O cenário em que se darão as campanhas salariais 2016 foi apresentado por Antônio Augusto de Queiroz, o Toninho, diretor do Documentação do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap) e por Clemente Ganz Lúcio, diretor técnico do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Este último destacou: “Todos acompanhamos o momento presente, de grave crise econômica e política com desdobramentos institucionais severos. No ano passado, tivemos uma queda de quase 4% na taxa de crescimento e a expectativa é que em 2016 é que a queda seja superior a 3%. O último tombo tão grande se deu na década de 1930. Parte do problema é o travamento estrutural da economia capitalista no mundo. A crise internacional de 2008 não foi resolvida nos países centrais e está longe de ser. Outra parte do problema é associado a dificuldades internas.” Para ele, resulta da política econômica adotada, que impediu a chegada de investimentos necessários à manutenção do mercado interno. Somado a essa situação, tem-se as consequências da Operação Lava Jato, que “atinge o cerne da estratégia de investimentos em infraestrutura no Brasil. Da queda de 3% do PIB, 2% são decorrentes diretos da Lava Jato, com o travamento da Petrobras e da construção civil”. Não bastasse esse quadro, Ganz Lúcio apontou eventos naturais, como excesso ou falta de chuvas, e os processos eleitorais. “No início de 2015, o governo tentou reorganização rápida, que não deu certo. Isso impactou a inflação pelo pesado choque de custos. O Banco Central elevou a taxa de juros. O custo da dívida pública há mais de 30 anos está errado, é inadministrável. Transferem-se aos rentistas R$ 500 bilhões de reais por ano (em pagamento de juros da dívida pública).” A boa notícia para as negociações, indica o diretor do Dieese, é que a inflação deve cair, até pelo travamento da economia. “Nosso grande desafio é destravar a economia. Nesse sentido, o movimento sindical apresentou o ‘Compromisso pelo Desenvolvimento’ que, em acordo entre capital e trabalho, aponta diretrizes à retomada do crescimento. Elemento central é a preservação de empregos e salários reais. É um valor que devemos ter para a saída da crise.” Em meio a tal conjuntura, Ganz Lúcia diz que o movimento sindical precisa ter como estratégia a resistência – e nas campanhas salariais, é necessário encontrar caminhos que permitam acordos nessa linha.

Toninho traçou um quadro a partir da admissibilidade pela Câmara dos Deputados do pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff em 17 de abril, que classificou como um “show de horrores”, com parlamentares com “fichas sujas se apresentando como paradigmas da moralidade”. “Temos uma enorme crise política, que tem entre os componentes uma mídia tendenciosa, pressão pelo afastamento por parte do setor empresarial e erros na condução do governo. Tais ações resultaram na aprovação de leis que levaram a isso.” O diretor do Diap foi categórico: “Não estou condenando o processo de apuração e depuração de denúncias, mas não se pode paralisar a economia.” Na sua ótica, o temor é que um novo governo possa enveredar pela linha de desmonte de conquistas importantes a respeito de direitos trabalhistas, previdenciários e inclusão social, entre outros. Citou como objeto de preocupação a proposta denominada “Ponte para o futuro” apresentada pelo PMDB, partido do vice-presidente Michel Temer, que traz retrocessos nessa direção, “em nome da melhoria do ambiente de negócios”. E ressaltou: “O desafio ao movimento sindical é muito grande. É necessário um forte enfrentamento a essa proposta para que não tenha efeito devastador, com foco na retomada do crescimento, preservação de empregos e direitos.”

Entre os participantes, o diretor de representação dos empregados da SPTrans, Paulo Feu concluiu: “Nossa principal função é cumprir a missão de fazer com a empresa pública se mantenha forte e os trabalhadores valorizados. Que a realidade não seja uma ferramenta à empresa se apresentar de modo recuado nas negociações. Que a crise não lhe sirva de muleta. Se houver condições, que haja aumento real, avanços no plano de saúde.” Além dele, compuseram a mesa interlocutores da Cteep, Usiminas, Comgás, Sabesp, Telefônica, Associação Comercial de São Paulo, Codesp, CET, EMTU, CPFL, Elektro, Cesp, além de representantes da Fenasaúde (saúde suplementar) e das entidades patronais Fiesp (indústrias) e Sinaenco (engenharia consultiva). Dirigentes de sindicatos de engenheiros de vários estados filiados à FNE prestigiaram a iniciativa, bem como de centrais sindicais. O jornalista João Franzin, da Agência Sindical, constatou: "Essa é uma mesa ampla, eclética e de boa vontade. A 16ª edição deste evento atesta a vitória desse modelo desenvolvido pelo sindicato. Muito sucesso, paciência e jogo de cintura nas negociações." 

 

 

 

Soraya Misleh
SEESP Imprensa
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) publicou, no Diário Oficial da União, de abertura de concurso público com 600 vagas.

A maior parte das novas contratações são para Técnico em Informações Geográficas e Estatísticas (460 vagas), cargo de nível médio. Também serão preenchidas 140 vagas de nível superior, nos cargos de Analista de Planejamento, Gestão e Infraestrutura em Informações Geográficas e Estatísticas (90 vagas) e de Tecnologista em Informações Geográficas e Estatísticas (50 vagas).

As inscrições serão abertas já na próxima segunda-feira (4) e se encerram no dia 28 de janeiro de 2016. Devem ser realizadas pela internet e confirmadas mediante o pagamento de taxas no valor de R$ 69,00 para analista e tecnologista e de R$ 49,00 para técnico.

O concurso será realizado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e terá provas objetivas, para candidatos de ambos os cargos, e de prova discursiva e prática, para determinadas áreas de conhecimento. Os candidatos inscritos realizarão as provas no município no qual optaram por concorrer.  Para o preenchimento dos cargos serão observados os percentuais mínimos de 5% das vagas para candidatos com deficiência e de 20% para candidatos negros.

A remuneração inicial para os cargos de analista e tecnologista é de R$ 7 mil e a inicial de técnico é de R$ 3 mil.

 

Fonte: Ministério do Planejamento

 

 

 

 

 

 

O mais detalhado e abrangente balanço das atividades correntes do MTE [Ministério do Trabalho e Emprego] foi  feito no dia três de março de 2007 por Luiz Marinho na transmissão do cargo a Carlos Lupi.

De lá para cá, apesar das conjunturas favoráveis ao movimento sindical e aos trabalhadores, o MTE veio perdendo substância e protagonismo. Muitas de suas atribuições foram usurpadas por outros ministérios e algumas delas deixaram de ser efetivas por falta de meios e de pessoal qualificado.

Em todo bafafá da reforma ministerial e da extinção de ministérios (é a velha história: cortar é bonito, mas cortar o quê?) o MTE ficou de bubuia, isto é, boiando em águas revoltas, o que demonstra sua circunstancial desimportância.

Não é preciso dizer que tal situação contraria a história e os papéis do MTE: desde 1930, data de sua criação, até hoje, pelo menos 53 brasileiros e duas brasileiras ocuparam o posto, alguns deles tendo se projetado no cenário político com grande força. Em inúmeras situações o MTE foi o estopim de graves crises políticas e em outras foi a solução. Para dizer o essencial, o MTE sempre foi o copromotor das políticas salariais, em particular das políticas do salário mínimo.

Embora o conjunto do movimento sindical tenha subestimado a rota de decadência do MTE, tenho que fazer justiça a uma entidade sindical de peso, a Confederação Nacional dos Trabalhadores Universitários (CNTU), que contrariou a regra. Em abril de 2014, por exemplo, a CNTU reuniu oito ex- ministros do trabalho convidados e todos defenderam o fortalecimento do MTE.

Agora, as seis centrais reconhecidas manifestaram-se unitariamente contra a extinção do MTE, contra a sua fusão e pelo seu fortalecimento, dando publicidade paga em grandes jornais ao seu documento.

Deve-se lembrar que em novembro de 2011, cinco das seis centrais que assinaram o documento atual (com exceção da CUT), haviam se manifestado em defesa do ministro do Trabalho e Emprego, não mencionaram o fortalecimento do MTE como questão essencial e não foram atendidas em seu pleito.

A reivindicação das centrais, expressa no documento unitário é justa e elas têm legitimidade para fazê-lo procurando reforçar a parceria com o MTE em defesa dos trabalhadores e seus direitos.

 

 

* João Guilherme Vargas Netto é consultor sindical

 

 

 

 

 

 

 

 

O diretor geral da Organização Internacional do Trabalho (OIT), Guy Ryder, ao participar da VII Cúpula das Américas no Panamá, em abril último, advertiu que os países da América Latina e do Caribe estão passando por um momento preocupante, pois a desaceleração econômica terá um impacto sobre o mercado de trabalho, o que poderá gerar aumento do desemprego e da informalidade. "Depois de quase uma década de avanços significativos, durante os quais o desemprego regional caiu para taxas mínimas históricas, agora temos de nos preparar para um aumento nos próximos anos", disse.


Foto: Site da OIT Brasil
OIT 
Ryder mostra preocupação sobre aumento de desemprego na América Latina
por conta da desaceleração econômica 
 

A OIT destacou que a taxa média de desemprego urbano na América Latina e no Caribe – que era de 11% cerca de uma década atrás e caiu para 6,1% no ano passado – irá subir para pelo menos 6,3% em 2015, após a confirmação de que a região continuará numa situação de crescimento econômico lento.

O dirigente da OIT destacou que na próxima década a região tem o desafio de criar 50 milhões de empregos apenas para absorver os jovens que entrarão no mercado de trabalho. Ele também lembrou que, quando a economia não funciona bem, existem problemas para gerar esses postos de trabalho. Por outro lado, Ryder disse que na procura por emprego algumas pessoas podem buscar oportunidades no setor informal, que já emprega quase metade dos trabalhadores (47%).

Ele enfatizou que é importante pensar sobre a situação dos jovens latino-americanos que irão se incorporar ao mercado de trabalho nos próximos anos, já que "se você tem menos de 25 anos, tem três vezes mais probabilidade de ficar desempregado."


 

Edição Rosângela Ribeiro Gil
Imprensa SEESP
Com informações da OIT Brasil







Página 3 de 4

agenda