logo seesp ap 22

 

BannerAssocie se

Editorial – É urgente que o Prefeito ouça os seus engenheiros

Avalie este item
(0 votos)

Numa mobilização inédita, os engenheiros e arquitetos da Prefeitura Municipal de São Paulo realizaram uma greve de 15 dias durante os quais assembleias diárias reforçaram a coesão das categorias e fortaleceram sua disposição de luta.  Suspensa a paralisação no dia 11 último, o movimento continua tendo como pleito principal a recuperação das perdas salariais que já acumulam quase 50% desde 2007 e a abertura de uma discussão séria sobre o plano de cargos e salários desses profissionais.

Em resposta a essas demandas, a Prefeitura vem insistindo numa proposta de reestruturação que não repõe as perdas sequer em parte e não atende à necessidade básica de reconhecimento do trabalho especializado feito por engenheiros e arquitetos. Atividades essas essenciais à cidade e ao bem-estar da população, como análise de projetos e obras feitas no município, medidas relacionadas a segurança, preservação ambiental, limpeza e conservação, sem contar a atuação ligada ao planejamento.  

A decisão de voltar ao trabalho foi tomada à luz da expectativa de retomada do diálogo com os gestores do município. Porém, para que tenhamos avanços de fato, é preciso que seja realmente um diálogo. O prefeito Fernando Haddad, que assumiu compromissos importantes com a categoria dos engenheiros durante a campanha eleitoral, precisa agora ouvir as suas reivindicações, e a administração deve buscar maneiras de atendê-las. Remuneração justa, condições de trabalho adequadas e reconhecimento profissional são itens básicos a se oferecer a quem se dedica a construir uma cidade melhor para todos.

Esses servidores, que há um ano tentam estabelecer essa conversa, já demonstraram sua disposição de negociação e até de compreensão quanto a eventuais limitações orçamentárias existentes.  No entanto, é preciso que uma proposta séria e consistente seja feita. Imaginar que um limite de 0,01% como reajuste seja aceitável equivale a desconsiderar as necessidades reais de quaisquer trabalhadores.  A Prefeitura da mais importante cidade brasileira tem a oportunidade de demonstrar que pretende fazer não só uma gestão correta em relação aos seus recursos humanos, mas também em benefício de toda a sociedade. Dotar o município de um quadro técnico capaz, estável e comprometido com os interesses da população trará certamente sucesso a esta gestão.

Acreditando que o bom senso leve a administração a compreender esse cenário, o SEESP e os engenheiros da Prefeitura de São Paulo estão confiantes na retomada das negociações com a disposição de se encontrar uma solução ao impasse atual.


Eng. Murilo Celso de Campos Pinheiro
Presidente

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar



Receba o SEESP Notícias

E-mail:

agenda