logo seesp ap 22

 

BannerAssocie se

Engenheiro XXI

Avalie este item
(0 votos)

Profissionais para atuar em mineração, ferrovia e porto
A empresa Vale está com projeto em andamento que aumentará a produção do complexo minerário na região da Serra dos Carajás (PA): é o S11D, cujo início operacional está previsto para o segundo semestre de 2016. Para tanto, informa a assessoria de comunicação da companhia, a mineradora está contratando vários profissionais da área tecnológica, entre eles engenheiros, com 180 vagas já sendo preenchidas e mais 210 em fase de captação. À categoria, são 90 oportunidades deste ano até 2019, a maioria para as áreas de mecânica, elétrica, automação e minas. Há também vagas para as especialidades de segurança do trabalho e meio ambiente.
A mineradora contabiliza, nos últimos dez anos, a admissão de aproximadamente 3.600 profissionais da área. Esse público, como assegura a empresa, é alvo de muitas iniciativas de educação continuada, com investimentos em diversos programas de pós-graduação, tais como especializações em planejamento de lavra, em transportes ferroviários, mestrados em automação, em desenvolvimento de recursos naturais sustentáveis, dentre outros.

Perfil profissional
De forma geral, a empresa, explica sua assessoria, “busca pessoas interessadas em se desenvolver profissionalmente, que gostem de desafios, que queiram deixar um impacto positivo para as comunidades e o meio ambiente e cumpram estritamente os requisitos de saúde e segurança”.
Cadastre seu currículo para as vagas ao S11D.

A engenharia na Marinha do Brasil
Até o dia 18 de maio, estão abertas inscrições para participar do concurso público para ingresso no Corpo de Engenheiros da Marinha (CEM). São 61 vagas para diversas áreas da engenharia (cartográfica, civil, de materiais, de produção, telecomunicações, elétrica, naval, química etc.) e três para arquitetura e urbanismo. O candidato deve ter menos de 36 anos de idade no primeiro dia do mês de janeiro de 2017. Nesta entrevista, o almirante Aguiar Freire fala sobre o trabalho do profissional na Marinha do Brasil.

Como o profissional de engenharia pode entrar na Marinha e quantos já estão atuando?
A captação é feita nas seguintes modalidades: concursos públicos para ingresso no Corpo de Engenheiros da Marinha e de admissão para o CEM de oficiais formados na Escola Naval. Os engenheiros aprovados no concurso público realizam um curso de nove meses no Centro de Instrução Almirante Wandenkolk , na Ilha das Enxadas, na cidade do Rio de Janeiro. Como Guarda-Marinha (GM), o futuro oficial recebe a formação militar-naval e profissional, bem como participa de uma parte prática (estágio de aplicação) realizada a bordo de navios, bases e outras organizações militares. Após a aprovação nessa etapa, os GMs serão nomeados oficiais, no posto de primeiro-tenente, sendo indicados para o exercício de funções em organizações militares industriais, de ciência e tecnologia e de controle e supervisão técnica. Já o oficial formado na Escola Naval, que é aprovado no concurso de admissão, realiza um curso de engenharia em universidades ou instituições de ensino. Após a graduação, ele é transferido para o CEM, em que seguirá a mesma carreira que o pessoal oriundo do concurso público. Graças à formação acadêmica e ao desempenho nas suas atividades, esses profissionais poderão alcançar até o posto de vice-almirante, o mais alto do CEM. Atualmente, o corpo conta com um efetivo da ordem de 800 oficiais de carreira.

Como a engenharia ajuda a Marinha?
Essa força de trabalho encontra-se distribuí­da por organizações militares de todos os setores da Marinha, em especial na área de material, que concentra 68% desse contingente, atuando em atividades de apoio técnico e gerencial, projeto, manutenção e reparo, pesquisa e desenvolvimento de ciência e tecnologia. Trabalham ainda em atividades que impõem, usualmente, a busca de soluções exequíveis e aceitáveis para os diversos problemas da nossa Marinha que requeiram o concurso de inúmeras áreas de conhecimento de engenharia e arquitetura.

Confira o edital da Marinha.

Inscrições abertas a cursos do instituto
Criado em 2011 e mantido pelo SEESP, o Instituto Superior de Inovação e Tecnologia (Isitec) está com inscrições abertas para vestibular à graduação em Engenharia de Inovação no segundo semestre de 2016. Podem participar do processo seletivo os interessados que concluíram em 2015 o ensino médio ou equivalente, bem como os portadores de diploma de curso superior oficial ou reconhecido, devidamente registrado. O prazo limite é 27 de junho próximo.
Também estão abertas as inscrições para a turma de pós-graduação em Gestão ambiental do Isitec. O curso, na sede de São Paulo, terá aulas presenciais quinzenais. A especialização inaugurou as ações educacionais em sistema co-branded – em parceria com entidades, escolas ou companhias –, sempre fomentando um assunto de grande interesse para as empresas e instituições públicas e privadas, assim como para toda a sociedade.

Mais informações:
Processo seletivo para Engenharia de Inovação
Pós-graduação em Gestão ambiental

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar



Receba o SEESP Notícias

E-mail:

agenda