GRCS

Na última semana, as diretorias executiva do SEESP e regionais das delegacias sindicais em Lins, Presidente Prudente e Araçatuba se reuniram. A tônica dos pronunciamentos nos encontros foi pela unidade da categoria em defesa dos seus direitos específicos, como o cumprimento do piso salarial (Lei 4.950-A/66), mas também pela retomada do crescimento e desenvolvimento do País.

No dia 2, antes da reunião em Lins, o presidente Murilo Pinheiro foi entrevistado por rádios locais – Alvorada e Regência FM. Na oportunidade, a liderança mostrou a preocupação do sindicato com relação a temas nacionais, como as reformas da Previdência Social, trabalhista e sindical; o desemprego que já atinge mais de 14 milhões de brasileiros, a necessidade de reindustrialização do País, a defesa do conteúdo nacional em licitações públicas e da Petrobras. Falou, ainda, do movimento Engenharia Unida lançado pela Federação Nacional dos Engenheiros (FNE) em 2016, que vem se expandido, desde então, por todo o Brasil.

Fotos: Marcellie Dessimoni
Reunião em Lins foi prestigiada pelo prefeito da cidade, Edgar de Souza (de camisa branca), ao lado do presidente Murilo Pinheiro.

 

O prefeito de Lins, Edgar de Souza, e sua secretária municipal de Obras e também diretora da regional, Valentina M. Prado de Lorenzo, participaram do encontro. Murilo informou que os engenheiros estão participando ativamente da Frente Parlamentar Mista da Engenharia, Infraestrutura e Desenvolvimento Nacional, cujo presidente é o deputado federal Ronaldo Lessa (PDT-AL), com a apresentação de proposta para diversas questões. Segundo ele, o ano é difícil, mas a engenharia, em seu papel protagonista ao desenvolvimento, tem o dever de trabalhar a partir de uma agenda proativa. Nesse sentido, prosseguiu, é importante manter contato permanente com associações e demais entidades representativas da área tecnológica para empreender ações conjuntas. “Temos de criticar com propostas”, disse.


850 PresidentePrudenteEncontro em Presidente Prudente contou com boa presença de profissionais.

O presidente do SEESP destacou as diversas iniciativas dessa entidade e da FNE. A criação e o funcionamento do Instituto Superior de Inovação e Tecnologia (Isitec), faculdade mantida pelo sindicato, o Núcleo Jovem Engenheiro e o projeto “Cresce Brasil + Engenharia + Desenvolvimento” foram algumas das ações elencadas pelo dirigente. “Precisamos ter ação, não podemos ficar na retórica”, salientou. E acrescentou: “O sindicato montou uma agenda positiva em meio a um ano de crise, participamos de conselhos e de todas as discussões estaduais.”


Em Araçatuba, reunião teve a participação da Associação dos Engenheiros e Arquitetos da Alta Noroeste.

Presença
Em Lins, participaram da reunião o presidente Juliano Munhoz Beltani e os diretores regionais Edson de Almeida, Flávio Valadão de Freitas e José Eduardo Horta Celso. No encontro em Presidente Prudente, além do presidente Manuel Carlos de Moraes Guerra, compareceram os diretores da delegacia Dalton Thadeu de Mello, Itamar Rodrigues, João Deguchi, Baltazar de Matos Rodrigues, Carlos Mitsuo Kasai, Hilton Iwao Ubukata e Luiz Carlos Batista. Por fim, na atividade em Araçatuba, estiveram presentes o presidente José Maria Morandini Paoliello e os diretores da regional José Luiz Fares, Claudomiro M. da Rocha Filho, Luiz Otavio Manfré e José de Assis Tavares; além da presidente da Associação dos Engenheiros e Arquitetos da Alta Noroeste (Aean), Gisele Sartori, e seu vice Constantino Alexandre Vourlis. Acompanharam as atividades o vice-presidente do SEESP João Carlos Gonçalves Bibbo e a coordenadora do Núcleo Jovem Engenheiro, Marcellie Dessimoni.

Abrangência
A regional de Lins abrange as cidades de Promissão, Guaimbê, Uru, Cafelândia, Getulina, Guaiçara, Sabino, Guarantã e Pongaí; já a de Presidente Prudente: Alfredo Marcondes, Álvares Machado, Anhumas, Caiabu, Estrela do Norte, Iepê, Indiana, Marabá Paulista, Martinópolis, Mirante do Paranapanema, Narandiba, Presidente Bernardes, Presidente Epitácio, Presidente Venceslau, Piquerobi, Pirapozinho, Rancharia, Regente Feijó, Sandovalina, Santo Anastácio, Santo Expedito, Taciba, Tarabai e Teodoro Sampaio. E a de Araçatuba: Alto Alegre, Andradina, Araçatuba, Auriflama, Avanhandava, Barbosa, Bilac, Birigui, Braúna, Buritama, Castilho, Clementina, Coroados, Gabriel Monteiro, Gastão Vidigal, General Salgado, Glicério, Guaraçaí, Guararapes, Lourdes, Luiziânia, Mirandópolis, Penápolis, Pereira Barreto, Piacatu, Rubiácea, Santópolis do Aguapeí, Turiúba, Valparaíso.

 

Rosângela Ribeiro Gil
Comunicação SEESP
Com informações de Marcellie Dessimoni

 

 

 

Foi realizada com sucesso mais uma palestra técnica na Delegacia Sindical do SEESP em Taubaté, em 21 de fevereiro último. A palestra “Tubulação flexível para poços”, com o gerente de produto da Sampla do Brasil, o engenheiro Moisés Macen, chamou a atenção de vários profissionais, que obtiveram informação sobre substituição de tubos edutores rígidos com vantagens competitivas como menor perda de carga (economia de energia); fácil de montar, transportar e armazenar; não corrosão etc..

Fotos: Valéria Ferreira

Palestrante falou para profissionais sobre tubulação flexível para poços.

A atividade aconteceu na sede da regional. Fique antenado nas informações do SEESP sobre novas atividades em Taubaté assim como nas demais delegacias sindicais.

Da esquerda para direita: diretor Francisco Oiring;Eder Uamamoto, representante da Sampla Belting; Moisés Macen, palestrante; Breno Botelho Ferraz do Amaral Gurgel, presidente da Delegacia; Carlos T. Azuma, tesoureiro; João de Freitas Miranda Neto, 2º tesoureiro; e Jorge Luiz Monteiro, secretário.

 

Comunicação SEESP

 

 

 

 

A Delegacia Sindical do SEESP em Marília recebeu a diretoria executiva do sindicato no dia 15 de fevereiro último. O presidente Murilo Pinheiro fez um relato das atividades sindicais e da Federação Nacional dos Engenheiros (FNE) em 2016, salientando que, apesar das muitas dificuldades com as crises política e econômica, os engenheiros apresentaram uma agenda positiva de discussão e debate à sociedade, aos governos e as diversas entidades representativas.


Foto: Paula Bortolini
Dirigentes dos engenheiros reforçam necessidade de mobilização e unidade da categoria.

Para 2017, prosseguiu Murilo, a previsão das reformas que estão em discussão no Congresso Nacional – trabalhista, previdenciária e sindical – criam uma situação ainda mais preocupante, além dos problemas enfrentando por grandes empresas brasileiras, como a Petrobras, a Eletrobrás e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). “Precisaremos arregaçar as mangas e trabalharmos além do que já estamos fazendo”, disse. E completou: “A Engenharia Unida deve ser uma saída para esses problemas, trazendo propostas à retomada do crescimento e desenvolvimento, com melhores oportunidades para todos.”

A liderança destacou aos presentes que é importante trazer as associações da região, ampliar o debate, fazer com que os engenheiros participem ativamente das discussões dos temas de interesse da sociedade e garantir cada vez mais o jovem na ação sindical dos engenheiros. Nesse sentido, os diretores da regional informaram que estão prevendo realizar eventos junto às universidades e associações, contemplando a linha do movimento Engenharia Unida.

Participaram da reunião o 3º secretário e a coordenadora do Núcleo Jovem Engenheiro do SEESP, Edilson Reis e Marcellie Dessimoni; e também o presidente da regional Luiz Fernando Napoleone e os diretores Carlos Shiniti Saito (1º vice-presidente), Edson Navarro (2º vice-presidente), Rosemary Miguel (1º secretário), Claudia Aparecida Ferreira Sornas Campos (1ª tesoureira) e José Carlos Beto (diretor adjunto). A delegacia de Marília abrange as cidades de Alvinlândia, Bastos, Garça, Herculândia, Lupércio, Oriente, Oscar Bressane, Palmital, Pompéia, Tupã, Assis,Cândido do Mota, Echaporã, Parapuã, Pedrinhas Paulista, Quatá, Rinópolis, Paraguaçu Paulista, Gália, Júlio Mesquita, Maracai, Vera Cruz e Platina.

 

 

Rosângela Ribeiro Gil
Comunicação SEESP
Com informações da assessora da Presidência - Paula Bortolini

 

 

 

 

Na série de reuniões que a diretoria executiva do SEESP tem feito nas delegacias sindicais do interior paulista, as regionais visitadas no dia 14 de fevereiro último foram as de Bauru, Botucatu e Sorocaba. Em todos os encontros, o presidente Murilo Pinheiro fez um relato de como foi o ano de 2016 para os engenheiros e o País e as perspectivas para o ano novo. “Temos empreendido um movimento proativo apesar dos tempos difíceis que estamos vivendo. Estamos conseguindo superar mostrando trabalho sério e apresentando propostas numa agenda positiva”, destacou a liderança, um desses esforços é o Instituto Superior de Inovação e Tecnologia (Isitec), criado pelo sindicato com o objetivo de ser referência na qualidade do ensino da engenharia. Em todas as reuniões, o sindicalista tem feito um forte chamamento à expansão da ação sindical das delegacias nas regiões onde estão inseridas, agregando outras entidades representativas dos profissionais e principalmente os jovens. 


Fotos: Paula Bortolini
800 Sorocaba 14FEV2017
Presidente da regional de Sorocaba destaca trabalho realizado junto às universidades da região.

Os itens que exigem atenção da categoria, destacou Murilo, são as reformas pretendidas pelo governo federal que vão atingir diretamente, e para pior, as relações de trabalho, o sistema previdenciário e a organização sindical. Ainda no horizonte de atenção, o sindicalista insere privatizações, o enfraquecimento das empresas brasileiras, a defesa da Petrobras, a redução dos investimentos por parte do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a ameaça de demissão na Eletrobrás. Com tantos temas que repercutem na engenharia, Murilo realçou a importância dos trabalhos da Frente Parlamentar Mista de Engenharia, Infraestrutura e Desenvolvimento Nacional, que já realizou duas reuniões no Congresso Nacional, sendo a última no dia 9 último. ”Acredito que as coisas estão muito difíceis, mas precisamos ter otimismo e irmos à luta com mais força”, ponderou. 

800 Botucatu 14FEV2017Botucatu tem bom entrosamento com profissionais de grandes empresas da região.

Para ele, o Brasil precisa ouvir os engenheiros nas questões da área tecnológica, valorizando a área. Nesse sentido, Murilo destacou o movimento Engenharia Unida, “que está cada vez mais amplo e forte em todo o País”.  “Nosso intuito é trazer pessoas que estejam realmente empenhadas no trabalho e em discutir o Brasil de forma consciente e inteligente.” Tudo isso está diretamente ligado, assevera o presidente do SEESP, com as lutas sindicais, por exemplo, como a em defesa do salário mínimo profissional (Lei 4.950-A/66), exemplificando com os casos das prefeituras como São Paulo, Marília e Santo André. 

800 Bauru 14FEV2017Bauru elaborou propostas específicas para a cidade, e mantém contato as administrações de outros municípios abrandigos pela regional.


A presidente da delegacia de Sorocaba, Fátima Aparecida Blockwitz, informou que a regional vem realizando ações junto às universidades locais para atrair os estudantes. Da mesma forma, prosseguiu a dirigente, com as associações, colocando as questões da Engenharia Unida, o posicionamento do sindicato e da Federação Nacional dos Engenheiros (FNE), somando esforços em defesa da engenharia, como na questão da lei das licitações (8666). “Precisamos ocupar o espaço dos engenheiros, retomar o crescimento”, afirmou. Sorocaba abrange as cidades de Alambari, Alumínio, Angatuba, Apiaí, Araçariguama, Araçoiaba da Serra, Boituva, Brigadeiro Tobias, Buri, Capão Bonito, Capela do Alto, Cerquilho, Ibiúna, Itapetininga, Itapeva, Itu, Mairinque, Piedade, Porto Feliz, Ribeira, Riversul, Salto, São Miguel Arcanjo, Sorocaba, Tatuí, Tietê, Votorantim. Estiverem presentes ao encontro os diretores regionais Francisco de S. Vieira de Carvalho, Ronie Lefloch Barbosa, Maurício Michel Maluf, Carlos Azevedo Marcassa e Sérgio Granato. 

Já o presidente da regional de Botucatu, Nivaldo José Cruz, afirmou que a delegacia tem uma tradição forte de entrosamento e parcerias na cidade e região, com lideranças que atuam em importantes empresas, em diversas áreas, como em segurança do trabalho, ambiental, prefeituras, entre outras. “Fazemos há alguns anos ações com engenheiros da Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), que vem rendendo bons resultados.” A regional abrange as cidades de Bofete, Pardinho, Itatinga, São Manuel, Avaré, Pratânia, Anhembi, Areiópolis e Conchas. Participaram do encontro os diretores regionais Lourenço Juliani, Pedro Sansão, Osvaldo Ribeiro Junior, Jorge Montiel Hernandez e Gilberto Gonçalves.

Na reunião de Bauru, o presidente da delegacia Luiz Roberto Pagani ressaltou a importância da presença do presidente do SEESP nas delegacias como um fator motivador e para tratar assuntos de interesses locais. Pagani relembrou que a regional entregou um documento com propostas específicas para Bauru durante a última campanha eleitoral a todos os candidatos. No planejamento interno da delegacia, o dirigente disse estão previstas visitas a empresas, universidades e prefeituras das 17 cidades que compõem a regional - Agudos, Arealva, Avaí, Balbinos, Bariri, Barra Bonita, Bocaina, Boracéia, Cabrália Paulista, Dois Córregos, Duartina, Iacanga, Itapuí, Jaú, Lençóis Paulista, Lucianópolis, Macatuba, Mineiros do Tietê, Pederneiras, Pirajuí, Piratininga, Presidente Alves, Reginópolis e Ubirajara. Participaram da reunião os diretores regionais Carlos Augusto Ramos Kirchner, João Carlos Herrera, Luiz Antonio Battaglini, Delmar Batista Santos, Afonso Celso Pereira Fabio, Aberto Pereira Luz e Francisco A. Ramos de Oliveira. 

O presidente Murilo, nas três reuniões, estava acompanhado do 3º secretário e da coordenadora do Núcleo Jovem Engenheiro do SEESP, Edilson Reis e Marcellie Dessimoni. 

 

Rosângela Ribeiro Gil
Comunicação SEESP
Com informações da assessora da Presidência - Paula Bortolini

 

 

 

 

 

Garantir a engenharia onde estão os problemas. Essa foi a tônica destacada na reunião na Delegacia Sindical do SEESP em São José do Rio Preto, em 7 de fevereiro último, com a diretoria executiva do sindicato. O presidente da regional, Amaury Hernandes, observou que várias questões enfrentadas hoje em obras se devem à falta de projetos bem estruturados e executados. Para ele, é necessária uma formação profissional qualificada e rigorosa da área tecnológica. 

O presidente Murilo Pinheiro fez uma explanação sobre os problemas atuais do Brasil, que padece de políticas econômicas focadas no desenvolvimento nacional, e as ameaças com as reformas trabalhista, previdenciária e sindical pretendidas pelo governo federal. “Vamos ter que trabalhar ainda mais contra as maldades que estão sendo colocadas para a classe trabalhadora”, avisou. Para ele, 2017 trará ainda mais preocupações e problemas do que o ano passado. “Temos que nos esforçar para continuar com a agenda propositiva e o otimismo que temos tido em nossas entidades.” 

Murilo defende a engenharia nacional como protagonista nas discussões de propostas e soluções à crise por que passa o País. Ele citou, como exemplo, o caso da cidade de Mariana, em Minas Gerais, que há um ano sofreu com o rompimento de barragem da Samarco. Com esse objetivo, o movimento Engenharia Unida, lançado pela Federação Nacional dos Engenheiros, em março de 2016, vem se ampliando com a inclusão de mais entidades em prol da categoria e dos profissionais da área tecnológica. Nesse sentido, o presidente do SEESP destacou a importância de envolver entidades da região de São José do Rio Preto e os jovens estudantes da área nessa frente de debate e ação. 

Abrangência
A regional de São José do Rio Preto, que tem sede própria, abrange as cidades de Bady Bassitt, Fernandópolis, Guapiaçú, Ibirá, Icém, José Bonifácio, Mirassol, Monte Aprazível, Nova Aliança, Nova Granada, Nova Guanabara, Orindiúva, Paulo de Faria, Poloni, Potirendaba, Tanabi, Uchoa e Votuporanga. 

Presença
Participaram ainda da reunião os diretores da delegacia George Oda, Oswaldo Gomes da Silva Junior e Antonio Osmar Fontana; e o vice-presidente do SEESP João Carlos Gonçalves Bibbo e a coordenadora do Núcleo Jovem Engenheiro, Marcellie Dessimoni.


Foto: Paula Bortolini
Qualificação profissional e projetos executivos de grandes obras são destaque de reunião na regional de São José do Rio Preto.

 

 

Rosângela Ribeiro Gil
Comunicação SEESP
Com informações da assessora da Presidência – Paula Bortolini

 

 

 

 

Dentro da série de encontros que o SEESP promove, no início deste ano, no interior paulista, o presidente Murilo Pinheiro esteve com a diretoria da Delegacia Sindical de Pindamonhangaba, no dia 16 de janeiro último, na sede da regional. Na oportunidade, a liderança observou que o País vive uma situação muito delicada, com desemprego que já atinge cerca de 13 milhões e advertiu: “Existem as ameaças das reformas trabalhista e previdenciária, que afetam os trabalhadores de forma muito direta. 2016 foi um ano muito difícil e 2017 talvez seja ainda um pouco mais.” Apesar desse cenário, Murilo disse que o sindicato está com grande participação junto aos governos e demais instituições, explicando: “Isso é resultado de trabalho.” 

Para ele, a sociedade espera muito dos engenheiros e as delegacias sindicais do SEESP fazem parte desse esforço. “Precisamos tornar o sindicato ainda mais atuante e nos integrarmos com mais força ao debate público em cada cidade.” E completou: “Quero contar com vocês para esse trabalho. A ação do sindicato deve ser a constante e necessária renovação pelo trabalho comprometido com a sociedade e com os profissionais.” Nesse sentido, orientou que tal ação deve ser empreendida em conjunto com as associações das cidades da região.   

Da mesma forma, acrescentou Murilo, a juventude também precisa se engajar nesse debate rico e de interesse coletivo. “Um caminho é o Núcleo Jovem Engenheiro do SEESP, que precisa ter participação de jovens profissionais das delegacias”, apontou. 

Engenharia Unida
O dirigente salientou que a categoria assumiu uma posição proativa, discutindo saídas à crise. E lembrou que, em novembro de 2016, profissionais de todo o País aceitaram o chamado da Federação Nacional dos Engenheiros (FNE) e se reuniram no encontro da Engenharia Unida, em Barra Bonita (SP), que hoje está em todo o Brasil. “Conseguimos montar uma agenda positiva, apesar de tudo que vem acontecendo no País.” 

Na mesma linha, Murilo falou do sucesso do sindicato, apesar do cenário nacional, ao colocar em pé um grande e pioneiro projeto educacional: o Instituto Superior de Inovação e Tecnologia (Isitec) que, neste ano, estará recebendo a quinta turma do curso de Engenharia de Inovação. “Já somos uma referência nacional”, comemorou. 

Propostas
Entre as ideias apresentadas na reunião de ação sindical estão: atuação sistemática junto à Câmara Municipal para acompanhar os assuntos da engenharia que são tratados no Legislativo das cidades abrangidas pela regional, como Roseira e Moreira César (Distrito); maior divulgação do sindicato para alcançar os profissionais; visita às faculdades para apresentar a entidade aos engenheiros formandos, esforço a ser feito conjuntamente com a coordenação do Núcleo Jovem; e oferecer cursos do Isitec aos profissionais na região. 

Participaram da reunião da diretoria estadual o vice-presidente João Carlos Gonçalves Bibbo, além do 3º secretário, Edilson Reis. Da regional, o presidente André Sierra Filho e os diretores Sérgio Roberto da Silva Santos, Epifânio Costa Filho, André Luiz Couto, Paulo Ernesto Marques Silva e Sebastião Caetano Ferreira de Lima, e os profissionais Rosimeire Silva, Thais Silva Santos, Denise Ferraz e Luiz Paim. Também esteve presente o 1º vice-presidente da Delegacia Sindical no Alto Tietê, Gley Rosa.

 

Comunicação SEESP

 

 

 

 

 

Na manhã desta segunda-feira (30/01), a diretoria executiva do SEESP visitou as delegacias sindicais de Piracicaba e Rio Claro, ambas com sede própria, em continuidade a série de encontros nas regionais do interior paulista. Nos dois encontros, o presidente Murilo Pinheiro convocou todos a se empenharem ainda mais para defender os direitos dos profissionais. “Será mais um ano difícil no País, a exemplo do que enfrentamos em 2016”, avisou. Por isso, fez um chamado aos presentes para se empenharem e se dedicarem fortemente para que as delegacias do sindicato sejam cada vez mais sólidas e atuantes. O dirigente ressaltou a importância de trazer mais profissionais para que participem da ação sindical, buscando incluir os jovens ligados à área nas atividades do sindicato.

A liderança dos engenheiros fez um breve relato sobre a conjuntura nacional em termos políticos e econômicos enfrentada no ano passado, quando a engenharia conseguiu apresentar à sociedade uma agenda positiva. “Temos reserva moral e propostas técnicas para o crescimento e desenvolvimento.” Entre as diversas frentes do SEESP, Murilo realçou a atual edição do projeto “Cresce Brasil” sobre as cidades brasileiras, o Instituto Superior de Inovação e Tecnologia (Isitec) e o encontro de Barra Bonita (SP), de novembro último, quando profissionais e entidades de todo o País engrossaram o movimento Engenharia Unida. Sobre o esforço do sindicato na área da educação com o curso de Engenharia de Inovação no Isitec, Murilo afirmou que “somos ainda a novidade no meio sindical”.

Em prosseguimento a tantas ações, o SEESP e a Federação Nacional dos Engenheiros (FNE), observou Murilo, já iniciaram 2017 com toda força, engajando-se na importante discussão sobre o desenvolvimento e a defesa da Petrobras, referindo-se ao encontro na Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), no dia 23 último, na capital paulista. A atenção também se volta, como ressaltou Murilo, às reformas trabalhista, previdenciária e sindical anunciadas pelo Governo Federal. “O ano, sem dúvida nenhuma, será de muita luta e exigirá de nós comprometimento em defesa dos direitos dos trabalhadores e da justiça social.”

Estado
Com a mesma força, o SEESP se insere na vida política do estado paulista, afirmou Murilo, assim como marca presença importante na Frente Parlamentar Mista de Engenharia, Infraestrutura e Desenvolvimento Nacional, lançada, na Câmara dos Deputados, em novembro passado, tendo à frente o deputado Ronaldo Lessa (PDT-AL). É mais um espaço, disse, para apresentar as questões da engenharia nos debates do Congresso Nacional.

O chamado foi apoiado e reforçado pelos presidentes das duas regionais. Walter Antonio Becari, de Piracicaba, observou: “Faremos um planejamento de trabalho para agregar mais entidades da região.” Francesco Rotolo, de Rio Claro, que assumiu a superintendência do Departamento Autônomo de Água e Esgoto (DAAE) local, informou que a delegacia sindical é dinâmica e empenhada em atender às demandas dos profissionais, por isso mantém uma atuação boa junto às universidades e quer organizar um núcleo jovem local, também participa do conselho tecnológico da cidade.

Participaram da reunião de Piracicaba os diretores regionais Neusa Maria Galvão Cândido, Aristides Galvão, Fabiane Becari Ferraz, Eder Galvão Candido e José Augusto Darcie; e de Rio Claro, os dirigentes Mauro Lourenço do Prado e Ligia Marta Mackey. Os vice-presidentes João Carlos Gonçalves Bibbo e Carlos Alberto Guimarães Garcez e o 3º secretário Edilson Reis e a coordenadora do Núcleo Jovem do SEESP, Marcellie Dessimoni, estiveram nos dois encontros.

Piracicaba 30JAN2017Em Piracicaba, dirigentes discutem reforço à luta em defesa dos direitos dos engenheiros.

 

RioClaro 30JAN2017
Delegacia de Rio Claro mantém dinamismo junto à categoria e às universidades.

 

Cidades
A delegacia de Piracicaba abrange as cidades de Rio das Pedras, Charqueada, Capivari, São Pedro, Águas de São Pedro, Santa Maria da Serra, Mococa e Saltinho; ja á de Rio Claro, os municípios de Limeira, Cordeirópolis, Santa Gertrudes, Araras, Leme, Pirassununga, Conchal, Descalvado, Itirapina e Ipeúna.

Rosângela Ribeiro Gil
Comunicação SEESP
Com informações e fotos de Paula Bortolini, assessora da Presidência

 

 

 

Em 24 de janeiro último, foi realizada a sétima reunião da diretoria executiva do SEESP com os integrantes das delegacias sindicais do interior paulista, que compreendem 25 ao todo. Desta vez foi com a regional do Alto Tietê, que abrange as cidades de Mogi das Cruzes, Arujá, Ferraz de Vasconcelos, Itaquaquecetuba, Suzano, Poá, Guararema, Salesópolis, Biritiba Mirim e Santa Isabel. Entre os assuntos abordados, conjuntura nacional, organização sindical dos engenheiros e a defesa dos interesses do País e da Petrobras.

O presidente do SEESP Murilo Pinheiro, à abertura do encontro, fez uma digressão sobre o ano passado em termos de ações do sindicato e da Federação Nacional dos Engenheiros (FNE), todas em prol da valorização profissional e da retomada do crescimento do País e das dificuldades enfrentadas. “Foi um ano difícil, mas conseguimos apresentar uma agenda positiva à sociedade, participando de mais de 400 eventos e atividades, dentro do sindicato e fora também”, ressalvou. Todavia, prosseguiu a liderança, não temos um horizonte diferente em 2017, fato que “nos exigirá ainda mais trabalho e organização”. 

Dentro desse esforço Murilo destacou a importância das delegacias sindicais atuando ainda mais para mobilizar e organizar os profissionais, assim como estabelecer canais de diálogo com as prefeituras locais no sentido de mostrar que a engenharia tem um acúmulo importante de discussões e propostas aos diversos problemas existentes nas cidades. “2017 exigirá de nós mais coragem, foco e realização. Precisamos de tudo isso para crescer”, apontou. Presidente da delegacia, Mário Edison Picchi Gallego informou que a regional já está em contato com os dez novos prefeitos dos municípios que compõem a regional para levar o projeto “Cresce Brasil – Cidades” – a última atualização do projeto da FNE, lançada no ano passado – e mostrar que o sindicato está à disposição das administrações municipais.

Petrobras e reformas
Outro ponto destacado por Murilo foi o movimento que está sendo organizado e engrossado por uma gama enorme e representativa da indústria nacional e das entidades ligadas aos engenheiros em todo o Brasil, como o Sistema Confea-Creas, que teve o “pontapé” inicial em reunião realizada na sede da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), na capital paulista, em 23 de janeiro último. “A FNE também está à frente dessa movimentação porque entende que a engenharia e as empresas não podem ser punidas no caso da Petrobras”, observou, referindo-se a recente licitação lançada pela petrolífera brasileira convidando apenas empresas estrangeiras. “Não podemos ficar calados frente a esse ataque aos interesses nacionais. Estamos falando dos empregos dos nossos profissionais, principalmente.”

As reformas trabalhista, previdenciária e sindical pretendidas pelo Governo Federal também devem ser motivo de grande preocupação e apreensão para o sindicato, advertiu Murilo. “Temos uma metralhadora giratória voltada para nós. A sociedade espera que nós, com a nossa reserva moral e técnica, estejamos também nessa frente de batalha. Temos propostas para a retomada do crescimento e saída da crise.” Foi com esse propósito, inclusive, que 2016 também viu a organização do Engenharia Unida, cujo ápice foi a realização do encontro nacional de Barra Bonita (SP), em novembro último, com a participação de diversas lideranças sindicais, empresariais e políticas. “É só com muita organização que poderemos enfrentar as dificuldades institucionais, políticas e econômicas do País.” 

Murilo também lembrou a vitória da categoria com a constituição da Frente Parlamentar Mista de Engenharia, Infraestrutura e Desenvolvimento Nacional, no final de 2016, cujo mentor é o deputado federal, e também engenheiro, Ronaldo Lessa (PDT-AL). “É mais um espaço que temos para apresentarmos nossas propostas e ajudar no debate das principais questões do Brasil.”

Presentes
A reunião contou, ainda, com a participação dos vice-presidentes da regional Gley Rosa e Eduardo Camargo Afonso, do 2º secretário José Uilson Rodrigues e dos 1º e 2º tesoureiros Luiz Fernando Ussier e Milton Ribeiro Campos Filho; do 3º secretário do SEESP Edmilson Reis; e dos profissionais Cássia Afonso e Luis Carlos Barbosa.


Rosângela Ribeiro Gil
Comunicação SEESP
Com informações de Rita Casaro

agenda