logo seesp ap 22

 

BannerAssocie se

22/03/2024

Divórcio antes do casamento

João Guilherme Vargas Netto* 

 

Para enfrentar e vencer o mosquito transmissor da dengue e superar o grave surto da doença os brasileiros, mais uma vez, se apoiam no SUS que lhes garante vacinação, testes, atendimento e ajuda na erradicação dos focos e controle do ambiente.

 

A criação do SUS, consagrado nos artigos 198, 199 e 200 da Constituição foi resultado de uma luta feroz do Partido da Saúde, primeiro contra a catastrófica situação sanitária e os escândalos a ela associados nas décadas de 70 e 80 do século passado e depois na própria Constituinte.

 

Com exceção dos sindicatos diretamente ligados às ações de saúde e dos sindicatos de servidores, em vários níveis, o movimento sindical dos trabalhadores como um todo, representado pelas confederações e centrais sindicais da época, pouco participou desta luta, melhor dizendo, foi ausente, confirmando o divórcio sem ter havido o casamento.

 

Muito deste alheamento decorreu de um erro estratégico da renovação sindical dos anos 70, preocupada em seus acordos e convenções coletivas a valorizar o atendimento médico pelos planos privados de saúde, que ao longo do tempo materializou-se em uma das mais importantes cláusulas das negociações, situação que perdura até hoje.

 

Sem que os sindicatos abandonem a luta atual para garantir o atendimento médico, sua melhoria sem preços e condições escorchantes, o movimento sindical precisa ser um parceiro efetivo e atuante na luta pelo fortalecimento do SUS, que precisa de recursos, pessoal e instalações, valorizando os aspectos prevencionistas que não são contemplados pelos atuais planos médicos das empresas e que dizem respeito também, a saúde dos trabalhadores e à prevenção de acidentes de trabalho.

 

 

 

 

 

 

 

joao guilherme CNTU artigo copy

 

*Consultor sindical

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Lido 97 vezes
Gostou deste conteúdo? Compartilhe e comente:
Adicionar comentário

Receba o SEESP Notícias *

agenda