GRCS

29/09/2016

Metalúrgicos paralisam em diversas regiões do País

Metalúrgicos cruzam os braços e vão às ruas neste Dia Nacional de Paralisação em Defesa dos Direitos, promovida pela categoria. Em todas as regiões do país, há registro de mobilização da categoria, como nas imediações da Embraer, em São José dos Campos, no interior paulista. O protesto ocorreu logo no início da manhã, na Avenida dos Astronautas, contra as reformas trabalhista e previdenciária propostas pelo governo de Michel Temer. Ainda no município, na General Motors, os metalúrgicos se concentram na porta da fábrica. No estado de São Paulo, também foram registradas palisações na capital, Guarulhos e Osasco.

 

Miguel-Torres-na-Fame
Miguel Torres com os metalúrgicos da Fame, no início dos protestos.



Em outros estados, a mobilização também é forte. Na Bahia, trabalhadores dos setores siderúrgico, de energia eólica e principalmente automotivo aderiram à greve, que durará 24 horas. Houve paralisação na fábrica da Ford. O presidente da CTB-Bahia, Aurino Pedreira, disse que os protestos foram um ensaio para a greve geral contra o ataque aos direitos.

No Dsitrito industrial de Catalão, Goiás, cerca de três mil trabalhadores das montadoras de veículos Mitsubishi e de máquinas agrícolas John Deere. Houve passeata pela BR 050 até a Justiça do Trabalho, na região central da cidade. O presidente do Sindicato, Carlos Albino de Rezende, disse que o movimento foi vitorioso. O protesto terminou por volta das 9 horas, com o lançamento da Campanha Salarial dos trabalhadores na Mitsubishi.

A CNTM (Confederação) e outras entidades metalúrgicas trabalham para que seja forte e nacional o dia de protesto da categoria. Cidades paulistas, como São Paulo e Guarulhos, terão paralisações de peso, concentrações e atos públicos", disse Miguel Torres, presidente da Confederação, na véspera dos protestos.



Com informações da Agência Sindical





Lido 1099 vezes

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

agenda