GRCS

15/06/2010

Dois livros importantes

 

João Guilherme Vargas Neto aponta duas publicações que merecem ser lidas e estudadas por quem se interessa pela luta dos trabalhadores e pelo movimento sindical. Um do Dieese, sobre salário mínimo e outro da OIT, sobre jornada

        Duas publicações recentes (ano 2009) produzidas pelas próprias instituições e distribuídas gratuitamente aos interessados merecem ser lidos e estudados por todos aqueles que se interessam pela luta dos trabalhadores e pelo movimento sindical, diz João Guilherme Vargas Neto, consultor da FNE e diversas entidades sindicais, em artigo publicado no Diap.
O primeiro deles é da OIT (www.oitbrasil.org.br) "Duração do trabalho em todo o mundo - Tendências de jornadas de trabalho, legislações e políticas numa perspectiva global comparada" (232 páginas mais índices), elaborado por três técnicos da instituição, Sangheon Lee, Deirdre McCann e Jon C. Messenger, em sete anos de trabalho.
       Em seu prefácio destaca-se que os estudos sistemáticos sobre as jornadas de trabalho, tanto nos países industrializados como nos países em desenvolvimento, são "surpreendentemente raros", o que valoriza ainda mais a edição brasileira quando o movimento sindical luta para conseguir a redução constitucional da jornada.
       O segundo, de responsabilidade do Dieese (www.dieese.org.br), parcialmente financiado pela Fundação Ford e apresentado pelas seis centrais sindicais - CGTB, CTB, CUT, Força Sindical, NCST e UGT - é o "Salário Mínimo - Instrumento de Combate à Desigualdade" (252 páginas), que tem como objetivo tratar - de maneira abrangente - as diferentes dimensões que o salário mínimo assume no debate que se desenvolve na sociedade brasileira (destaco, por exemplo, o importante capítulo 11 - Salário Mínimo e os Pisos Estaduais - fonte essencial para o estudo e a divulgação do tema).
       O livro da OIT é arma para a luta em curso pela redução da jornada sem redução de salário.
       O livro do Dieese valoriza a vitória do movimento sindical e dos trabalhadores ao garantir, junto com o governo federal, uma política permanente de valorização do salário mínimo, "uma das mais bem sucedidas experiências de ação unitária das Centrais nos últimos anos".

Lançamento na Conclat
       O livro “Salário mínimo, instrumento de combate à desigualdade” foi lançado pelo Dieese durante a Conferência Nacional da Classe Trabalhadora, em 1º de junho, no Estádio do Pacaembu.
       A publicação chega no ano em que o salário mínimo completa 70 anos e aponta o desafio de se manter a política de valorização do piso e garantir sua regulamentação em lei.

 

www.fne.org.br

 

 

Lido 1680 vezes

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

VAGAS DE ESTÁGIO

agenda