Logos

GRCS

21/01/2019

Advogados fazem ato em defesa da Justiça do Trabalho

Avalie este item
(0 votos)

Agência Sindical


Esta segunda (21) vai ser marcada por atos em defesa da Justiça do Trabalho. As manifestações respondem à fala de Jair Bolsonaro, que ameaça extinguir a Justiça trabalhista. O repúdio é generalizado nos meios jurídicos. Convocados pela Associação Brasileira de Advogados Trabalhistas (Abrat), operadores do Direito se manifestam hoje, a partir das 10 horas, em frente a instituições do Poder Judiciário nas Capitais e grandes cidades. O Ato em Defesa dos Direitos Sociais e da Justiça do Trabalho mobilizará advogados, magistrados, servidores do Judiciário, membros do Ministério Público do Trabalho e também entidades da sociedade civil.
 
 
Foto: Agência Sindical
ato em defesa da justica do trabalho
 


O protesto, que será simultâneo em todo o Brasil, marca o retorno das atividades da Justiça do Trabalho e servirá como prévia para a manifestação marcada pela Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho dia 5 de fevereiro, em Brasília. Para os organizadores, a Justiça do Trabalho é essencial ao próprio Estado de Direito Democrático.

São Paulo - O ato será em frente ao Fórum Ruy Barbosa, na avenida Marquês de São Vicente, Barra Funda. Segundo a presidente da Associação dos Advogados Trabalhistas de São Paulo, Sarah Hakim, o movimento – que recebeu o reforço da OAB estadual – buscará posterior o apoio das Centrais e Confederações, visando agregar o sindicalismo à luta  pela continuidade da Justiça do Trabalho.

Para a advogada, a intenção de Bolsonaro “é mais um gesto no desmonte do Estado, que afetará principalmente segmentos mais frágeis da sociedade, como os trabalhadores”. Ela alerta: “Se conseguirem acabar com a Justiça do Trabalho, ganharão força pra atacar outras instituições e colocar em risco o próprio Estado Democrático de Direito”.

Sarah Hakim, que participou quinta (17) do Repórter Sindical na Web, na TV Agência Sindical, nega que a Justiça do Trabalho seja dispendiosa para a sociedade e que há excesso de demandas trabalhistas. A líder de classe dos advogados destaca: “O ordenamento jurídico trabalhista é um bem precioso”.

De acordo com o Tribunal Superior do Trabalho, em 2017 a Justiça trabalhista arrecadou para a União R$ 3,5 bilhões em Imposto de Renda, INSS, Custas, Emolumentos e multas, valor correspondente a 18,2% da sua despesa orçamentária. Também foram pagos aos reclamantes mais de R$ 27 bilhões, valor que beneficia a economia, pois é devolvido ao mercado na forma de aquisição de bens e serviços pelos trabalhadores.



Lido 278 vezes

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

VAGAS DE ESTÁGIO

agenda

art creasp