GRCS

Mostrando itens por marcador: porto

Do site da Fundacentro

A Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho (Fundacentro), a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e a Fundação Escola de Sociologia Política de São Paulo (Fespsp), realizam, nos dias 11, 12 e 13 de abril, o "Seminário Internacional Trabalho Portuário e Sindicalismo nos Portos em Tempos de Crise”. O evento ocorrerá no auditório do Sindicato dos Petroleiros do Litoral Paulista (Sindipetro), na Avenida Conselheiro Nébias, 248 – Paquetá, Santos – SP.

Os organizadores prepararam o evento com o objetivo de discutir o trabalho portuário e os caminhos do sindicalismo na construção dos enfrentamentos e das resistências em tempos de crise mundial do capital. Para isso, o seminário contará com a participação de pesquisadoras (es) das universidades e instituições do Brasil, Portugal, Alemanha e Chile, bem como de trabalhadores que constroem as relações dos sindicatos (federações e associações) com seus atores sociais no âmbito do trabalho portuário no Brasil e em outros países: Portugal, Espanha, Uruguai, Chile e Argentina.

Essa iniciativa reúne especialistas de diversas áreas do conhecimento e sindicalistas do Brasil e de outros países como Argentina, Espanha, Portugal, Alemanha, Chile, Uruguai, tem como intuito promover o compartilhamento de saberes e possível visualização de novas ações que possibilitem o enfrentamento da exploração capitalista e na luta por garantia de trabalho.

A presidente da Fundacentro, Leonice da Paz, estará presente na mesa de abertura. Além da presidente, também farão parte da abertura a reitora da Universidade Federal de São Paulo, Soraya Smaili; a pró-reitora de Extensão da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e professora, Raiane Assumpção; a diretora e professora do Campus Baixada Santista da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Sylvia Batista.

Logo em seguida, o professor Valério Arcary do Instituto Federal de São Paulo (IFSP), fará a conferência de abertura sobre Sindicalismo hoje, que desafios?, das 19h30 às 20h30.

Nos dias 12 e 13, das 8h30 às 17h30, pesquisadores discorrerão sobre determinados temas que envolvem segurança e saúde no trabalho, porém, os temas centrais desses dias são: “Pesquisas sobre o trabalho portuário desenvolvidas no âmbito das universidades”; Pesquisas e formação sobre trabalhador portuário desenvolvidas pelos trabalhadores portuários; ações sobre saúde e segurança no trabalho portuário desenvolvidas no âmbito dos portos: contribuição nas lutas dos portuários.

Dando continuidade, no dia 13, os especialistas discorrerão a partir do tema central sobre Apresentações do movimento: Estrutura sindical nos portos, das 10h50 às 12h. Nesse dia, o assessor da presidência da Fundacentro, Washington Aparecido dos Santos (Maradona) coordenará a mesa.

Já, o engenheiro da Fundacentro da Baixada Santista, Josué Amador Silva, participará do bloco Apresentações das instituições – Sindicatos envolvidos no movimento sindical portuário. Josué explanará sobre “O papel das instituições no movimento sindical”. No final das palestras ocorrerá roda de conversa para discorrer sobre os caminhos futuros na defesa dos direitos dos trabalhadores nos portos.

A inscrição pode ser feita online ou por e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.. Para fins de doação, os organizadores do seminário internacional solicitam 1 (uma) lata ou 1 (um) pacote de leite em pó. O certificado será emitido aos presentes via sistema.

 

A empresa Vale está com projeto em andamento que aumentará a produção do complexo minerário na região da Serra dos Carajás (PA): é o S11D, cujo início operacional está previsto para o segundo semestre de 2016. Para tanto, informa a assessoria de comunicação da companhia, a mineradora está contratando vários profissionais da área tecnológica, entre eles engenheiros, com 180 vagas já sendo preenchidas e mais 210 em fase de captação. À categoria, são 90 oportunidades deste ano até 2019, a maioria para as áreas de mecânica, elétrica, automação e minas. Há também vagas para as especialidades de segurança do trabalho e meio ambiente.


Foto: Salviano Machado/Vale
Vale SalvianoMachado 2
Vale está contratando engenheiros para o projeto S11D, empreendimento com 71%
de suas obras físicas finalizadas e que entrará em operação ainda este ano
 

A mineradora contabiliza, nos últimos dez anos, a admissão de aproximadamente 3.600 profissionais da área. Esse público, como assegura a empresa, é alvo de muitas iniciativas de educação continuada, com investimentos em diversos programas de pós-graduação, tais como especializações em planejamento de lavra, em transportes ferroviários, mestrados em automação, em desenvolvimento de recursos naturais sustentáveis, dentre outros.
 

Perfil profissional
De forma geral, a empresa, explica sua assessoria, “busca pessoas interessadas em se desenvolver profissionalmente, que gostem de desafios, que queiram deixar um impacto positivo para as comunidades e o meio ambiente e cumpram estritamente os requisitos de saúde e segurança”.

Cadastre seu currículo para as vagas ao S11D.

 

 

 

Rosângela Ribeiro Gil
Imprensa SEESP
Matéria publicada, originalmente, no Jornal do Engenheiro, nº 491, de maio de 2016

 

 

 

 

 

 

 

 

A Junta Comercial do Estado de São Paulo (Jucesp) constatou um aumento de 17% no número de empresas constituídas no primeiro semestre de 2012 na Baixada Santista. Em 2012, foram registrados um total de 8.488 mil empreendimentos na região, frente a 7.236 no mesmo período do ano passado. O levantamento leva em consideração a soma de constituições deferidas pela Jucesp com as formalizações do programa Microempreendedor Individual (MEI), em prática desde julho de 2009.

De acordo com Luiz Carlos Quadrelli, secretário adjunto responsável pela pasta de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, a qual a Jucesp é vinculada, o número de adesões ao MEI foi o motivo do aumento da atividade empresarial. Para ele, o crescimento é resultado das novas oportunidades que o programa trouxe para os trabalhadores que atuavam na informalidade. “Agora esses empreendedores passaram a ter melhores condições para crescer e prosperar, com direito a todos os benefícios previstos em lei”, explica.

Representatividade
O Estado de São Paulo é líder no registro de novas empresas no Brasil, com 33,1% de participação no ranking do Departamento Nacional de Registro de Comércio (DNRC). Minas Gerais ocupa a segunda posição, com 9,4%, seguido por Paraná (7,9%), Rio Grande do Sul (7,4%) e Rio de Janeiro (6,6%). Em 2011, foram registrados um total de 444,6 mil empreendimentos no Estado.

Dentre os tipos jurídicos tradicionais, com exceção do MEI, as sociedades limitadas foram as preferidas dos empreendedores paulistas com 47% do total e os empresários individuais representaram 45%. Para o presidente da Jucesp, José Constantino de Bastos Jr., o cenário poderá sofrer variações nos próximos anos. “Os registros de microempreendedores individuais deverão continuar crescendo durante um período até se estabilizarem a longo prazo, abrindo caminho para transformações em modelos que permitam a ampliação do porte empresarial,” diz.

Também há expectativas quanto à criação da Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (Eireli). “O modelo surgiu no início do ano como uma alternativa contra a formação de empresas que utilizam pessoas irregularmente como sócias, para que o empresário possa usufruir sozinho das condições de limitação de responsabilidade na atividade empresarial”, afirma.

 

Imprensa – SEESP
* Informação da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia



agenda