Logos

GRCS

11/02/2015

Criado grupo em defesa da Bacia do Paraíba

Avalie este item
(0 votos)

Prefeitos e representantes de 33 cidades da Região Metropolitana do Vale do Paraíba se reuniram, no dia 9 de fevereiro último, em São José dos Campos, para debater a atual situação dos recursos hídricos da região. O encontro, promovido pela prefeitura local, resultou na criação de um grupo de trabalho em defesa da Bacia do Paraíba do Sul.

A reunião aconteceu no Parque da Cidade, na zona norte do município, e contou com a participação de representantes do Ministério de Ciência e Tecnologia, da ANA (Agência Nacional de Águas), Sabesp, DAEE (Departamento de Águas e Energia Elétrica), Agevap (Associação Pró-Gestão das Águas da Bacia Hidrográfica do Rio Paraíba do Sul), CBH-OS (Comitê das Bacias Hidrográficas do Rio Paraíba do Sul), entre outras entidades, e autoridades interessadas no tema.

As propostas apresentadas no encontro serão sistematizadas pelo prefeito de Ilhabela, Toninho Colucci, um dos membros da Frente de Prefeitos em Defesa da Bacia do Paraíba, como foi batizado o grupo, e discutidas em uma nova reunião no próximo dia 26 de fevereiro, também em São José doa Campos.

Na mesma data, os prefeitos irão finalizar um documento para nortear as ações do grupo junto aos os governos de São Paulo e Rio de Janeiro, aliados aos órgãos de gestão dos recursos hídricos.

“A crise hídrica é um problema que afeta a todos, por isso, devemos trabalhar coletivamente em campanhas de conscientização sobre o uso da água e desenvolver ações que garantam economia do produto. Temos um cenário, segundo os especialistas, bastante preocupante para o setor nos próximos anos”, disse o prefeito de São José.

Para o prefeito de Ilhabela, Toninho Colucci, o encontro foi importante para debater os impactos que as cidades estão enfrentando com a escassez dos recursos hídricos. “No litoral, como a captação é direta do rio e não de reservatórios, já vivemos à mercê das chuvas e da sazonalidade do turismo, explicou.”

Benedito Carlos de Campos Silva, prefeito de Natividade da Serra, destacou a importância do encontro e do trabalho dos trabalhos a serem desenvolvidos pelos municípios.  “A seca está gerando impacto socioeconômico muito grande. Com a baixa no reservatório, logo o nosso sistema de captação também estará comprometido”, avaliou.

O prefeito de São José, encerrou o encontro ressaltando a importância dessa união dos municípios para enfrentar a crise hídrica. “Além de investimentos em captação, precisamos reivindicar ações para a proteção dos mananciais. Teremos um problema concreto no futuro se não forem tomadas medidas efetivas no uso racional da água em grande escala. Temos que trabalhar conjuntamente para não chegarmos nesse ponto”, finalizou o prefeito.

A Frente de Prefeitos também vai estudar projetos que possam contribuir com a redução do consumo de água nos municípios. Outra proposta é captar mais recursos para programas que colaborem com a produção de água.

São José dos Campos, por exemplo, vai lançar em março um edital que prevê a remuneração de produtores rurais que promovam a conservação de mananciais. A primeira etapa prevê aplicar R$ 1,3 milhão na preservação da sub-bacia do Ribeirão das Couves, que abastece o Distrito de São Francisco Xavier.


 

Fonte: Prefeitura Municipal de São José dos Campos








Lido 835 vezes

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

VAGAS DE ESTÁGIO

agenda

art creasp