GRCS

03/05/2021

7 dicas para fazer uma videoentrevista para processos seletivos

Marismar Malara*

 

A apresentação pessoal por videoentrevista já faz parte de muitos processos de seleção. A crise sanitária criada pela pandemia, que exigiu o distanciamento social, tornou esse formato ainda mais popular. Nessa modelagem, que se diferencia de processos virtuais ou tradicionais, o candidato precisa gravar um vídeo e enviar ao recrutador por e-mail, links do YouTube, fazer upload em plataformas próprias da empresa ou de empresas especializadas em processos seletivos.

 

Normalmente, o vídeo é requisitado após a análise do currículo pelo recrutador – aliás, também está se tornando comum solicitar o próprio currículo em vídeo. O vídeo facilita a análise de diversas características e competências do candidato, fazendo com que o processo de seleção seja ainda mais positivo.

 

A apresentação em vídeo pode ser em diversos formatos: dependendo da vaga requisitada e até da empresa, pede-se uma apresentação mais criativa, inovadora ou seguir o padrão tradicional. A apresentação pode ser livre, sem um roteiro pré-definido ou, ainda, uma apresentação com direcionamentos e um roteiro estruturado. Neste último caso, o recrutador vai enviar o que espera contenha o vídeo e, por vezes, solicitar a apresentação de algum case a ser respondido em um determinado tempo.

 

Em quaisquer das situações, é preciso pensar no roteiro e planejar adequadamente sua produção. Normalmente, o vídeo tem duração de 1 a 3 minutos e deve-se utilizar o tempo com sabedoria e assertividade, sabendo da importância de entregar a quem está avaliando o que é preciso saber.

 

Lembre-se de inserir objetivo profissional, formação acadêmica, experiência profissional e/ou acadêmica, principais competências e realizações. Agora vamos pontuar como pensar e definir o que falar sobre os pontos necessários e como fazer o vídeo.

 

  1. Na apresentação pessoal
    É importante iniciar com o nome completo, idade, cidade onde reside. Pode dizer se tem filhos, mas é uma informação opcional. Em seguida, fale sobre formação acadêmica, ensino médio (se for técnico), graduação, pós graduação, mestrado, doutorado etc. Importante citar o curso, e quando vai ou pretende concluir. Vale inserir informações sobre domínio em outro(s) idioma(s). Algumas vagas, inclusive, podem requerer o vídeo em outra língua. Uma dica: se estiver pleiteando trabalhos internacionais ou que a vaga indique outros idiomas, tenha sempre um vídeo de apresentação na sua língua nativa e outro no idioma indicado.
  2. Na experiência profissional e/ou acadêmicas
    Foque em experiências ou atividades, trabalhos acadêmicos mais importantes ou naqueles que têm mais relação com a vaga que está participando. O recrutador quer saber o que você faz no momento para aproveitar o tempo da melhor forma, o ideal é trazer apenas as informações mais relevantes. Aqui vale a dica para pensar nesse roteiro e escrever todas as experiências e atividades profissionais, então faça uma análise do que é mais importante colocar na gravação.
  3. Principais competências e resultados
    Aqui, o autoconhecimento é fundamental, porque aqui se trata de características pessoais de destaque, por exemplo: comunicação, planejamento, organização etc.; desenvolvimento técnico, como habilidade com softwares da sua área de atuação, metodologias específicas. Apresente também resultados entregues, projetos que participou que tiverem relevância, reconhecimentos por causa de um trabalho ou projeto etc.
  4. Objetivo Profissional
    Nesta parte, deixe evidente quais são seus objetivos profissionais, que podemos fazer um link com a famosa pergunta “por que eu devo te contratar?”.
  5. Ambiente de gravação
    Planeje o ambiente da gravação, avalie o cenário que estará demonstrando no próprio local. Escolha um local que não tenha tantos ruídos. Utilize um microfone para captar bem o seu áudio – o fone de ouvido pode ser utilizado como microfone. Sempre se coloque no lugar de quem assistirá sua apresentação. Olhe para a câmera, grave sempre na horizontal e cuide de sua aparência, sempre pensando na imagem que quer expressar.
  6. Vídeo teste
    É importante fazer vídeos de teste, mas evite fazer muitas edições no vídeo final, e jamais coloque algum tipo de efeito especial. Lembre-se: o único objetivo é mostrar como você se comunica, desenvoltura, naturalidade e confiança.
  7. Valores
    O videoentrevista não precisa ser perfeito, mas deve ser fiel aos seus valores, suas necessidades e até vontades. Com tempo e prática, essa atividade se torna mais tranquila de ser realizada. Treino e persistência são o segredo para o sucesso em qualquer área da vida.

 

200 Maris Artigo ABR2021 3* Especialista em Gestão de Pessoas, integra a equipe Oportunidades na Engenharia do Sindicato dos Engenheiros no Estado de São Paulo (SEESP).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

>> Sugestão de vídeo

 

Lido 186 vezes

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

agenda