GRCS

03/07/2020

Boletim do SEESP traz "a verdade sobre as negociações com o Metrô"

Comunicação SEESP

reuniao conciliacao Metro homeEm seu informativo Linha de Frente (edição 06), o Metrô afirma que, na reunião com o Núcleo de Conciliação do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), “lamentavelmente, os sindicatos não evoluíram na negociação, se recusando a apresentar uma contraproposta”. É no mínimo estranho. "A verdade é que o SEESP, desde a primeira reunião de negociação do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT), apresentou proposta ao Metrô, formalizada através de ofício ao Diretor de Assuntos Corporativos no dia 25 de junho", diz trecho de boletim enviado aos profissionais nesta semana. Para tentar resolver o impasse, e dar continuidade à negociação, o TRT agendou nova reunião de conciliação na segunda-feira (6/7) às 15h, em conjunto com a Audiência de Tutela Cautelar solicitada pelo Metrô. 

Na reunião realizada no dia 30 de junho, o SEESP cobrou posicionamento. A empresa, por sua vez, afirmou que analisaria e nos daria resposta, o que até o momento não ocorreu. Ou seja, o Metrô tem se negado a avançar nas negociações, ignorando o momento pelo qual estamos atravessando e aproveitando a pandemia para retirar conquistas de décadas.

Na reunião de conciliação no TRT, o desembargador David Furtado Meirelles cobrou insistentemente do Metrô posicionamento e questionou se seus representantes tinham poder real de negociar – e, se achassem necessário, poderia chamar o Secretário de Transportes Metropolitanos do Estado de São Paulo.

Outro trecho lamentável do comunicado do Metrô é quando afirma que “os sindicatos mantiveram o mesmo posicionamento anterior, ignorando totalmente a realidade das condições financeiras da companhia nos últimos anos...”.

De acordo com o Relatório de Gestão 2015-2018, à disposição no site do Metrô, o balanço de 2017 apresentou índice de cobertura de 104,8% e uma receita de R$ 2.750 milhões e o de 2018, um índice de cobertura de 106,35% e uma receita de R$ 2.800,6 milhões, ou seja, confirma-se o aumento contínuo das receitas e do índice de cobertura nos quatro anos da gestão anterior. E no Relatório Integrado 2019 verifica-se uma série de avanços e elogios à equipe do Metrô e seu diretor-presidente, Silvani Pereira, afirma que “fechamos o ano com chave de ouro”.

Mais uma vez, o SEESP reitera a sua disposição para a construção de um novo ACT e espera do Metrô o reconhecimento dos trabalhos prestados por seus empregados ao longo da história da companhia.



Lido 345 vezes

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

Oportunidades Plataforma 29 04 1

VAGAS DE ESTÁGIO DE ENGENHARIA

agenda