GRCS

SINDICAL - SEESP homenageia destaques do ano no Dia do Engenheiro

Avalie este item
(0 votos)

Soraya Misleh


       Como ocorre tradicionalmente desde 1987, o sindicato entregou o prêmio Personalidade da Tecnologia a seis profissionais que se destacaram durante o ano em 9 de dezembro. A cerimônia, que marcou o Dia do Engenheiro – celebrado no dia 11 do mesmo mês –, aconteceu na sede do SEESP, na Capital paulista. Contou com a presença de autoridades como o vereador paulistano Jamil Murad (PCdoB) e o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Aloizio Mercadante Oliva, ele próprio agraciado nesta 25ª edição, na categoria “Valorização profissional”.

       Ao todo, prestigiaram a solenidade cerca de 200 pessoas. À abertura, Murilo Celso de Campos Pinheiro, presidente do SEESP, enfatizou: “Temos a honra de escolher profissionais que contribuem para melhorar a qualidade de vida e o desenvolvimento do País.”

       Em alusão aos agraciados da noite, José Roberto Cardoso, diretor da Poli-USP (Escola Politécnica da Universidade de São Paulo) e coordenador do Conselho Tecnológico do SEESP – responsável pela seleção dos nomes –, frisou que ali estava retratada “a cara da engenharia” na atualidade.

       Antonio Octaviano, diretor do sindicato e secretário executivo do CAD (Conselho de Administração) do Isitec (Instituto Superior de Inovação e Tecnologia), saudou Mercadante como inspirador da fundação deste último. “Ele e os demais homenageados mostram o acerto dessa iniciativa pioneira no Brasil de se implantar uma instituição voltada à inovação.” Reitor da USP, João Grandino Rodas ressaltou: “Sem inovação, não há possibilidade de progresso.” Para Edgar Horny, presidente da VDI-Brasil (Associação de Engenheiros Brasil-Alemanha), nessa direção, a homenagem serve de exemplo da excelência da ciência, tecnologia e engenharia.


Com a palavra, os agraciados
       Primeiro a receber o prêmio, Mercadante informou que a ênfase de sua gestão será em inovação. Nesse sentido, comprometeu-se em apoiar o esforço de implantação do Isitec. Ademais, aproveitou o momento para apresentar a proposta de estratégia nacional de C, T & I para os próximos quatro anos. Essa inclui, como afirmou ele, áreas fundamentais, como espacial, de tecnologia de informação, de biotecnologia, gás e petróleo, energias limpas. “A expectativa é inaugurar em 2013 grandes projetos.” E continuou: “Já somos a sétima economia do mundo. Temos que aproveitar o momento para olhar o conhecimento, a economia verde, atrair inteligências.” Assim, Mercadante foi enfático: “Vamos passar de 5.500 bolsas no exterior para 100 mil nos próximos três anos, sobretudo nas áreas das engenharias, tecnológicas e de ciências básicas. Estamos também abrindo edital para jovens talentos. Serão mil vagas a doutores que foram trabalhar fora e queiram voltar ao País. E vamos aumentar em R$ 2,5 bilhões o orçamento do Ministério para o ano que vem e contratar mil pesquisadores.” Incrementar o número atual de formandos em engenharia – um a cada 50 que saem das faculdades – foi outra pretensão anunciada pelo premiado. Ele cobrou ainda dos profissionais de destaque presentes a construção de tablet brasileiro. “Temos 70 milhões de alunos em escolas públicas que precisam ter acesso a essa tecnologia.”

       Agraciado como Personalidade da Tecnologia em Inovação, Vanderlei Salvador Bagnato afirmou que “é preciso ‘futebolizar’ o conhecimento e a ciência, tornando-a parte do nosso dia a dia”. Na sua ótica, isso é fundamental para se reverter o quadro atual em que o Brasil é exportador e produtor de commodities, não de produtos com valor agregado. “Temos que investir em inovação. Em alguns anos, teremos 25 milhões de pessoas no País acima de 80 anos de idade, e temos muito o que fazer para garantir qualidade de vida a essa sociedade.” Representando seu pai, Luiz de Queiroz Orsini, indicado na categoria “Educação”, Sérgio Orsini leu discurso escrito pelo homenageado no qual esse destacou com orgulho as evoluções tecnológica e na engenharia elétrica ao longo dos últimos 50 anos e sua participação nesse processo.

       Laureado na área de agricultura, Antonio Mauro Saraiva também apontou o incremento havido nesse segmento. Segundo ele, o sucesso em competitividade e produtividade vem crescendo, “graças ao uso intensivo de tecnologia desenvolvida por nossas instituições e pesquisadores”. E concluiu: “Nenhum conflito com a preservação da natureza é necessário, mas para isso é preciso tecnologia. É a isso que tenho me dedicado nos últimos 22 anos.”

       A oportunidade de participar da grande mudança na indústria brasileira havida nos últimos 50 anos, através da inovação e do desenvolvimento, foi destacada pelo premiado em Informática, Lucas Antonio Moscato. “No começo dos anos 70, o País não tinha eletrônica digital, mas tinha a consciência de que essa podia ser desenvolvida. O primeiro projeto foi o computador Patinho Feio, desenvolvido pela Poli. Depois, foi a vez de sistemas mais complexos”, rememorou.

       Preservar essa e outras histórias que vêm sendo construídas por tais personalidades tem sido o trabalho ao qual vem se dedicando Shozo Motoyama, o que lhe garantiu a homenagem na categoria “História da engenharia”.


PERSONALIDADES DA TECNOLOGIA 2011

Educação
Luiz de Queiroz Orsini
Engenheiro mecânico-eletricista formado pela Poli/USP (Escola Politécnica da Universidade de São Paulo) em 1946, é doutor pela Universidade de Paris (Sorbonne). Dedicou-se por mais de seis décadas à educação superior, e sua atuação é considerada crucial na modernização do ensino de engenharia elétrica no Brasil. É livre-docente, professor catedrático e emérito na Poli/USP. Participou da criação de novos cursos e laboratórios e promoveu o uso de computadores como ferramenta de ensino. Realizou também pesquisas na área de circuitos e instrumentação eletrônica. Trabalhou nos laboratórios de Yves Rocard, em Paris. Ocupou o cargo de diretor do Instituto de Física em 1975 e de pró-reitor de graduação entre 1988 e 1990 na USP. Tem o título de Life Fellow pelo Instituto de Engenheiros Eletricistas e Eletrônicos. É autor de diversos livros, entre eles “Curso de circuitos elétricos” e “Introdução aos sistemas dinâmicos”.


Inovação
Vanderlei Salvador Bagnato
       Físico formado pela USP (Universidade de São Paulo) em 1981, é também engenheiro de materiais pela UFSCar (Universidade Federal de São Carlos). É mestre em física pela USP e doutor pelo MIT (Massachussets Institute of Tecnology/USA). Foi responsável pelo desenvolvimento do primeiro laboratório de átomos frios no Brasil. Realizou vários trabalhos em metrologia de tempo e frequência com a construção do primeiro relógio atômico em todo o hemisfério Sul. Na área de biofotônica, liderou um projeto pioneiro que culminou no surgimento de diversas técnicas de diagnóstico e tratamento de câncer. Lidera diversas iniciativas de difusão da ciência, como a administração de um canal de TV totalmente dedicado ao tema. É livre-docente e professor titular na USP. Orientou vários trabalhos de mestrado e doutorado, publicou mais de 300 artigos científicos e inúmeros livros. Atualmente é coordenador da Agência USP de Inovação.


Agricultura
Antonio Mauro Saraiva
       Engenheiro eletrônico formado pela Poli/USP (Escola Politécnica da Universidade de São Paulo) em 1980, é também agrônomo pela Esalq (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz) em 1987. Mestre, doutor, livre-docente em engenharia na Poli/USP, professor titular e vice-chefe do Departamento de Engenharia de Computação e Sistemas Digitais. Criou o laboratório de automação agrícola. Presidiu a SBIAgro (Associação Brasileira de Agroinformática) e foi chairman de tecnologia da informação da Cirg (International Commission of Agricultural Engineering). É assessor técnico da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação e do Ministério do Meio Ambiente. Participa do Biodiversity Information Standards. Atualmente é presidente da Comissão de Pesquisa da Poli/USP e pesquisador 1-D do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico).


História da engenharia
Shozo Motoyama
       Físico formado pela USP (Universidade de São Paulo) em 1967, é doutor em ciências, livre-docente e professor titular da FFLCH (Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas) pela mesma instituição. Ocupou o cargo de secretário-geral da Sociedade Brasileira de História da Ciência entre 1982 e 1988. Atuou como diretor do CHC (Centro Interunidade de História da Ciência) da USP e do Museu Histórico de Imigração Japonesa no Brasil. Recebeu vários prêmios acadêmicos. Atualmente é presidente do Centro de Estudos Nipo-Brasileiro e membro titular da cadeira nº 15 da Academia Paulista de História. É autor de 31 obras, algumas na área de engenharia, como “Tecnologia e industrialização – Uma perspectiva histórica”; “Educação técnica e tecnológica em questão: 25 anos do Ceeteps – História vivida”; e “Escola Politécnica, 110 anos construindo o futuro”. Escreveu ainda 47 capítulos de outros livros e mais de 200 artigos.


Informática
Lucas Antonio Moscato
       Engenheiro eletrônico formado pela Poli/USP (Escola Politécnica da Universidade de São Paulo) em 1969, é mestre em engenharia de sistemas, doutor em eletrônica, livre-docente e professor titular pela mesma instituição. Possui também título de especialista em administração de empresas pela FGV (Fundação Getúlio Vargas). Com vasta experiência na área de engenharia mecatrônica, com ênfase em robótica, atuou em vários projetos de desenvolvimento de tecnologia, entre eles no primeiro computador brasileiro e robô industrial e do sistema de controle de trens de subúrbio para a antiga Fepasa (Ferrovia Paulista S/A). Criou a Fundação para o Desenvolvimento Tecnológico da Engenharia, instituição em que exerceu os cargos de diretor tesoureiro e vice-presidente. Desenvolveu e coordenou o curso de engenharia mecatrônica e fundou o departamento dessa modalidade na Poli/USP. Atualmente é suplente do pró-reitor de Cultura e Extensão da USP.


Valorização profissional
Aloizio Mercadante Oliva
       Economista formado pela USP (Universidade de São Paulo), é mestre em ciência econômica e doutor em teoria econômica pela Unicamp (Universidade Estadual de Campinas). É professor licenciado de economia da PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo) e da Unicamp. Foi deputado federal por dois mandatos e senador da República por São Paulo entre 2003 e 2011, período em que exerceu as funções de líder do governo, da bancada do PT e do bloco de apoio e presidente da Comissão de Assuntos Econômicos. Presidiu o Parlamento do Mercosul (Mercado Comum do Sul) em 2010 e atualmente exerce o cargo de ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação. É autor de diversas obras, entre elas, “Brasil: A construção retomada”; “Observatório: Coletânea de artigos sobre a evolução do Brasil nos últimos anos”; “Brasil: Primeiro tempo – Análise comparativa do governo Lula”; e “O Brasil pós-real: a política econômica em debate”.




Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

agenda