GRCS

14/06/2021

Dieese aponta que 60% dos reajustes de abril ficaram abaixo da inflação

Dieese

balanco reajustes internaAnálise do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) revela que 60% dos reajustes salariais de abril ficaram abaixo de 6,94%, inflação acumulada em 12 meses, encerrados em março, segundo o Índice Nacional de Preços ao Consumidor, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (INPC-IBGE). Reajustes acima do índice inflacionário foram observados em 17% dos casos; e iguais, em 23%.

A variação real média dos reajustes em abril foi de -1,28% e 50% dos resultados apresentaram perdas salariais iguais ou superiores a 0,58%. No panorama da negociação nos últimos meses, os reajustes de abril revelam a persistência de um quadro desfavorável, que começou a se agravar em outubro de 2020.

Nos resultados acumulados de 2021, 12,3% dos reajustes tiveram ganhos reais; 28,9% ficaram iguais ao INPC-IBGE; e 58,7%, abaixo da variação do índice de inflação. A variação real média foi igual a -0,57%; e 50% dos reajustes analisados apresentaram perdas iguais ou superiores a 0,18%


Por data-base
O valor do reajuste necessário – equivalente à inflação acumulada nos 12 meses anteriores a cada data-base – continua em alta. As categorias com data-base em maio
precisam conquistar reajustes de 7,59%, segundo a inflação medida pelo INPC-IBGE, para recomporem o poder de compra que os salários tinham na data-base anterior}}

 

Por setor econômico
As negociações do comércio, em comparação com as da indústria e dos serviços, são as que têm registrado, em termos relativos, maior percentual de reajustes iguais ou acima da inflação (64,1%). Mas é na indústria que se observam com mais frequência (18,8% dos instrumentos) reajustes acima da inflação.


Por região geográfica em 2021

No recorte por regiões geográficas, o Sul ainda tem os melhores resultados nos quatro primeiros meses do ano. Mais difíceis têm sido as negociações do Centro-Oeste e Sudeste, onde os reajustes abaixo da inflação foram observados em mais de 70% dos casos.

Por tipo de instrumento no ano

Reajustes acima da inflação são mais frequentes nos acordos coletivos, celebrados entre entidades sindicais de trabalhadores e empresas, do que em convenções coletivas,
com entidades patronais. A diferença é compensada, em parte, pela incidência maior de reajustes iguais à inflação nas convenções. Consequentemente, os dois tipos de instru-
mentos têm proporções parecidas de reajustes abaixo do INPC-IBGE.


Confira o balanço na íntegra com gráficos neste link.


Lido 95 vezes

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

agenda