logo seesp ap 22

 

BannerAssocie se

17/06/2020

Nota – Pelo respeito às atribuições dos engenheiros mecânicos

FNE

 

A Federação Nacional dos Engenheiros (FNE), que representa mais de 500 mil profissionais em 18 estados brasileiros, juntamente com seus sindicatos filiados – incluindo o SEESP – , vem perante a categoria dos profissionais e toda a sociedade manifestar seu posicionamento contrário à alarmante Resolução 101 do Conselho Federal dos Técnicos, que versa sobre atribuições profissionais de forma conflitante com aquelas legalmente atribuídas aos engenheiros mecânicos.

 

A FNE lutará junto ao Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea) e aos Conselhos Regionais de Engenharia e Agronomia (Creas), órgãos fiscalizadores e responsáveis pela definição de atribuições dos profissionais, e também em conjunto com as demais entidades integrantes do Colégio de Entidades Nacionais (CDEN/Confea), para que seja revogada tal resolução. Essa não só prejudica os engenheiros com formação técnica e qualificação altamente especializada, como coloca em risco toda a sociedade. Na defesa dos direitos dos engenheiros e da valorização profissional, tão cara à categoria, a FNE não deixará de se posicionar e lutar dia a dia pelo correto encaminhamento das ações que possam vir a atropelar o exercício legal da profissão.

 

Estamos juntos com todos os profissionais, pois a engenharia nacional deve estar à frente do desenvolvimento e crescimento do País, com responsabilidade e ética, atuando adequadamente em suas áreas de competência, conquistadas com muito esforço e dedicação na formação nas faculdades de engenharia de todo o Brasil.

 

 

 

 

 

 

 

Lido 2002 vezes
Gostou deste conteúdo? Compartilhe e comente:
Comentários  
# atribuições dos técnicosJosé Henrique Lopes 22-07-2022 15:02
Após exaustiva consulta encontrei este órgão e gostaria de saber se há ações para ao menos reduzir as atribuições de técnicos eletrotécnicos. Explico: hoje um Técnico nestes moldes levaram a atribuição de poderem projetar sistemas de até 800kVA. Acho que muitos não tem noção do que é isso. É a potência elétrica de um bairro, de um prédio que tenha um trafo de 750kVA. Isso é um absurdo. Nós engenheiros já sofremos porque Eng. Civis e Arquitetos podem fazer projetos elétricos de até 75kVA, o que é hoje a maioria dos projetos. Se levar em consideração a energia solar, qualquer potência pode ser assinada pelos técnicos. Não sou contra eles, mas as atribuições têm que ser diminuidas. Hoje para um técnico 112,5 kVA já estaria de bom tamanho. Com estas atribuições atuais Engenheiros Eletricistas perderam a razão de existir. agradeço se puderem me informar.
Responder
Adicionar comentário

Receba o SEESP Notícias *

agenda