GRCS

02/05/2012

Engenheiros da Usiminas querem o fim do registro de ponto

A primeira reunião de negociação da data-base dos engenheiros da Usiminas/Cubatão, que aconteceu no dia 26 último, na sede da Delegacia Sindical da Baixada Santista (Desibas) do SEESP, foi de leitura da pauta de reivindicações, que tem 24 itens. Pela siderúrgica participaram representantes do setor de Relações Trabalhistas e pela Desibas, o presidente Newton Güenaga Filho.

Güenaga, na mesa de negociação, destacou a importância de se fechar um acordo salarial com a reposição da inflação, aumento real e com a solução de problemas que estão ocorrendo na empresa. “Os engenheiros da Usiminas querem a retirada do registro de ponto e discutir horas extras e banco de horas.”

A próxima reunião acontecerá entre os dias 7 e 11 de maio, na sede do SEESP, em São Paulo. Na oportunidade, será apresentado à direção da Usiminas o Isitec (Instituto Superior de Inovação e Tecnologia), projeto do sindicato.

Pesquisa
Como sempre faz todos os anos, a Desibas fez uma pesquisa junto aos engenheiros da Usiminas para saber quais as principais reivindicações e reclamações da categoria. Segundo Güenaga, a participação foi significativa. Os engenheiros da siderúrgica de Cubatão, entre sugestões de itens econômicos, como reajuste salarial pelo índice do Dieese, também querem que a PLR (participação nos lucros e resultados) deste ano se apresente de forma mais fácil de entendimento e que o banco de horas seja aprimorado com a negociação da compensação das horas de acordo com a necessidade do profissional. Os engenheiros também querem garantia de emprego.

 

Rosângela Ribeiro Gil
Imprensa – SEESP

 

Leia também
* Usiminas e Codesp iniciam campanha salarial
* 
Veja aqui relação das empresas e das campanhas salariais
* 
Ambiente favorável às negociações coletivas neste ano
* 
Representante do Ministério do Trabalho elogia seminário


Lido 2917 vezes

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

agenda