logo seesp ap 22

 

BannerAssocie se

Editorial - “Cresce Baixada” e o enfrentamento da crise

Avalie este item
(0 votos)

Uma iniciativa extremamente positiva está sendo desenvolvida pelo SEESP, por meio de sua Delegacia Sindical na Baixada Santista, em parceria com as demais entidades representativas de trabalhadores da região: o “Cresce Baixada”, inspirado no projeto “Cresce Brasil + Engenharia + Desenvolvimento”. O movimento visa evitar demissões e reduções salariais e que a recessão se instale de forma irremediável. A ideia forte nessa empreitada é que, apesar de se reconhecer a existência da crise e das dificuldades empresariais, é preciso um pacto para que a solução encontrada não seja o mero corte de pessoal.
Deve-se agir estrategicamente, pensando no futuro e na recuperação, pois a penúria dos trabalhadores em nada ajudará a economia das cidades e o bom desempenho das companhias. Também acertadamente, o “Cresce Baixada” estende o diálogo ao poder público, já que os governos podem e devem agir no sentido de induzir o desenvolvimento.
Com um calendário de atividades para construir esse arco de alianças em prol do emprego, o “Cresce Baixada” deve se reunir novamente no dia 19 de agosto na sede da Agência Metropolitana da Baixada Santista (Agem), contando com a participação de representantes das prefeituras da região, das entidades empresariais, das universidades e parlamentares, além, é claro, do movimento sindical. A partir dessa plenária, devem ser estabelecidos os passos para envolver os governos estadual e federal nesse esforço.
Entre as dez ações imediatas já defendidas pelo “Cresce Baixada”, a essencial é que as empresas se comprometam a não demitir pelo prazo mínimo de um ano. Destacam-se ainda a sugestão de benefícios fiscais às companhias que mantiverem seu quadro de pessoal, o estímulo aos projetos de obras da região, a preferência à contratação de mão de obra local, a criação de frentes de trabalho pela administração pública e a qualificação profissional. Ainda na pauta, está a ideia de trabalhar pela instalação de indústrias na região que integrem a cadeia produtiva do aço, assim como impulsionar o uso do insumo na construção de moradias.
Na nossa avaliação, a iniciativa é a estratégia de ação correta para enfrentar a crise econômica que atinge o País. É fato que o Brasil está inserido num contexto global complexo e é impossível que passe ao largo das turbulências internacionais. No entanto, internamente, é preciso que sejam tomadas medidas que evitem a recessão, em vez de estimulá-la, seja em nível nacional ou regionalmente. O “Cresce Baixada” é um exemplo virtuoso dessa visão e precisa ser fortalecido e multiplicado pelo Brasil afora.

Eng. Murilo Celso de Campos Pinheiro
Presidente

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar



Receba o SEESP Notícias

E-mail:

agenda