logo seesp ap 22

 

BannerAssocie se

Especial – Em cerimônia de posse, homenagem aos 80 anos do SEESP

Avalie este item
(0 votos)

Soraya Misleh

A trajetória do sindicato ao longo de sua existência, em prol da categoria, do Estado e do País, bem como a importância da atual diretoria para avanços e conquistas foram centrais nas falas das autoridades e personalidades durante a posse festiva da atual gestão e a homenagem aos 80 anos do SEESP – a se completarem em 21 de setembro próximo.

A solenidade realizou-se em 17 de março, na Assembleia Legislativa de São Paulo. Como reflexo da representatividade e importância do sindicato junto aos engenheiros e à sociedade como um todo, cerca de 1.700 pessoas prestigiaram a cerimônia, lotando o Plenário Juscelino Kubitschek. Diversas autoridades, como vereadores de vários municípios paulistas, deputados estaduais e federais e o senador Eduardo Suplicy (PT-SP), além de profissionais da categoria prestigiaram o evento, que foi presidido pelo deputado estadual Jooji Hato (PMDB). Entre as personalidades, estiveram presentes Rilma Aparecida Hemetério, desembargadora vice-presidente judicial do Tribunal Regional do Trabalho – 2ª Região (TRT-SP); o ex-reitor da Universidade de São Paulo (USP), Antonio Hélio Guerra Vieira, e o atual vice-reitor, Vahan Agopyan, além dos presidentes dos conselhos Federal e Regional de Engenharia e Agro­nomia de São Paulo (Confea e Crea-SP), José Tadeu da Silva e Francisco Kurimori. Compareceram ainda sindicalistas de todo o País, incluindo dirigentes da Federação Nacional dos Engenheiros (FNE) e da Confederação Nacional dos Trabalhadores Liberais Regulamentados Universitários (CNTU), bem como representantes de outras categorias e de centrais.

Eleita em abril de 2013 e tendo assumido oficialmente o mandato em 1º de janeiro último, a diretoria do SEESP tem como bandeiras prioritárias a valorização profissional, o fortalecimento de sua representatividade e a continuidade da luta pelo desenvolvimento nacional sustentável com inclusão social – como propugna o projeto “Cresce Brasil + Engenharia + Desenvolvimento”, iniciativa da FNE que conta com a adesão desse sindicato.

Reeleito para estar à frente da gestão 2014-2017, em seu discurso de posse, Murilo Celso de Campos Pinheiro destacou a importância de toda a diretoria no trabalho desenvolvido nos últimos anos. Entre as conquistas, citou a aquisição de novas sedes próprias de delegacias regionais no interior – totalizando 14 das 25 existentes – e a presença cada vez maior nas discussões de interesse da sociedade, de modo a influenciar nas políticas públicas em prol dos brasileiros. Pinheiro lembrou que o sindicato precisa continuar presente nos debates acerca dos acontecimentos marcantes no Brasil, como a realização da Copa 2014 e das Olímpiadas 2016, as eleições nacionais deste ano e os grandes movimentos de rua que tiveram início em junho de 2013. “Não podemos nos calar, temos que participar e exercer nossa cidadania. Nossa responsabilidade é cada vez maior no sentido de discutirmos um país mais justo e igualitário, ao mesmo tempo em que lutamos pela valorização dos nossos profissionais”, concluiu. Nesse sentido, como mencionou ele, está inserida a batalha pelo cumprimento do piso profissional, estipulado pela Lei 4.950-A/66 em nove salários mínimos vigentes no Brasil para jornada de oito horas diárias.

Proponente da solenidade, o deputado estadual Campos Machado (PTB) afirmou o respeito a uma categoria fundamental, responsável pelo “progresso nacional”: “Onde são construídas casas, túnel de metrô tem a presença desse profissional. Qualquer obra neste país tem sua assinatura.” “Sem engenheiro não tem desenvolvimento”, vaticinou o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf. Para ele, a engenharia e a indústria caminham juntas. O deputado estadual Itamar Borges (PMDB) também ressaltou a importância da categoria, frisando que os 80 anos do SEESP se confundem com a própria história de São Paulo. “Celebramos um trabalho profícuo, com muitas realizações em prol do fortalecimento da engenharia no Brasil e do desenvolvimento”, acrescentou José Roberto Bernasconi, presidente do Sindicato Nacional das Empresas de Arquitetura e Engenharia Consultiva (Sinaenco). O vereador paulistano Eliseu Gabriel (PSB) também enalteceu essa trajetória.

A criação do SEESP se deu num pe­ríodo de muitos fatos marcantes do País, como observou o deputado federal Arnaldo Jardim (PPS-SP). Entre eles, a transição de uma economia baseada no café para a industrialização, a luta pela democracia durante a Segunda Guerra Mundial e até a campanha “O Petróleo é nosso”. “O sindicato sempre teve posição de vanguarda no sentido de abrir e apontar novos caminhos.” Jardim aproveitou a ocasião para criticar qualquer ideia que passe pela importação de projetos ou de profissionais. “Devemos, sim, valorizar os nossos engenheiros, principalmente nos órgãos públicos que ainda não pagam o salário mínimo da categoria.” E completou: “O acervo técnico das nossas estatais não pode ser descartado.”

Ao mesmo tempo em que destacou o progresso tecnológico extraordinário em todos os campos da engenharia ao longo dos últimos 80 anos, o senador Eduardo Suplicy (PT-SP) observou que “o sindicato tem se caracterizado pela sua atuação em defesa das instituições democráticas do País”.  Em homenagem, ele entoou a canção Blowin’In the Wind, de Bob Dylan.

Outro que exaltou essa trajetória como a de uma instituição que luta não apenas pelos direitos e interesses específicos da categoria, mas está na linha de frente do desenvolvimento nacional foi o deputado federal Antonio Carlos Mendes Thame (PSDB-SP). “Essa é uma homenagem àqueles que dedicaram e dedicam parte do seu tempo e vida para construir um futuro melhor para todos.”


Cresce Brasil e Isitec

Já o secretário estadual de Transportes Metropolitanos de São Paulo, Jurandir Fernandes, representando o governador Geraldo Alckmin, ressaltou o acerto da direção do sindicato na condução da entidade. Ele elogiou o projeto “Cresce Brasil + Engenharia + Desenvolvimento”, como um “importante olhar para o futuro”. O secretário municipal de Serviços de São Paulo, Simão Pedro, observou na oportunidade que o “Cresce Brasil” foi precursor do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) – cuja primeira fase foi apresentada pelo governo federal em 2007 –, “apontando caminhos para o Brasil solucionar seus problemas de infraestrutura em várias áreas”.

A criação do Instituto Superior de Inovação e Tecnologia (Isitec), cuja entidade mantenedora é o SEESP, foi ainda destacada, tanto por Simão Pedro quanto por Jurandir Fernandes. Este último afirmou ser essa uma importante demonstração de que o sindicato “está preparado para os próximos 80 anos”. De acordo com o ex-diretor da Escola Politécnica da USP e coordenador do Conselho Tecnológico Estadual do SEESP, José Roberto Cardoso, tal projeto aponta que o papel do sindicato aumentou, sobretudo para preparar o futuro profissional em um mundo globalizado.

Representando o prefeito da Capital, Fernando Haddad, sua vice, Nádia Campeão, manifestou aos engenheiros a gratidão e homenagem da cidade de São Paulo, cujos desafios “são compartilhados com nossa categoria”. Formada em agronomia pela Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, da USP, ela revelou que acompanha as atividades do sindicato há 35 anos. “É uma entidade atuante, comprometida, engajada, democrática, plural, e o reflexo disso é a presença de tanta gente (na cerimônia).”

Para Luiz Flavio Borges D´Urso, que representou no ensejo o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, seção São Paulo (OAB-SP), Marcos da Costa, a recondução de Pinheiro ao comando da entidade enquadra-se no “típico caso da repetência por competência”.

Confira aqui a série de programas sobre a posse.


Colaboraram Rosângela Ribeiro Gil e Deborah Moreira

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar



Receba o SEESP Notícias

E-mail:

agenda