logo seesp ap 22

 

BannerAssocie se

Serviços

Avalie este item
(1 Votar)

Dez anos de previdência complementar aos engenheiros

Primeiro plano do gênero idealizado por uma instituição de classe no Brasil, o SEESPPrev completa, em 2014, dez anos de existência, com uma reserva matemática de mais de R$ 4 milhões. Iniciativa desse sindicato, o fundo é da modalidade Contribuição Definida (CD) e tem como objetivo proporcionar aposentadoria complementar aos seus associados e agregados, além de benefícios programados, calculados em função do saldo acumulado do participante.

“Bem antes de 2003, já percebíamos que o modelo público vigente no País não atendia aos nossos profissionais, que praticamente ficavam sem perspectivas decentes na hora da aposentadoria”, observa o diretor do SEESP, Flávio Oliveira Brízida.

Ele lembra que mesmo antes da implementação do fator previdenciário – fórmula criada em 1999, que chega a diminuir em 40% o valor da aposentadoria –, existiam outros redutores dos proventos de quem saía do mercado. “O engenheiro trabalhava a vida toda e, na hora de se aposentar, o que receberia do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) não daria para manter nem 30% do seu padrão de vida.” A preocupação fez com que o sindicato participasse de várias ações junto aos governos e ao Congresso Nacional e empreendesse estudos sobre a criação de uma modelagem específica para a categoria.

O debate nacional resultou na assinatura da Lei Complementar nº 109, em maio de 2001. Tal norma regularizou o regime de previdência complementar para a iniciativa privada, organizado de forma autônoma em relação ao sistema geral de previdência social e baseado na formação de reservas que garantissem o benefício. “A LC 109 foi uma grande evolução e nos permitiu elaborar o nosso plano, não só para garantir uma aposentadoria mais digna ao nosso associado, mas também aos seus filhos e netos”, ressalta Brízida.


Planejamento

Foi o que fez o presidente da Delegacia Sindical do SEESP na Baixada Santista, Newton Guenaga Filho. Ele adquiriu quatro planos, contemplando também a esposa e os dois filhos. “Antes de aderir, fiz todos os esclarecimentos junto ao Banco do Brasil e percebi que era um bom negócio, principalmente porque é um plano de previdência fechado, ou seja, tem menos custos, e ainda pode ser descontado no Imposto de Renda”, argumenta.

Guenaga planejou a sua participação no SEESPPrev de forma estratificada. “O da minha esposa foi, na verdade, uma espécie de poupança preventiva para os estudos dos filhos que, à época, tinham entre oito e nove anos de idade. Hoje, ela paga a faculdade deles com a complementação.” Na sua opinião, trata-se de uma alternativa de planejamento de vida. “Você sabe que vai envelhecer e terá uma queda na sua renda ao se aposentar. O SEESPPrev entra nesse momento”, destaca.

A opção pelo Banco do Brasil se deu por causa da solidez da instituição e das vantagens que foram oferecidas, como taxas de administração bem competitivas. “Um projeto desse vulto e tamanho, que envolve o futuro dos nossos associados, só pode estar ligado à credibilidade”, realça Brízida. O dirigente explica que as contribuições do SEESPPrev são depositadas diretamente na conta do banco, sem passar pelo setor financeiro do sindicato. O plano se configura da seguinte forma: a carteira é administrada pelo maior fundo previdenciário do País, o Previ, dos funcionários do Banco do Brasil, criado em 1904. “Vinculamo-nos ao que há de melhor no mercado em termos de previdência complementar.” Fora isso, a BB Previdência faz a gestão técnica dos recursos depositados e o programa atuarial, e a aplicação dos recursos é feita pela BB Gestão de Recursos DTVM (Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A.). Guenaga assegura a eficiência do sistema de segurança e transparência do plano, informando que auditores fiscais independentes do BB enviaram uma carta a sua esposa, perguntando se ela estava recebendo corretamente as parcelas.

A única condição para aderir ao SEESPPrev é o profissional ser filiado ao sindicato. A partir daí, ele pode programar o seu plano e de outros agregados. Detalhes podem ser obtidos na sede do SEESP (Rua Genebra, 25, 3º andar, Bela Vista, São Paulo), pelo telefone (11) 3113-2638 ou
e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..


Por Rosângela Ribeiro Gil

Mais nesta categoria: « Cresce Brasil Opinião »

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar



Receba o SEESP Notícias

E-mail:

agenda