logo seesp ap 22

 

BannerAssocie se

SEESP celebra 74 anos de conquistas em prol do engenheiro e do Estado

Avalie este item
(0 votos)

     Em uma grande festa no Clube Monte Líbano, na Capital paulista, realizada em 19 de setembro, os engenheiros comemoraram os 74 anos de sua entidade – completados dois dias depois. O evento reuniu cerca de mil pessoas, entre autoridades, sindicalistas – entre os quais dirigentes dos Senges de todo o Brasil e da FNE (Federação Nacional dos Engenheiros) – e associados ao SEESP.
     A trajetória marcada pela defesa dos engenheiros e do desenvolvimento do Estado e do Brasil foi lembrada, na ocasião, pelo presidente do Sinaenco (Sindicato Nacional das Empresas de Arquitetura e Engenharia Consultiva), José Roberto Bernasconi: “Ao longo desses anos, o País passou por muitas transformações, e uma coisa se manteve: a disposição do SEESP e de seus dirigentes, apoiados nas bases, em fazer um esforço grande pela modernização, defesa da tecnologia e, sobretudo, valorização dos profissionais.”

Atuação pela cidadania
     Ex-delegado regional do trabalho de São Paulo e atualmente ouvidor das polícias do Estado, Antonio Funari Filho foi mais longe: “O sindicato e os engenheiros sempre estiveram presentes nos momentos nacionais importantes.” Entre os movimentos que ensejaram mudanças no cenário brasileiro e a entidade foi partícipe, o pela redemocratização e, mais recentemente, contra a privatização dos serviços públicos essenciais. Ele citou ainda outro: “Foi um dos integrantes da campanha pela ética na política em 1992, que resultou no afastamento de Collor.”
      Prestigiando a comemoração, o prefeito licenciado de São Paulo e candidato à reeleição, Gilberto Kassab (DEM), afirmou seu orgulho de ser engenheiro. E destacou a contribuição fundamental da categoria para tornar São Paulo a terceira maior cidade do mundo “em avanços, tecnologia e qualidade”, bem como para consolidar essa posição. “Em cada canto, vemos uma idéia sua, uma presença, uma ação, uma obra.” Na mesma linha, o senador Romeu Tuma (PTB-SP) enfatizou: “Os engenheiros têm tudo com a cidade, não apenas com a construção civil, mas também com a reurbanização que o Brasil exige. São Paulo tem uma virtude muito grande, porque o Sindicato dos Engenheiros tem o valor de planejar, de buscar as melhores soluções para que o paulistano possa realmente se sentir em uma cidade bonita, limpa. É preciso incorporar cada vez mais uma participação ativa do SEESP junto à administração municipal.” 
     Ao encontro disso, nesta gestão, a principal bandeira da entidade tem sido o projeto “Cresce Brasil + Engenharia + Desenvolvimento” – lançado pela FNE em 2006, que conta com a adesão desse e de todos os outros sindicatos a ela filiados. Apresentando plataforma nacional de desenvolvimento sustentável com inclusão social, na fase atual, o foco tem sido a discussão das questões metropolitanas, através da formação de conselhos tecnológicos regionais. No Estado de São Paulo, já estão implantados em quase todos os locais em que o SEESP tem delegacias sindicais.
     Também durante a festa, o diretor-presidente da Emplasa (Empresa Paulista de Planejamento Metropolitano S/A), Jurandir Fernandes frisou: “Nestes 74 anos, o SEESP vem cumprindo um papel importantíssimo e agora tem muito mais por fazer. Estamos vivendo um momento em que toda a nossa categoria está sendo requisitada, na questão do desenvolvimento da infra-estrutura e social.” O deputado estadual Rui Falcão (PT) seguiu na mesma linha: “O sindicato é bastante atuante e tem contribuição muito importante ao progresso do nosso Estado, sobretudo agora que os engenheiros são chamados a participar deste momento da vida nacional, com o Brasil crescendo como nunca nas últimas décadas e com a descoberta das reservas da camada pré-sal.”

 

Referência
     Por tudo isso, na concepção do secretário de Estado do Esporte, Lazer e Turismo de São Paulo e também diretor do SEESP, Flávio José Albergaria de Oliveira Brízida, a entidade passou a ser referência nacional para as discussões de políticas públicas. Conforme o seu ex-presidente e hoje diretor, Allen Habert, as bases para o fortalecimento atual – são cerca de 50 mil associados e 25 delegacias sindicais – foram garantidas pelo “Movimento Renovação”, que reestruturou a organização e neste ano completa três décadas. “De lá para cá, é um conjunto de conquistas. E aprendemos que o SEESP é essa casa extraordinária em que a gente se anima, educa-se e se emociona exatamente por estar servindo a categoria e pensando no País.” Ele, que é também coordenador técnico do “Cresce Brasil”, destacou: “O sindicato, nos seus 74 anos, é um grande exemplo de como as camadas médias fizeram e podem fazer uma política ligada às maiorias, conectando o conhecimento do engenheiro com o do trabalhador e de todas as outras categorias interessadas no desenvolvimento, essencial para se ter um povo incluído e culto.” A opinião de Canindé Pegado, secretário-geral da UGT (União Geral dos Trabalhadores), reitera a afirmação. Para ele, o SEESP serve de modelo a que outras entidades possam assumir o compromisso de defesa dos interesses de seus representados e de lutar também por melhores condições de vida para a sociedade. Afinal, segundo Fátima Có, vice-presidente da FNE, a organização paulista sempre foi indutora do desenvolvimento nacional.
     Além de se envolver nas questões macro, uma de suas batalhas fundamentais – ao lado dos outros sindicatos filiados à federação –, em particular diante do panorama auspicioso apontado, tem sido pela valorização profissional. “Todo o processo principalmente do ´Cresce Brasil´ tem trazido resultados relevantes às nossas regiões e essa discussão está em pauta”, avalizou Thereza Neumann Santos de Freitas, à frente do Senge-CE, presente à festa. A busca conjunta por melhor remuneração foi também salientada pelo presidente do Sasp (Sindicato dos Arquitetos de São Paulo), Daniel Amor. O vice-presidente do SEESP, Celso Atienza, ressaltou: “Estamos vivendo um momento novo, de pleno emprego e capacidade, em que temos que qualificar mais os profissionais. Estamos numa grande batalha para deixá-los melhor preparados para atuar em áreas como prospecção em águas profundas e engenharia de segurança do trabalho.”
     Tamanha atuação fez com que, nos 74 anos da entidade, lhe rendessem homenagens presidentes e diretores de todos os Senges filiados à FNE, bem como dirigentes da entidade nacional. Nas palavras de Maria Odinéa Melo dos Santos Ribeiro, presidente do sindicato do Maranhão, o SEESP é pioneiro ao colocar respostas a perguntas feitas pela sociedade, tais como “quais as soluções a que o nosso Estado, cidade e País cresçam”. Assim, vários dos presidentes de entidades bem mais jovens que representam a categoria em outras localidades consideram-na um espelho. “Estamos procurando seguir esse caminho”, disse Manuel José Menezes Vieira, do Senge-PA. A vice-presidente do sindicato no Acre, Carmem Bastos Nardino, concluiu: “O SEESP demonstra que, com um sindicato forte e com propostas, é possível fazer um bom trabalho.”


Soraya Misleh

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar



Receba o SEESP Notícias

E-mail:

agenda