GRCS

Oportunidades – A engenharia nas ocupações tecnológicas

Avalie este item
(0 votos)

Em 2018, o Fórum Econômico Mundial divulgou relatório sobre o futuro do emprego em que apontava as ocupações consideradas em ascensão: analistas e cientistas de dados, especialistas em tecnologia da informação (TI) ou megadados (Big Data), desenvolvedores de softwares, especialistas em redes sociais e comércio digital, entre outras. Recentemente, a rede social profissional Linkedin relacionou 15 profissões emergentes em 2020, nove delas relacionadas à área de TI.

 

Dessas, duas são as engenharias de cibersegurança e de dados (confira perspectivas dos jovens com mercado de trabalho). Para o professor da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP) e membro do Conselho Tecnológico do SEESP, Marcelo Zuffo, o avanço das “tecnologias portadoras de futuro”, como ele gosta de definir, é um caminho sem volta. “Entre essas destaco a realidade virtual, blockchain, criptomoedas e inteligência artificial.”

 

Quem tem lugar privilegiado nesse cenário das TICs (tecnologias da informação e comunicação), assegura Zuffo, é o profissional de engenharia nas suas diversas modalidades – elétrica, eletrônica, de energia, de computação, de materiais, de produção e tantas outras –, porque a utilização dessa mão de obra “vem desde o campo da tecnologia básica até o da aplicação”.

 

Estudo recente da Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom) aponta a necessidade de 70 mil novos profissionais para atuarem na área por ano, no Brasil, até 2024. As engenharias de cibersegurança e de dados são profissões em alta, cuja formação principal, indica o professor Marcos Antônio Simplício Júnior, do Departamento de Engenharia de Computação e Sistemas Digitais da Poli-USP, é a engenharia de computação ou ciência de computação. “Em geral, quando se fala em área digital, aproxima-se mais dessa modalidade.”

 

Simplício Júnior afirma que esses cursos têm tido uma concorrência crescente nos vestibulares da USP, nos últimos anos. “Dentro do campus São Paulo, que oferece o maior número de vagas de engenharia (783), o de computação é o mais concorrido, seguido de perto por mecânica, mecatrônica e produção. Em São Carlos, perde apenas para aeronáutica.”

 

Com essa formação, observa ele ainda, dá para atuar em diversos segmentos, principalmente em programação, “uma que está em alta, inclusive, é a de games”. “Boa parte dos engenheiros de computação formados na nossa escola está indo para essa área”, informa. Outra empregabilidade possível, prossegue, é tecnologia bancária, que não se resume, explica, à segurança de dados, mas também abrange construção de sistemas. Atuação forte ainda é na própria academia: “Temos muitas pesquisas, com nichos em cibersegurança, ciência de dados, rede, IoT (internet das coisas), que precisam ser desenvolvidas no País”, garante.

 

Como é uma área ampla e em constante mudança e evolução, observa Simplício Júnior, não dá para pensar que “se saiu da universidade sabendo tudo, mais provável que não sabe muito do que precisa”.

 

Ele ressalta: “A universidade é a base, ela ensina a saber aprender. Por isso, ao sair da faculdade é interessante já fazer especialização, seja sozinho com curso online, por exemplo, ou na academia mesmo.”

 

 

 

SEESP Educação promove workshop sobre construção 4.0

No dia 17 de fevereiro, às 19h, o SEESP Educação – área do sindicato voltada à qualificação profissional – promove o workshop “Bases da Construção 4.0”, em sua sede, na capital paulista (Rua Genebra, 25, Bela Vista). Na ocasião, serão apresentados os conceitos relativos ao Building Information Modeling (BIM), ao Projeto em Light Steel Frame (LSF) e à aplicação da atual Norma de Desempenho (NBR 15.575:2013). A atividade é gratuita e a inscrição pode ser feita no link http://bit.ly/Construção4-0.

 

* Projeto de Estruturas em Light Steel Frame

Objetiva preparar os profissionais para iniciar projetos com esse sistema construtivo, abordando fundamentos, estudos de caso, atividades práticas. Datas: 7, 14, 21 e 28 de março. Carga horária: 40h.

 

* Norma de Desempenho

Tem o objetivo de capacitar os profissionais para atendimento a essa diretriz, a NBR 15.575:2013, abordando conceitos, estudos de caso, atividades práticas e requisitos. Datas: 23 e 30 de maio, 6 e 13 de junho de 2020. Carga horária: 40h.

 

Mais informações e inscrições em educa.seesp.org.br.

 

 

 

Processos seletivos de estágio em engenharia

Amil – Inscrição até 9/2/2020

Oito vagas para a cidade de São Paulo a estudantes com graduação prevista entre dezembro de 2021 e junho de 2022.

 

Safira Energia – Inscrição até 14/2/2020

Para alunos de graduação que estejam matriculados no penúltimo ou último ano.

 

Rumo – Inscrição até 14/2/2020

A estudantes com graduação prevista entre julho de 2021 e julho de 2022. São mais de 30 vagas distribuídas entre as cidades de Curitiba (PR), São Paulo (SP), Santos (SP), Araraquara (SP) e Santa Maria (RS).

 

 

Esses e outros programas de estágio em http://bit.ly/Vagaestagio.

 

 

 

Por Rosângela Ribeiro Gil

 

 

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

Oportunidades Plataforma 29 04 1

VAGAS DE ESTÁGIO DE ENGENHARIA

agenda