logo seesp ap 22

 

BannerAssocie se

Núcleo Jovem – Metrô abre suas portas para jovens engenheiros

Avalie este item
(1 Votar)

 

Dezesseis estudantes e recém-formados de cursos de graduação em engenharia participaram em 28 de junho último de visita técnica ao Centro de Controle Operacional (CCO) da Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô-SP), na região do Paraíso, na Capital. No ensejo, puderam ver de perto como funcionam as operações padrão, em horário de pico, quando chegam a circular simultaneamente 122 composições; e especiais, como as que ocorreram durante a Copa do Mundo de 2014, de um dos sistemas mais eficientes do mundo. A atividade foi promovida pelo Núcleo Jovem Engenheiro do SEESP.

 

Diariamente, o Metrô-SP transporta mais de 4 milhões de usuários, o que representa um terço da população do município. Durante a visita, os jovens puderam observar a atuação de parte da equipe do local, formada por 120 profissionais, que se revezam em turnos nas 24 horas do dia. O monitoramento no CCO é das linhas 1, 2 e 3, além do Pátio Jabaquara, onde ocorrem manobras dos trens. As demais linhas e pátios possuem outros centros de controle.

 

A enorme sala é repleta de monitores de vídeo que transmitem imagens das câmeras nas estações, em tempo real. Também há telas que mostram o funcionamento dos trens. Em meio a isso, estão dispostos computadores em mesas enfileiradas. Juntamente com o sistema de controle também está o de segurança.

 

Matheus de Sousa Calou, 19 anos, estudante de Engenharia da Computação, impressionou-se: “Foi a parte que mais gostei, a da computação, poder ver todos os controles, os bastidores do Metrô, deu para ter um gostinho de como funciona.” Recém-formada em Engenharia Mecânica, Jéssica Trindade Passos, também presente, destacou que esse tipo de atividade “desperta o desejo de fazer parte desse time de profissionais de excelência como é o do Metrô”.

 

Antes de chegar ao cérebro do CCO, os visitantes assistiram a um vídeo institucional seguido de palestra de um dos engenheiros do Metrô, que explicou o funcionamento geral e respondeu às diversas dúvidas, como quais as estações a serem inauguradas. A previsão de investimentos em obras para 2018 é de R$ 2,1 bilhões.

 

 

Sistema de controle

Os jovens também conheceram o Sistema de Controle Operacional de trens utilizado pelo Metrô. A despeito da eficiência, para atender o aumento da demanda de passageiros nos últimos anos, contratou um novo sistema, por rádio, que possibilitará a redução do intervalo entre os veículos, teoricamente para 75 segundos: o Controle de Trens Baseado em Comunicação (CBTC). A tecnologia garante que um trem se comunique com o outro de forma instantânea. “É um sistema novo que está sendo implantado em todas as linhas em construção no Estado”, aponta o diretor do SEESP Emiliano Stanislau Affonso Neto, engenheiro do Metrô há 35 anos, que acompanhou a visita. Na Linha 4 – Amarela (Luz-Butantã), operada pela Via Quatro, foi incorporado já à sua inauguração, em 2010.

 

Nas linhas em operação, 1 – Azul, 2 – Verde e 3 – Vermelha, foi contratado o da Alstom.  Para seu funcionamento é necessário a compatibilização dos dois sistemas, o que dificulta o trabalho de instalação e testes, havendo todo um planejamento para as diversas fases. Não obstante, Affonso Neto destaca: “Hoje operamos com um dos menores intervalos entre trens em todo o mundo. É a equipe que mais conhece sistemas de transporte em todo o País, sem dúvida.”

 

 

 

Visita técnica à Toyota

Como parte de suas atividades, o Núcleo Jovem Engenheiro do SEESP realizou ainda, no dia 19 de julho, uma visita técnica à fábrica da Toyota, por meio do programa Turismo Industrial da Prefeitura Municipal de São Bernardo do Campo. Participaram 14 estudantes e profissionais, que tiveram a oportunidade de conhecer um pouco da tecnologia de veículos da montadora, como o modelo Corolla, o motor do Etios e o primeiro carro produzido no Brasil, o Bandeirante. Os jovens puderam ainda montar um veículo de forma interativa em uma maquete da linha de produção da companhia. Também foram apresentados ao núcleo projetos da Fundação Toyota, como o Arara Azul e a APA Costa dos Corais, voltados à sustentabilidade, abrangendo iniciativas que contribuem ao meio ambiente, como economia de água, uso de energia renovável, reciclagem de materiais e redução de emissão de gases poluentes.

 

Mas o que mais chamou a atenção dos participantes, segundo Jéssica Trindade Passos, engenheira mecânica recém-formada e colaboradora do núcleo, que coordenou a visita, foi o modelo Prius, exibido em uma estrutura arquitetônica, totalmente desmontado, “permitindo a visualização de todos os seus componentes”. O veículo é híbrido, ou seja, composto por um motor elétrico e um a combustão. “O carro não precisa ser carregado para sustentar a bateria, o próprio motor de combustão desenvolve essa tarefa através da frenagem. Isso permite que com o tanque cheio o motorista rode cerca de 700km”, ela explica.

 

Para a coordenadora do núcleo, Marcellie Dessimoni, a atividade foi proveitosa. “Visitas técnicas como essa agregam conhecimento a todos os estudantes e profissionais da engenharia”, assinala.

 

 

Por Deborah Moreira

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar



Receba o SEESP Notícias

E-mail:

agenda