logo seesp ap 22

 

BannerAssocie se

×

Atenção

JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 69

21/01/2014

Os trilhos e as soluções para as metrópoles

Dos trilhos das antigas locomotivas que levavam de um lado para o outro os moradores das grandes cidades do país, surgem os Veículos Leves sobre Trilhos – VLTs. Mais modernos, rápidos e econômicos, esses modelos começam a mudar a paisagem das metrópoles. No Nordeste, esse tipo de trem a diesel já é realidade no Ceará, Pernambuco, Alagoas e deve chegar à Paraíba e Rio Grande do Norte no próximo ano. Eles se somarão aos trens regionais, metrôs, BRTs (Bus Rapid Transit) e ônibus para dar maior mobilidade aos grandes centros através da integração do sistema.

Mas o aquecimento do aparelho ferroviário brasileiro se dá após longo período de arrefecimento e da necessidade de tornar possível a mobilidade urbana. É provável que, até 2020, o Brasil chegue a quatro mil quilômetros de trilhos – hoje a malha ferroviária é de apenas mil quilômetros e o Nordeste responde por 10% das estradas de ferro. Embora reconheça que a indústria ferroviária foi desprezada durante anos, o presidente da Abifer – Associação Brasileira da Indústria Ferroviária, Vicente Abate, vê uma retomada de investimentos.

Ele ressalta os aportes feitos no transporte de pessoas por trens e metrôs e crê que os gastos do Governo Federal cheguem a R$ 100 bilhões até 2020. Abate informa que apenas por meio do PAC Equipamentos já foram investidos R$ 700 milhões. Desses, aproximadamente R$ 200 milhões estão sendo aplicados no sistema ferroviário nordestino. Ele lembra ainda que o programa PAC Mobilidade prevê gastos de R$ 32,7 bilhões para a mobilidade urbana, sendo R$ 20 bilhões direcionados ao setor metroferroviário. “É uma revolução do setor ferroviário de pas¬sageiros nas regiões metropolitanas. Vivemos uma nova realidade. Hoje, saímos das velhas locomotivas para veículos mais modernos, econômicos e confortáveis”, observa. O presidente da Abifer considera que os gestores estão reconhecendo a necessidade de apostarem nesse tipo de transporte de passageiros.

Mais gastos
Além dos VLTs que já estão sendo implantados nas cidades do país, inclusive as do Nordeste, o Programa de Trens Regionais de passageiros, do Ministério dos Trans¬portes, selecionou 14 trechos para a elaboração de estudos de viabilidade técnica, econômica, social, ambiental e jurídico-legal para a implantação de trens para o transporte de passa¬geiros de forma regular. Nele, foram contemplados cinco estados nordes¬tinos: Sergipe, Pernambuco, Bahia, Maranhão e Piauí. Em fase avançada de análise estão os trechos Teresina (PI) – Codó (MA), com 205 km de extensão; Conceição da Feira - Salva¬dor – Alagoinhas – Feira de Santana (238 km), no estado da Bahia; e São Luis – Itapecurú-Mirim, no Maranhão.



Fonte: Revista Nordeste







Lido 2674 vezes

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar



Receba o SEESP Notícias

E-mail:

agenda