logo seesp ap 22

 

BannerAssocie se

17/01/2024

Segundo submarino produzido no Brasil é incorporado à Marinha

FNE*

 

O submarino Humaitá é a mais nova embarcação da Marinha do Brasil. Ele é o segundo dos quatro submersíveis convencionais (propulsão diesel-elétrica) construídos no Brasil pelo Programa de Desenvolvimento de Submarinos (Prosub), um dos projetos estratégicos da Força Naval para ampliar a frota e desenvolver a indústria brasileira assinado entre o governo brasileiro e a França em 2008. 

 

Com 72 metros de comprimento e velocidade de 37Km/h, o submarino Humaitá fará o patrulhamento das áreas de importância estratégica para o Brasil no Atlântico Sul e da Amazônia Azul, como são chamadas as fronteiras marítimas do país.

 

“A condução competente do Prosub é digna de um reconhecimento especial, pois suas entregas não apenas ampliam e fortalecem nosso Poder Naval, mas também porque elevam a projeção do Brasil como um ator cada vez mais relevante no cenário internacional”, destacou o Ministro da Defesa, José Mucio Monteiro Filho, durante a cerimônia de incorporação do submarino ao setor operativo da Marinha, na útlima sexta-feira (12/1), no complexo naval de Itaguaí, no Rio de Janeiro.

Na oportunidade, ele enfatizou ainda a indústria naval brasileira. “Reafirmo que faremos o que estiver ao nosso alcance para manter essa linha de produção ativa, garantindo o funcionamento desta excepcional capacidade industrial instalada e a retenção desta mão de obra altamente qualificada”.

 

 

Submarino Humaita Ministério da DefesaFoto: Moisés Machado/ Ministério da Defesa

 

 

Prosub

O primeiro submarino entregue pelo Prosub foi o Riachuelo, em setembro de 2022. Atualmente, pelo Prosub, estão em andamento e em estágio de preparo para entrega, as atividades relacionadas aos submarinos convencionais Tonelero e Angostura e o de propulsão nuclear Álvaro Alberto. O programa representa incremento da indústria naval e fortalecimento da economia brasileira, com destaque para a geração de empregos, em torno de 60 mil diretos e indiretos, e a capacitação de técnicos e engenheiros, conforme o site Defesa.Net.

 

 

 

 

 

 

 

 

*Federação Nacional dos Engenheiros (FNE).

 

 

 

 

 

 

Lido 141 vezes
Gostou deste conteúdo? Compartilhe e comente:
Adicionar comentário

Receba o SEESP Notícias *

agenda