GRCS

05/08/2021

Mais mulheres na liderança e parcerias para avançar na agenda ambiental, defende presidente da Cetesb

Comunicação SEESP

 

Primeira mulher a ocupar o cargo de presidente da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), Patrícia Iglecias participou do programa “No Ponto com Murilo Pinheiro” nesta quinta-feira (5/8). A transmissão ocorreu nas páginas do SEESP no Facebook e Youtube.

 

Antes de dar início ao bate-papo, o presidente do sindicato, Murilo Pinheiro, destacou a “vitória fantástica” obtida junto ao Senado no dia anterior, com a manutenção do Salário Mínimo Profissional dos engenheiros. O piso estava sob ameaça a partir da introdução na Câmara dos Deputados, durante aprovação da Medida Provisória 1.040/2021 – que trata da desburocratização e modernização do ambiente de negócios no País – de jabuti (tema sem relevância com a matéria) que extinguiria a Lei 4.950-A/66. “Estamos bastante contentes. Este ‘No Ponto’ é ainda mais animado”, celebrou Murilo.

 

Na sequência, Iglecias destacou a importância da Cetesb – cuja base é a engenharia – “não só no licenciamento ambiental e fiscalização no Estado, mas à preservação da qualidade do meio ambiente e de vida das pessoas”. A companhia, conforme informou ela, é considerada atividade essencial, com papel fundamental em meio à pandemia de Covid-19, como ao licenciamento emergencial de hospitais de campanha e monitoramento do vírus Sars-Cov em esgotos na cidade de São Paulo.

 

A presidente da Cetesb abordou ainda a atuação da companhia em meio às mudanças climáticas, o que inclui, além de “planejamento e controle das atividades econômicas, parcerias com órgãos ambientais e empresas à redução dos gases de efeito estufa, a partir de acordo voluntário firmado em 2019”. Hoje, como revelou, este tem perto de 500 adesões. “Agenda ambiental, para as empresas, significa eficiência no processo produtivo”, vaticinou.

 

Por fim, Iglecias sublinhou a importância de mais mulheres – que hoje representam 51,5% da população brasileira – ocuparem posições de liderança e a busca por avançar nesse sentido dentro da Cetesb. “O País ainda deixa a desejar em relação ao tema”, pontuou.

 

Confira o “No Ponto” com Patrícia Iglecias na íntegra:

 

 

 

Lido 137 vezes

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

agenda