GRCS

10/06/2021

Marcha defende vacina no braço e comida no prato

Agência Sindical

 

Na quarta-feira (9/6), foi realizada a 2ª Marcha Pela Vida, um dia de programação com atos virtuais e a presença de lideranças políticas, sindicais, científicas e culturais.

 

A Marcha, organizada Frente Pela Vida, foi lançada em maio de 2020 pela Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, Associação Brasileira de Saúde Coletiva, Conselho Nacional de Saúde, Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, Associação Brasileira de Imprensa, entre outras.

 

Em julho de 2020, a Frente lançou o “Plano Nacional de Enfrentamento à Pandemia de Covid-19”. Este ano, a iniciativa lança o manifesto: “Vacina no braço, comida no prato e Auxílio Emergencial de R$ 600,00! Em defesa da vida e do SUS”. O documento defende, sobretudo, a revogação da Emenda Constitucional do Teto de Gastos, que asfixiou o Estado, congelando investimentos por 20 anos.

 

Segundo Ronald dos Santos, presidente da Federação Nacional dos Farmacêuticos (Fenafar) e um dos organizadores da Frente, o objetivo da Marcha é mobilizar forças sociais, política e técnicas para enfrentar o espectro de morte que assombra o Brasil. “Só a conjunção do sentimento, da consciência e da ciência podem produzir a luz pra nos tirar dessa escuridão”, alerta.

 

O Brasil está em 66º no ranking de aplicação da vacina, levando-se em conta a relação de 100 habitantes. O Reino Unido lidera a lista. Estados Unidos, em segundo. O País ainda caminha para as 500 mil mortes por Covid-19.

 

Veja como foi a 2ª Marcha Pela Vida:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Lido 37 vezes

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

agenda