GRCS

11/07/2017

Artigo - O mercado de trabalho para o jovem engenheiro

Mariles Carvalho* 

A última Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad Contínua), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), aponta que o desemprego é menor para o estudante de ensino superior (6,4%), muito abaixo dos 11,7% que representa àqueles com ensino médio completo. O primeiro grupo é visto pelo selecionador como mais qualificado. 

Mesmo o Brasil ocupando a pior posição em relação à criação de emprego em 2016, o mercado de trabalho para os estudantes ainda é melhor do que para os profissionais formados. 

Desde 2015 divulgamos mais vagas para estudantes de engenharia do que para profissionais em nosso portal. Em janeiro de 2017, o Centro de Integração Empresa-Escola (Ciee) registrou um aumento de 20% no número de vagas de estágio, normalmente no começo do ano muitos processos começam e terminam em média em meados de março. Mesmo com essa alta, o jovem ainda encontra um mercado competitivo e exigente, em que as empresas têm priorizado os mais bem preparados. 

De acordo com o Ciee, de janeiro de 2017 a 30 de junho último, foram preenchidas 2.152 vagas de estágio nas diversas áreas de engenharia, assim distribuídas: São Paulo (Capital), 850 vagas; Alphaville/ABC/Guarulhos, 197; e interior paulista, 1.107. 

O cenário atual do País, que enfrenta uma das suas piores crises institucional e econômica, exige das empresas uma seleção ainda mais criteriosa na seleção devido ao grande número de candidatos por vaga. Atualmente os requisitos mais solicitados são as competências comportamentais, disponibilidade de horário e para viagem, idioma e conhecimento acadêmico. 

Por outro lado, para os estudantes, a principal barreira é ter retorno das empresas em relação aos currículos que enviam. Isso porque boa parte não sabe nem se o selecionador chegou a analisar o currículo ou se esse está adequado. Em relação às entrevistas, a reclamação é a mesma. 

Na área de Oportunidades do SEESP, nosso foco no atendimento ao estudante de engenharia é ajudá-lo a se posicionar melhor no mercado de trabalho. Noventa por cento dos jovens atendidos se fecham em suas rotinas diárias e não buscam informações sobre sua área de atuação e o mercado de trabalho; nem mesmo mantêm relação com outros profissionais e estudantes de engenharia. 

Por isso, o nosso setor oferece um atendimento personalizado, abordando tudo o que se refere à profissão: entendimento sobre o mercado de trabalho, análise de pontos fortes, dificuldades, currículo, objetivos e estratégias para chamar a atenção do selecionador. Fazemos ainda simulação de entrevista e coaching de carreira, que ajudam nesse caminho inicial.   



Mariles Carvalho é psicóloga e coordenadora do setor de Oportunidades e Desenvolvimento do SEESP. Contatos: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. e telefones (11) 3113-2666/2669/2674.

 

 

 

 

 

Lido 2021 vezes

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

agenda