GRCS

30/06/2017

Lançada Frente Parlamentar da Engenharia no Distrito Federal

O Brasil possui cerca de 5 mil obras públicas paradas em empreendimentos de grande, médio e pequeno porte do governo federal. Se retomadas, ajudarão na geração de emprego e melhoria da infraestrutura. A avaliação foi feita pelo presidente da Federação Nacional dos Engenheiros (FNE), Murilo Pinheiro, nesta quinta-feira (29/6), durante o lançamento da Frente Parlamentar da Engenharia, Infraestrutura e Desenvolvimento na Câmara Legislativa do Distrito Federal.


Foto: Paula Bortolini
Mesa de criação da Frente na Câmara Legislativa do Distrito Federal.

“A Frente Parlamentar da Engenharia é mais um passo na discussão da engenharia, em que profissionais da área tecnológica podem contribuir com ideias e propostas que ajudem o Parlamento e o Executivo a fazer do Brasil um país mais justo e com mais oportunidades”, disse ele. Murilo frisou: “Poderíamos começar dizendo que a coisa mais rápida a ser feita seria terminar as obras paradas. Para o engenheiro, essa é a obra mais cara.”

Engenharia
A Frente Parlamentar Mista da Engenharia, Infraestrutura e Desenvolvimento foi criada em novembro último no Congresso Nacional. Desde então, a iniciativa vem sendo lançada em diversos estados brasileiros. O objetivo é reforçar a importância da engenharia no debate nacional sobre as condições para a melhoria da infraestrutura, retomada das obras paradas e do crescimento.

A mobilização nacional feita pela Frente Parlamentar também visa sensibilizar o governo a retroceder nas mudanças feitas na política de conteúdo nacional para os próximos leilões à exploração e produção de petróleo e reverter a decisão da Petrobras, que retomou as obras do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj) com licitações sem participação brasileira. “Foram convidadas 30 empresas estrangeiras e nenhuma nacional. Enquanto isso, o País continua perdendo empregos”, disse o presidente da Frente Parlamentar Mista da Engenharia, deputado federal Ronaldo Lessa (PDT-AL). Segundo ele, além do Distrito Federal, frentes estaduais já estão atuando no Acre, Alagoas e Bahia e essa mobilização chegará também a São Paulo e Paraná.

Lessa lembrou que a frente é o fórum adequado para a discussão sobre os temas de conteúdo nacional, sobre a importância de se ter uma carreira de Estado para o engenheiro e o combate ao exercício ilegal da profissão.

Distrito Federal
Na Capital Federal, a presidente da Frente Parlamentar é a deputada distrital Celina Leão (PPS). Ela disse que aproveitará a iniciativa para discutir projetos do Distrito Federal que tratam da lei de uso e ocupação do solo e do tombamento de Brasília. Observou ainda que a crise econômica afetou a construção civil e isso provocou o fechamento de 40 mil postos de trabalho na cidade, o que deve ser objeto de debates e propostas para reverter esse quadro.

 

De Luciana Otoni - Assessoria de Imprensa FNE
Comunicação SEESP

 

 

 

 

 

Lido 860 vezes

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

Oportunidades Plataforma 29 04 1

VAGAS DE ESTÁGIO DE ENGENHARIA

agenda