GRCS

Notícias do Núcleo Jovem Engenheiro

Em prosseguimento ao trabalho junto aos estudantes de engenharia no Estado de São Paulo, a equipe do SEESP, formada pelo Núcleo Jovem Engenheiro e pelo setor de Oportunidades e Desenvolvimento, esteve na Faculdade Asser de Rio Claro, no dia 10 de setembro último. Mais de 120 estudantes do curso de Engenharia de Produção participaram de forma entusiasmada da palestra que abordou vários temas, como a própria criação do núcleo, o papel do sindicato e de outros órgãos reguladores da profissão, como o Sistema Confea-Crea.
 

Jovem 10SET2015 2 editada


Segundo Marcellie Dessimoni, a recepção foi a melhor possível, com os formandos fazendo perguntas e apresentando, inclusive, ideias. Entre outras impressões, os estudantes destacaram a importância da união dos alunos das faculdades de engenharia para discutir os vários assuntos de interesse, como estágio, mercado de trabalho, primeiro emprego, direitos e deveres.

Acompanhe, a seguir, dois vídeos feitos após a palestra:




 



Rosângela Ribeiro Gil
Imprensa SEESP









No dia 8 de setembro último, integrantes do Núcleo Jovem Engenheiro e do setor de Oportunidades e Desenvolvimento do SEESP fizeram uma palestra na Faculdade Claretiano, em Rio Claro, realizando uma troca de experiências com os alunos de engenharia. “É formidável perceber como eles têm interesse em contribuir com o País e construir um novo modelo de sociedade”, afirma Marcellie Dessimoni, coordenadora do núcleo.
 

Fotos: SEESP
Mari SEESP editada 


Ela ficou surpresa com a curiosidade dos estudantes aos temas que a palestra aborda: legislação profissional, mercado de trabalho e como o jovem pode construir a engenharia do futuro. “É muito gratificante ver que os alunos querem mais informação”, observou. Já Mariles Carvalho, coordenadora da área de oportunidades, disse que os participantes gostaram da dinâmica de grupo realizado durante a atividade.


Mari SEESP 2

Segundo Dessimoni e Carvalho, alguns alunos pediram, inclusive, mais palestras do sindicato como forma de motivação para os estudantes que já cursam engenharia e mesmo para ajudar aqueles que ainda não se definiram profissionalmente.

Seminário
No dia 7 de novembro próximo, das 8h às 17h30, o Núcleo Jovem Engenheiro realizará um grande seminário "Desafios profissionais e protagonismo do jovem engenheiro", na sede do SEESP, em São Paulo (Rua Genebra, 25, Bela Vista). As inscrições são gratuitas e já estão abertas. Clique aqui e faça a sua inscrição



 

Rosângela Ribeiro Gil
Imprensa SEESP











A áreas do SEESP de Oportunidades, Comissão de Assuntos do Exercício Profissional (Caep), e o recém criado Núcleo Jovem Engenheiro, iniciaram um ciclo de palestras sobre o sindicato e o dia a dia da profissão para os estudantes do Instituto Superior de Inovação e Tecnologia (Isitec).


Foto: Marcellie Dessimoni

palestra isitec area oportunidadesPalestra no Isitec reúne estudantes para falar sobre mercado de trabalho, Núcleo Jovem Engenheiro, entre outros assuntos


A primeira atividade ocorreu na quarta-feira última, 26 de agosto, com a proposta de levar informações sobre mercado de trabalho, direitos e deveres do profissional, legislação e apresentação e ações do núcleo jovem engenheiro. O resultado foi um bate-papo com dinâmica com os jovens que participaram.

“Os jovens foram bastante participativos e tiraram muitas dúvidas, principalmente em relação ao núcleo jovem e de como poderiam participar desta rede. Nos sentimos em casa, fomos muito bem recebidos por toda equipe e alunos”, a psicóloga Mariles Carvalho, do setor de Oportunidades.



Imprensa SEESP




Com o tema central “Aprendizagem Ativa: Engenheiros Colaborativos para um Mundo Competitivo”, a 43ª edição do Congresso Brasileiro de Educação em Engenharia (Cobenge) acontece este ano no ABC paulista, na Universidade Federal do ABC, de 8 a 11 de setembro próximo. 

 

Além de quatro conferencistas internacionais e 10 visitas técnicas a empresas da Grande São Paulo, estão previstos minicursos, feira tecnológica e apresentações de dezenas de trabalhos em sessões técnicas e pôsteres. As inscrições vão até 2 de setembro e podem ser feitas pelo http://www.abenge.org.br/cobenge-2015/ 

 

Estudo baseado em problemas
No dia da abertura, 8 de setembro, a programação prevê 4 Fóruns de Dirigentes e 4 Fóruns de Estudantes reunidos em debate sobre os currículos dos cursos de Engenharia presenciais e a distância (EAD). Já no dia 10 as sessões plenárias da manhã colocarão no centro das discussões o “Ensino de Engenharia e as Necessidades do Mercado”.  Na sexta-feira, 11 de setembro, estão previstos 8 minicursos gratuitos aos participantes, com temas como “Educação Ambiental a Partir de Oficina de Reciclagem”, “Seis Sigma, o Método Mais Eficaz para Solução de Problemas” e “Introdução a Geodésia e aos Sistemas de Posicionamento/Navegação por Satélites”.

 

Entre os palestrantes internacionais confirmados estão Gregory James Light, da Northewestern University de Chicago (EUA); Maria Weurlander, do Royal Institute of Technology da Suécia; Rui Lima, da Universidade do Minho (Portugal); e Erik de Graaff, da Aalborg University (Dinamarca). Eles conduzirão duas sessões plenárias dia 9 pela manhã sobre Aprendizagem Ativa e Processos Interdisciplinares (PBL-Aprendizado Baseado em Projeto), repetindo os encontros dia 11 na forma de workshops.

 

Na lista dos encontros monitorados/visitas técnicas, no dia 11, estão grandes montadoras de veículos – como Volkswagen, General Motors, Ford e Mercedes-Benz – além de empresas líderes em seus segmentos, entre as quais GKC Metalúrgica, Artfix, Buzas, ZF Automotive, Balanças Toledo e Weidmuller Conexel.

 

O tema central “Aprendizagem Ativa: Engenheiros colaborativos para um mundo competitivo” busca atender à demanda por um engenheiro mais bem preparado para lidar com as necessidades do mundo atual. A Aprendizagem Ativa, o Ensino Baseado em Problemas e o Ensino Baseado em Projetos extrapolam a atividade intelectual, estando vinculados às estratégias práticas desenvolvidas pelo mercado.

 

O Cobenge é considerado o mais importante fórum de discussão sobre formação e exercício profissional em Engenharia no Brasil, realizado anualmente desde 1973 pela Associação Brasileira de Educação em Engenharia (Abenge). Cinco tradicionais escolas de Engenharia da região organizam a edição 2015: Metodista, FEI, Mauá, Fundação Santo André e UFABC.

 


Imprensa SEESP
Fonte: UFABC









 

O Núcleo Jovem Engenheiro do SEESP participou do 13º Encontro Nacional de Estudantes de Engenharia Ambiental (ENEEAmb), em Florianópolis (SC), evento acadêmico que reúne estudantes de graduação para a troca de experiências acadêmicas e profissionais. O objetivo do encontro, que vai até sexta (21/8) é enriquecer o entendimento da atuação do engenheiro ambiental na sociedade atual.

Para Marcellie Dessimoni, 23 anos, coordenadora do Núcleo, trata-se de um importante espaço de debate de jovens engenheiros. Ela, que neste ano se forma em Engenharia Ambiental e Sanitária, participou, na tarde de quarta (19), de um bate-papo sobre o movimento sindical e sobre a importância da juventude contribuir para a Engenharia do país.

"É necessário debatermos as políticas que achamos necessárias para o Brasil, mesmo sendo considerados profissionais técnicos as decisões passam por questões politicas, precisamos nos aprimorar e entender o funcionamento das instituições democráticas para construir novos horizontes em prol do desenvolvimento, crescimento e da valorização da engenharia no nosso país", disse Dessimoni aos estudantes.


Imprensa SEESP




Marcellie retratoA escolha da profissão algumas vezes revela quem somos e o que queremos. A engenharia é a arte de criar, inovar e desenvolver. Para que isso aconteça, é necessário não só a formação acadêmica, mas também o desejo de transformar a sociedade em que vivemos, valorizando nossa profissão e estando prontos para enfrentar crises que surgem em determinados momentos no País.

Com o objetivo de identificar, auxiliar e avaliar as oportunidades e dificuldades dos jovens engenheiros no mercado de trabalho, debatendo as demandas da juventude e desenvolvendo ações que ampliem sua participação nas discussões das políticas públicas voltadas para a categoria, o SEESP criou neste ano o Núcleo do Jovem Engenheiro.

A reflexão sobre os desafios que o “mundo do trabalho” impõe ao movimento sindical para este século exige uma compreensão acerca das transformações recentes e suas consequências para os trabalhadores. São necessárias uma nova visão e ação sobre o sindicalismo, capazes de acompanhar a dinâmica do mercado, identificando novos caminhos de atuação sindical, o que pode ter resultados positivos para a sociedade. Nesse contexto, entendemos como fundamental o papel da juventude engenheira.

Somos jovens privilegiados, pela escolha e compromisso, com raciocínio lógico, rápido e eficaz, atrelado a uma mente exigente na projeção do futuro. As ações dos engenheiros destinam-se ao bem-estar dos seres humanos, melhorando a qualidade de vida da sociedade.

É urgente criar novas formas de pensar em projetar o País para o caminho do desenvolvimento. É preciso construir uma identidade unitária da juventude engenheira, com proposições de estratégias, cumprimento dos deveres e entendimento dos direitos perante a sociedade. Fazemos parte de um grupo de liderança no Brasil, onde essa profissão é decisiva ao crescimento econômico, político, ambiental, tecnológico e social sustentável, dentre outros. O Núcleo Jovem Engenheiro mobilizará engenheiros de todo o Estado para que discutam conjuntamente as melhorias das condições de trabalho, os desafios da profissão, qualidade de vida, tornando-se referência para o nosso país. A juventude precisa estar nos espaços de diálogo, participando, propondo, para um mundo novo que acreditamos ser possível.

É diante da crise que encontramos diversos caminhos e oportunidades para seguir. Dessa forma, creio que um caminho possível é o despertar dos valores adormecidos na sociedade, fazendo-os voltarem a ser a base do País, como o sentimento de coletividade, o altruísmo, a solidariedade, o companheirismo, a transparência, a honestidade e a ética em prol da juventude engenheira.


 

Marcellie Dessimoni é estudante do quinto ano de Engenharia Ambiental e Sanitária e coordenadora do Núcleo Jovem Engenheiro do SEESP. Artigo publicado, originalmente, no Jornal do Engenheiro, nº 479, de 1º a 15 de agosto de 2015









Desde o início de julho último, o SEESP conta com o Núcleo Jovem Engenheiro. Com o intuito de renovar a sua ação sindical, atraindo os estudantes de engenharia, o sindicato aposta que este é o momento para a construção de uma nova etapa do sindicalismo no Brasil. “Daqui a alguns anos se não tivermos jovens dispostos a lutar pela categoria não haverá mais sindicatos. Imagine o impacto que isso terá na vida do profissional”, adverte Marcellie Dessimoni, 23 anos, coordenadora do núcleo, que se forma, neste ano, em engenharia ambiental e sanitária.


Foto: Beatriz Arruda
Marcellie folder editada 
Precisamos mostrar ao estudante da nossa área a importância do
sindicato na nossa vida profissional, observa Dessimoni 

 

A partir desse cenário, ela questiona como serão as novas formas de trabalho, as negociações entre patrão e empregado e como se manterá a força do trabalhador sem uma entidade representativa. “Vamos retroceder aos tempos em que o trabalhador fazia 14 horas de jornada por dia, sem pagamento de horas extras, sem benefícios?”, indaga, alertando que os patrões não corrigirão os salários e manterão direitos sem um sindicato atuante.

 

Recentemente, a futura engenheira apresentou sua proposta de trabalho ao sindicato para a realização dessa aproximação com o estudante e o jovem profissional da área. “É preciso apostar nas novas gerações, dando-lhes espaço para o seu protagonismo natural”, defende.

 

Dessimoni, que também está à frente do departamento do Jovem Profissional da Confederação Nacional dos Trabalhadores Liberais Universitários Regulamentados (CNTU), a qual o sindicato pertence por meio da Federação Nacional dos Engenheiros (FNE), acredita que o núcleo veio para ficar. “É fundamental apostar nas gerações futuras para manter vivo o movimento sindical”, destaca.

 

Formação sindical
A coordenadora destaca que o jovem precisa de espaço, mas antes de tudo precisa ter uma formação política sindical para entender a importância dos sindicatos, valorizar sua profissão e seu papel na sociedade. “O núcleo terá a missão de contribuir com reflexões sobre os novos desafios do mercado de trabalho e debater políticas públicas voltadas à categoria.

 

Para ela, a descrença do jovem nas instituições representativas está ligada a não valorização da força jovem: “Falta autonomia, empoderamento, espaço e diálogo. Principalmente no movimento sindical. Tem que dar responsabilidade ao jovem e abandonar essa postura materna que as entidades têm.”

 

Para criar uma nova dinâmica entre as velhas e futuras gerações, Dessimoni acredita que é importante existir “corresponsabilidade” entre os mais experientes e os mais jovens. “Hoje há um divórcio entre a juventude e as entidades. Não há confiança. O Brasil não conseguirá alcançar o desenvolvimento se não houver esse elo entre as diversas gerações de profissionais”, afirma.

 

Como se associar

Para se associar, o estudante de engenharia precisa ir até a sede do SEESP, na Capital paulista, ou nas delegacias sindicais do Interior (confira os endereços em http://goo.gl/wCQP3h), com comprovante da matrícula escolar e cópia (frente e verso) dos documentos pessoais (RG, CPF ou CNH). Enquanto for estudante, permanecerá vinculado ao SEESP como Jovem Associado, isento de pagar contribuições, com acesso a todos os benefícios, como descontos de até 40% nas universidades conveniadas, plano de saúde, cinema, teatro e inúmeros descontos em academia, escolas de dança etc.. Mais informações são obtidas com o departamento de Cadastro do sindicato, pelo telefone (11) 3113-2624.


Dessimoni foi entrevistada pelo Jornal do Engenheiro na TV sobre o início dos seus trabalhos também no departamento da CNTU. Confira a seguir:



 

Deborah Moreira
Imprensa SEESP
Edição Rosângela Ribeiro Gil










agenda