GRCS

Mostrando itens por marcador: cpfl

A CPFL marcou a sexta reunião de negociação para o dia 15 de julho. O SEESP espera que aconteça uma finalização das negociações visando à renovação do Acordo Coletivo de Trabalho 2013. Na última rodada, no entanto, realizada no dia 4, o encontro foi encerrado com várias discordâncias em relação às propostas apresentadas pela empresa.

O sindicato rejeitou a proposta patronal, porque a considera insuficiente para os engenheiros, ao mesmo tempo reforçou vários assuntos que têm sido alvo de discussão nos últimos anos, como, por exemplo, o repasse de lucros para os acionistas em que não há repasse para os trabalhadores e que a PLR deve ser melhorada. A tabela de cargos e salários também foi ressaltada pelo sindicato. O engenheiro tem que saber o início e o final do valor de referência. Lembrou que o ATS está atrelado à tabela salarial e isso não pode ser aceito.

A seguir, as principais propostas apresentadas pela CPFL: discutir a jornada de trabalho após a negociação salarial; permanência de metas adicionais da PLR, porém com valores fixos; organização sindical; reajuste salarial de 6,5%, mesmo índice em outros benefícios; reajuste do vale-alimentação (VA) e vale-refeição (VR) em 7,5%, com redução da participação do empregado para 5% no VA.

Da proposta constam cláusulas que a empresa pretende alterar: aprendiz Senai: incluir no acordo o benefício vale alimentação/refeição de R$ 250,00 reais por mês (atualmente é somente vale alimentação); política de despesas de viagem: a cláusula foi cumprida (retirar do ACT); organizar os pisos salariais existentes numa única cláusula para os sindicatos que tenham mais de um piso.
 

Fonte: Delegacia Sindical de Campinas do SEESP




As duas primeiras negociações salariais com a CPFL, nos dias 28 de maio e 6 de junho, ocorreram sem grandes avanços para a renovação do Acordo Coletivo de Trabalho 2013 (ACT 2013) dos engenheiros da empresa. Na primeira reunião a empresa não apresentou nenhuma proposta. Ela apenas se manifestou sobre o cenário atual da companhia e do mercado energético.

Foram apresentados os seguintes itens da pauta da empresa para serem negociados nas próximas reuniões: política de emprego, PLR 2013 e 2014, PLR gestores, jornada de trabalho, contrato por tempo determinado, cláusulas dos acordos para adequação de textos, atualizações como pisos salariais, requalificação profissional, diálogo social, estrutura de cargos e salários, aprendiz Senai e política de despesas de viagem. Sobre o reajuste salarial a empresa propôs 5,36%, exceto para gerente e diretores; 5,36% nos benefícios (vale alimentação e vale refeição), lanche e refeição em horas extras, auxílio-creche, gratificação de férias, VA aprendiz Senai e transferências.

A segunda rodada de negociação terminou com a rejeição da proposta financeira (reajuste salarial e de benefícios) por parte de todas as entidades sindicais. O SEESP também mostrou preocupação com relação à reestruturação de cargos e salários.

Terceira reunião
No dia 13 último, foi realizada a terceira rodada de negociação. Depois de várias horas de debate, a CPFL apresentou propostas consideradas insatisfatórias para as entidades sindicais, em relação a alguns itens que haviam ficado pendentes na reunião anterior, foram eles: política de emprego e PLR 2013.

Sobre o Plano de Cargos e Salários implantado no mês de maio, o sindicato se manifestou afirmando que houve lacuna na apresentação com relação aos engenheiros, que deveria ser acrescentado cargo novo e que também não houve análise de reenquadramento. No caso da engenharia, os gestores comunicaram que não foram comunicados nem consultados sobre qualquer alteração dos cargos.

O Sindicato dos Engenheiros não concordou com a proposta da PLR, preferindo a manutenção da estrutura vigente.  Defende um recurso maior e sugere que as metas sejam mantidas. Sobre os indicadores DEC/ FEC o Sindicato ressaltou que a empresa é uma referência nacional e que isto deve ser discutido.

Nova negociação está agendada para o dia 27 próximo, às 9h30. Ainda estão previstas duas novas rodadas nos dias 4 e 11 de julho.

 

Marta Adriano
Delegacia Sindical de Campinas do SEESP




A Delegacia Sindical do SEESP em Campinas realizará assembleia nesta quinta-feira (02/08), às 17h30 em primeira convocação, e às 18h em segunda convocação, em sua sede (avenida Júlio Diniz, número 605, Jardim Nossa Senhora Auxiliadora) para deliberação sobre a proposta final da CPFL para a renovação do Acordo Coletivo de Trabalho 2012/2013.

Foram realizadas 11 rodadas de negociação entre os sindicatos e a empresa para se chegar a uma proposta final, cujos principais itens são:

- Reajuste salarial: 6,1% e mais 0,2% da verba de movimentação de pessoal, totalizando um reajuste de 6,3%, a partir de 1º de junho de 2012, exceto para os ocupantes dos cargos executivos de Diretores e Gerentes.

- Verba de Movimentação de Pessoal: a CPFL destinará 0,8% da sua folha base salarial para dar suporte financeiro à concessão de aumentos e bônus para os empregados que apresentarem os melhores desempenhos, avaliados com base no Sistema de Gestão de Desempenho da CPFL. A verba relativa ao período de janeiro a dezembro de 2012 será utilizada em maio de 2013.

- Auxílio Refeição: de R$ 500,00 para R$ 535,00 (7%); Auxílio Alimentação: de R$ 155,41 para R$ 166,29 (7%); Linha de corte: R$ 5.462,59 para R$ 5.806,73 (6,3%); Redução da participação de 10% para 8%; Auxílio Creche: de R$ 352,16 para R$ 376,81(7%); Gratificação de Férias: de R$ 1.780,54 para R$ 1.892,71(6,3%).

- PLR 2012: o montante a ser distribuído será de 1,11% da somatória dos Resultados dos Serviços das empresas CPFL Paulista, CPFL Piratininga, CPFL Geração e CPFL Comercialização, sem participação de outras empresas (exemplo: Sul Centrais, Ceran, Baesa, Enercan, Clion e Conesul). Manutenção das atuais regras da PLR de 2011 e inclusão de três metas específicas para quem atua nas áreas corporativas. A PLR destinada aos empregados ocupantes de cargos gerenciais e diretivos continuará seguindo regras próprias, diversas das estabelecidas, definidas diretamente pela CPFL e interessados.

Marta Adriano Rabelo Rocha
Delegacia Sindical de Campinas

Após 10 reuniões de negociação com a CPFL de Campinas, o SEESP ainda briga para chegar a um desfecho positivo em relação às propostas apresentadas para renovação do ACT 2012 (Acordo Coletivo de Trabalho). No último encontro (26/06), a empresa propôs 5,8% de reajuste extensivo aos demais benefícios e a manutenção dos demais itens já apresentados. Com esse índice o auxílio-refeição passa para o valor de R$ 529,00, o auxílio-alimentação para R$ 164,42, com subvenção de 90% desse valor por parte da empresa para quem recebe até R$ 5.779,42, auxílio-creche no valor de R$ 372,58, gratificação de férias no valor de R$ 1.883,81 (parte fixa), mantendo a parte variável de 40%. Em relação à verba de movimentação de pessoal a CPFL manteve 1% da folha.

Sobre o item organização sindical a empresa se mantém inflexível, o SEESP não aceita a proposta da empresa e solicita a manutenção da cláusula igual a do ACT de 2011.

O SEESP espera que a CPFL Energia remunere seus profissionais com um reajuste salarial justo, principalmente levando-se em conta, como a empresa gosta de divulgar, verificando os valores propostos por suas congêneres no mercado que algumas já ultrapassaram os 6,5% de reajuste salarial e mais de 10% nos benefícios.

O sindicato está convencido de que o anseio dos engenheiros, entre outros itens, é: garantir, no mínimo, a PLR (participação nos lucros e resultados) do ACT de 2011; manter o quadro mínimo de engenheiros para que a empresa seja realmente a referência que tanto afirma querer ser; retirar a proposta de “jornada flexível de trabalho”; manter a participação do SEESP no Programa de Requalificação Profissional; implantar o piso salarial do engenheiro,  conforme a Lei 4.950-A/66; estabelecer um plano de Cargos/Funções e Salários completo, com faixas, medianas, princípio e final de carreira; e manter o plano de remuneração por ‘’Transferência do local de trabalho” igual ao do ACT 2011. 

A 11ª reunião de negociação está marcada para esta terça-feira (3/07), às 12h, no Café Filosófico da CPFL.

* Veja aqui o quadro evolutivo das negociações salariais deste ano, elaborado pelo Sindicato

 

Marta Adriano Rabelo Rocha
Delegacia Sindical de Campinas-SEESP

 

Leia também
Campinas rejeita proposta da CPFL na mesa de negociação
Negociação salarial com a CPFL de Campinas não avança
Campinas realiza ciclo de debates sobre Saúde e Trabalho
Trabalho com inflamáveis é pauta de encontro em Campinas



agenda