GRCS

Mostrando itens por marcador: Diesat

Juntamente com São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul e Pernambuco, Minas Gerais conseguiu, depois de anos de luta, a proibição da produção, comércio, transporte e exportação do amianto. O produto está proibido em 66 países.

As empresas que fabricam o amianto no estado serão obrigadas a realizar medições periódicas de concentração de poeira no ar em suas fábricas. Cada medição não poderá ultrapassar o intervalo de seis meses. Tais regras foram impostas pela da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

Os perigos do amianto já são de conhecimento de muitas autoridades e discutido no mundo tudo, mas o assunto está longe de ser resolvido de maneira simples. Quem mais sofre com isso são trabalhadores de minas de extração do mineral e também os que manipulam a fibra que é usada em aproximadamente 3.000 produtos, entre eles: telhas, caixas d'água, pastilhas e lonas para freios etc.

Responsável pela morte de 107 mil trabalhadores e trabalhadoras por ano, o Brasil ainda é um dos maiores produtores, consumidores e exportadores de amianto do mundo.


 

Fonte: Departamento Intersindical de Estudos e Pesquisas de Saúde e dos Ambientes de Trabalho (Diesat)









Atualmente, trabalhar sentado é algo absolutamente normal, até porque o avanço da tecnologia deixou as pessoas mais propícias a realizar inúmeras tarefas em um só lugar, de preferência em frente a um computador com tudo a sua volta. Mal sabe essa pessoa que a cada hora sentada, a expectativa de vida dela é reduzida em 21.8 minutos, que num total dá em média 4,8 anos para uma pessoa adulta. Esse estudo foi realizado pela Universidade de Queensland, na Austrália.

Outro problema é que, além se trabalhar muito tempo sentado, a maioria das pessoas ainda senta de forma incorreta, prejudicando ainda mais a sua saúde. Para piorar a situação, ainda há pessoas que não levam a sério esse tipo de problema dos dias atuais e continuam a trabalhar dessa forma.

Pesquisadores de Leicester, na Inglaterra, voltaram a tocar no assunto dizendo que malhar por horas e horas na academia não ajuda em nada a reverter doenças causadas por ficar muito tempo sentado, pois segundo esses especialistas, a pessoa que trabalha muito tempo sentada e de forma incorreta, adquiri disfunções metabólicas.

Para eles, o melhor jeito de evitar esse mal é levantar a cada meia hora durante o trabalho e fazer pequenos movimentos, como movimentar os braços para cima e para baixo, alongar as pernas e o pescoço, e de preferência usar apoios móveis para a panturrilha. Apesar de um pouco desconfortável, comer em pé também ajuda, dizem os especialistas.


 

Fonte: Departamento Intersindical de Estudos e Pesquisas de Saúde e dos Ambientes de Trabalho (Diesat)








agenda