logo seesp ap 22

 

BannerAssocie se

CARTAS - Memória

Avalie este item
(0 votos)

       Para falar em engenharia, devemos usar o verbo fazer, pois engenheiro é gente que faz. O termo vem do latim ingenium, talento da pessoa que se dedica aos estudos da ciência da área tecnológica. Para abordar o tema, vale debruçar-se sobre a história da profissão relatada no livro de Pedro Carlos da Silva Telles, engenheiro pela antiga Escola Nacional de Engenharia e professor da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), além de técnico do Instituto Brasileiro de Petróleo. Engenheiro é pessoa diplomada e habilitada a exercer alguma das diversas atividades da área tecnológica. No entanto, conforme consta na citada obra, antes da atual regulamentação, muita gente se ocupou de diversas tarefas que hoje são atribuições do engenheiro. Por exemplo, a Lei nº 3.001, promulgada em outubro de 1880, foi a primeira norma específica contra o exercício ilegal da engenharia por leigos. Contudo, essa valia apenas para aqueles que quisessem atuar no serviço público. Fora isso, curiosos, mestres de obras e práticos poderiam agir livremente. Fato que chama a atenção foi a exceção aberta pelo Decreto
nº 8.159, de julho de 1881, referente aos profissionais ingleses, os quais precisavam apenas apresentar o diploma de sócio efetivo do Instituto de Engenheiros Civis de Londres.

Aristides Galvão, diretor da Delegacia Sindical do SEESP em Piracicaba

 

 

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar



Receba o SEESP Notícias

E-mail:

agenda