logo seesp ap 22

 

BannerAssocie se

“Nenhuma criança fora da escola”

Avalie este item
(0 votos)

      Dando seqüência ao ciclo de debates “A engenharia e a cidade”, o SEESP recebeu, em 22 de setembro, o candidato a prefeito de São Paulo Geraldo Alckmin, que concorre pela coligação PSDB-PTB-PHS-PSL-PSDC. Como prioridade de uma política feita “com amor ao próximo”, o ex-governador elegeu a garantia da universalização da educação infantil. “Há 110 mil crianças sem creche e 48 mil fora das Emeis (Escolas Municipais de Educação Infantil). No menor prazo possível, todas em idade de quatro e cinco anos estarão na escola e vamos aumentar as vagas nas creches”, afirmou.
      Ele destacou também a necessidade de promover melhorias na saúde, cuja estrutura considera boa, mas funcionando mal. Segundo Alckmin, embora haja 419 unidades básicas e mais mil equipes de saúde da família, quem não dispõe de um convênio médico privado encontra enormes dificuldades para receber atendimento. “Vamos criar uma ouvidoria para que a população faça críticas, reclamações e sugestões”, prometeu.
      Outro setor crítico, na sua avaliação, é o transporte público, do qual ele condenou a morosidade e o desconforto: “O sistema é altamente ineficiente, a população sofre por horas para chegar ao trabalho.” E para promover maior segurança, a proposta é iluminar a cidade e dotá-la de 10 mil guardas municipais.
      Ainda conforme o candidato tucano, não falta dinheiro para colocar as idéias em prática. “O orçamento é de R$ 25 bilhões, existem recursos e governar é escolher, portanto, precisamos escolher o que beneficia mais a população”, ponderou.
     Também presente ao evento, o deputado Campos Machado (PTB), candidato a vice-prefeito, exortou a platéia a trabalhar pela vitória de Alckmin: “O meu candidato conhece a cidade, é sério e honrado. Não dá para admitir que o município perca a oportunidade de ter a sua frente um homem de bem.”

Algumas propostas
Saúde
• Construir os hospitais municipais Parelheiros, Brasilândia e São Mateus.
• Criar dez CEs (Centros de Especialidade), com núcleos de diagnóstico, idosos, materno-infantil e para adultos.
• Criar CRIs (Centros de Referência do Idoso) nos dez CEs.

Educação
• Melhorar os salários dos profissionais de educação.
• Implantar o ensino fundamental de nove anos, em parceria com o Governo do Estado.
• Criar avaliação periódica, com provas mensais para suprir as deficiências de aprendizagem dos alunos.

Transporte e trânsito
• Investir recursos municipais para ampliar o Metrô e a rede de trens da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos).
• Construir corredores modernos de ônibus, para dar mais rapidez ao transporte coletivo.
• Modernizar e equipar a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) e a SPTrans (São Paulo Transporte S/A), investindo em tecnologia e em recursos humanos.
• Reformar terminais de ônibus, com medidas de acessibilidade para facilitar a locomoção de pessoas com deficiência.

Desenvolvimento e trabalho
• Planejar e desenvolver a cidade, a partir da valorização da identidade regional, quanto à vocação local e às oportunidades existentes.
• Atrair empreendedores regionais, nacionais e globais, para estabelecerem novos negócios em regiões estratégicas.
• Criar uma rede de educação para o trabalho, a partir das demandas do mercado e das carências de informação e formação profissional.

Fonte: http://www.geraldo45.com.br


Repovoar a região central da cidade

      A participação da candidata à prefeita da Capital pelo PPS, Soninha Francine, no dia 30 de setembro, encerrou o ciclo de debates “A engenharia e a cidade”, promovido pelo SEESP. Ela apresentou os pontos básicos de seu programa de governo, entre os quais repovoar o centro expandido, “que perdeu 400 mil pessoas nos últimos anos, enquanto a população cresceu na periferia”, e oferecer serviços públicos e promover a geração de empregos nas áreas mais afastadas.
     Para cumprir a primeira parte desse programa, ela propõe que a Prefeitura tanto construa moradias no centro, quanto induza o mercado a oferecer imóveis, por exemplo, onerando aqueles que estão ociosos. Outra idéia seria trazer equipamentos culturais, que ajudariam na revitalização da região, como também apoiar a instalação de empresas que funcionem 24 horas.
     Com o objetivo de melhorar a qualidade de vida nas periferias, Soninha defende a requalificação dos conjuntos habitacionais, inclusive com a reurbanização daquelas mais prejudicadas. Nos locais em que a desocupação for necessário, isso terá de ser feito “com muito critério, levando em conta inclusive relações de amizade entre vizinhos”, defendeu.
     Combater o caótico trânsito, exigirá, na sua opinião, tirar automóveis das ruas. “Não se trata de querer que todo mundo ande de bicicleta, mas não é possível que todos saiam de carro, é preciso pensar em outras formas”.
     Durante o encontro, Soninha recebeu do presidente do SEESP, Murilo Celso de Campos Pinheiro, a publicação “Cresce Brasil – Região Metropolitana de São Paulo”, elaborada pelo sindicato, com propostas para diversos setores, como saneamento, habitação e transportes. O estudo defende ainda a gestão integrada da Grande São Paulo, com a instituição de um quinto ente constitucional, idéia aprovada pela candidata do PPS. “É importante que haja uma forma institucional de gestão, mas enquanto isso não existe, é desejável um fórum com a participação da sociedade para que se discutam as questões”, afirmou.

Algumas propostas
Habitação
• Requalificar os conjuntos habitacionais que já existem, garantindo a oferta de áreas de convivência e lazer.
• Usar vários instrumentos para desocupação negociada de áreas de risco e proteção ambiental.

Educação
• Assegurar e incentivar o funcionamento dos Conselhos de Escola e a integração com a comunidade.
• Investir em qualificação permanente dos professores e demais servidores.
• Melhorar as instalações das escolas.
• Preparar a rede para Ensino Fundamental de nove anos.
• Ampliar horário das Emeis (Escolas Municipais de Ensino Infantil) e aumentar vagas nas creches.

Saúde
• Como medida de emergência, é necessária a realização de mutirões de consultas, exames e pequenas cirurgias para atender à demanda represada. Ao mesmo tempo, diagnosticar as deficiências da rede para saber que unidades de atendimentos faltam.

Trabalho e renda
• Usar o poder de compra da Prefeitura para estimular o desenvolvimento local e o respeito ao meio ambiente.
• Ampliar programas de microcrédito.
• Criar incubadoras e programas de suporte a cooperativas e micro-empresas.
• Investir na capacitação e inserção de jovens no mercado de trabalho, bem como de pessoas com deficiência e pessoas em situação de rua.
• Combater o subemprego e a exploração de mão-de-obra análoga à escravidão.
• Identificar vocações e apoiar o desenvolvimento de atividades como turismo, produção audiovisual e cultural.

Assistência e desenvolvimento Social
• Ampliar a rede de proteção social e programas voltados a crianças e adolescentes em situação de rua e suas famílias.
• Requalificar os albergues e melhorar o atendimento e acompanhamento diurno à população de rua, oferecendo atendimento em saúde (e especialmente mental), terapia ocupacional, assistência jurídica etc.

Populações (mulheres, LGBT, negros, idosos, jovens, indígenas, imigrantes)
• Promover ações para combater qualquer tipo de discriminação.
• Preparar os serviços públicos para prestação de serviços de qualidade e com foco nesses públicos.
• Garantir seus direitos universais com atenção a necessidades específicas.

Fonte: www.soninha23.can.br


Rita Casaro

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar



Receba o SEESP Notícias

E-mail:

agenda