logo seesp ap 22

 

BannerAssocie se

Brasileiros vencem prova de aerodesign nos EUA

Avalie este item
(0 votos)

     Estudantes de instituições nacionais foram destaque na SAE Aero Design East Competition, prova internacional de aerodesign realizada na Geórgia, nos Estados Unidos, entre os dias 3 e 5 de abril. A equipe Keep Flying, da Poli-USP (Escola Politécnica da Universidade de São Paulo), conquistou três troféus na disputa. Além dela, times de Minas Gerais e São Carlos também garantiram prêmios.
       O primeiro grupo foi o grande vencedor na classe regular da competição, em que aeronaves cargueiras são projetadas e avaliadas em voo. Além disso, os alunos levaram para casa o troféu itinerante de maior carga, ao transportar 12,87kg, e faturaram a premiação especial da competição: o Nasa Systems Engineering Award, dado à equipe que melhor gerenciou o projeto seguindo os conceitos de engenharia durante a concepção e o desenvolvimento da aeronave.
       Promovida pela SAE International, a competição contou com 65 universidades de vários países nas categorias regular e aberta. As atividades começaram com apresentações de projetos e encerraram com sucessivas baterias de testes dos aviões.
      A disputa, segundo a organização, teve por objetivo estimular estudantes de graduação e pós-graduação em engenharia, física e ciências aeronáuticas a projetarem e construir aeronaves radiocontroladas, em escala reduzida, capazes de superar as baterias de testes, demonstrando capacidade de voo controlado e suportando o maior peso.
      Conforme explica o orientador do projeto e professor do Departamento de Engenharia Mecatrônica e Sistemas Mecânicos da Poli, Alexandre Kawano, grosso modo, ganha o grupo que construir o protótipo mais leve e transportar a maior carga. “A nota final é composta de vários fatores, entre eles a precisão com que a equipe acerta a carga que o avião levantará, relatórios técnicos, apresentação oral, peso máximo carregado e concordância entre projeto e construção.” Segundo ele, a vitória na competição é importante porque acaba por motivar outros estudantes a participarem desses campeonatos e “mostrar o quanto a escola forma bem os alunos”.
      Para Rodrigo Trevisan Okamoto, capitão da equipe e estudante do quarto ano de engenharia mecatrônica da Poli, a formulação e a construção de projetos do gênero são muito importantes para a formação do engenheiro, porque possibilitam aos participantes vivenciarem situações recorrentes no dia a dia de uma empresa. Exigem trabalho em equipe, cumprimento de prazos, escolha de fornecedores e criatividade para atuar com poucos recursos. “Esse tipo de prova ajuda a formar uma base bastante sólida, fazendo com que o aluno chegue mais preparado ao mercado. Somente matérias e trabalhos acadêmicos não são suficientes para formar bem o futuro profissional”, acredita.
      Okamoto conta que o resultado foi bastante satisfatório porque mostra a capacidade de os brasileiros competirem de igual para igual com universidades que possuem cursos específicos na área. “Não tivemos aulas de aeronáutica, mesmo assim ganhamos de equipes com altíssimo nível de conhecimento, de países como Estados Unidos, Alemanha e Canadá.”
      Feito de madeira balsa, espuma de PVC, kevlar (fibras aramidas), alumínio aeronáutico e fita de empacotamento, o pelicano, como é chamado o modelo vencedor, foi construído em outubro de 2008. Com envergadura de 2,31 metros, comprimento de 1,58m, altura de 56cm, a aeronave pesa cerca de três quilos e teve custo final de aproximadamente US$ 700. O projeto foi financiado pela Poli e Itautec. Além desses, diversos patrocinadores doaram materiais e prestação de serviços.

Desempenho notável
      As outras duas universidades brasileiras cujos alunos participaram da disputa e também ganharam troféus foram a UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) e a Escola de Engenharia da USP de São Carlos. A primeira delas com a equipe denominada Uai Sô Fly, à qual coube o título de vice-campeã na classe regular. Já a segunda conquistou o primeiro lugar na classe aberta, com a EESC USP Open, agraciada nos quesitos maior peso carregado (17,7kg) e melhor projeto, além de levar o prêmio de inovação.
      As três equipes brasileiras asseguraram vaga na competição internacional após terem garantido as melhores colocações na 10ª Competição SAE Brasil AeroDesign, realizada pela SAE (Sociedade de Engenheiros de Mobilidade), em São José dos Campos, Interior de São Paulo. Neste ano, a prova nacional acontece entre os dias 22 e 25 de outubro. Mais informações no site www.saebrasil.org.br.


Lucélia Barbosa

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar



Receba o SEESP Notícias

E-mail:

agenda