logo seesp ap 22

 

BannerAssocie se

Opinião - Impressões do IX Conse

Avalie este item
(0 votos)

Saulo Krichanã

Como marinheiro de primeira viagem, minha expectativa em participar do IX Congresso Nacional dos Engenheiros (Conse) se resumia ao painel no qual seria um dos palestrantes. Afinal, a criação do Instituto Superior de Inovação e Tecnologia (Isitec) é um passo desses que só dá quem está com os pés firmemente postados no presente, mas com os olhos voltados para o futuro.

Após discutir com todos os segmentos da engenharia nacional – inclusive na área educacional –, o SEESP resolveu empreender e ser ele mesmo o mantenedor do Isitec, agindo tal qual uma aceleradora de projetos inovadores, criando essa instituição que tem uma proposta radical de ensino e aprendizagem no campo da engenharia.

Por isso, ao olhar a programação do IX Conse, resolvi antecipar minha ida ao evento, para ouvir o que diriam os vários expositores, de diferentes órgãos de excelência na geração, na gestão e na operação da tecnologia e do desenvolvimento: técnicos da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), de empresas como a Eletrobras, da Secretaria de Mobilidade Urbana do Ministério das Cidades, profissionais que fazem a gestão de recursos hídricos, de empresas e instituições nas áreas de petróleo e gás, de universidades, a par de outros tantos diretores da FNE que possuem vivência profissional e conhecimento para contribuir como debatedores para focar e sistematizar problemas e abrir suas perspectivas de solução.

Pelo que vi e ouvi, a proposta de ensino e aprendizagem do Isitec conseguiu captar o que os verdadeiros “engenheiros operadores do desenvolvimento” possuem como seus principais atributos. Todos têm visão integrada dos problemas do País; plena consciência de como suas ações profissionais podem contribuir para a sua superação; a clara noção de como podem transformar em ações efetivas o que se propuseram a discutir; sabem da importância do “pensar antes de agir”; e possuem um comportamento inquieto, inconformado e proativo no sentido de buscar fazer sempre o melhor.

Esse é o DNA que o curso de graduação em Engenharia de Inovação procura desenvolver nos futuros engenheiros que formaremos nos próximos anos. É o foco do Isitec: através da oferta de um acervo de conhecimento enriquecido por um processo radical de ensino-aprendizado, formar um profissional sempre disposto a pensar e repensar seu estoque de conhecimentos; incansável na busca de aprender e apreender sempre; comprometido com os efeitos de sua ação individual na sociedade a que pertence; e sempre inquieto na busca de novas formulações que o façam um agente social.

Ou seja, um verdadeiro “engenheiro operador do desenvolvimento”, tal como cada um dos engenheiros presentes no IX Conse: sempre com muita paixão, homens e mulheres que estão sempre ajudando a transformar e melhorar a sociedade em que vivem.

Saulo Krichanã é diretor geral do Instituto Superior de Inovação e Tecnologia (Isitec)

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar



Receba o SEESP Notícias

E-mail:

agenda