GRCS

Mostrando itens por marcador: engenharia de segurança do trabalho

Deborah Moreira
Comunicação SEESP

Foi aprovado na Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, da Assembleia Legislativa de São Paulo, o parecer favorável do deputado Carlão Pignatari sobre o Projeto de lei 476/19 de autoria da Deputada Maria Lucia Amary (PSDB), que autoriza a criação do Sistema Estadual Integrado de Gestão das Condições de Meio Ambiente, de Trabalho e do Social, a Sigescomats.

A aprovação ocorreu na terça-feira (17/9) e teve como relator o deputado Carlão Pignatari (PSDB). Antes disso, o PL já passou pela Comissão de Constituição e Justiça, em junho. Agora, segue para a Comissão de Finanças, Orçamento e Planejamento, onde a deputada estadual Carla Morando (PSDB) será a relatora. Depois, caso seja aprovado, deverá ser colocado em pauta para votação.

O Projeto foi criado com o intuito de tornar as medidas de segurança nas empresas obrigatórias. “Hoje em dia não funciona porque não é obrigatório. Cada empresa decide se quer fazer ou não. Este projeto é de suma importância por torna essa medida obrigatória, sendo necessário fazer antes de começar qualquer empreendimento, levando, inclusive, a redução de custo, com a sistematização das informações”, explica o engenheiro de Segurança do Trabalho, Celso Atienza, vice-presidente do SEESP, que apoia o PL.

Outro ponto destacado por Atienza é o fato de atender a sociedade. “Esse novo sistema de gestão tem um fundo social muito forte, vai além da empresa, que passará a ter a responsabilidade de atender a sociedade como um todo. Os maiores acidentes estão atingindo os que não estavam trabalhando no momento. Portanto, é necessária uma preservação da sociedade”, disse, lembrando dos acidentes recentes com pontes e viadutos na capital e as tragédias nas cidades mineiras com os rompimentos de barragens em Brumadinho e Mariana.

“Em Brumadinho morreu trabalhador, mas morreu quem não era. A população que vive da pesca do rio, as pessoas que precisaram evacuar as cidades. Ao incluir o “e do Social” estamos protegendo a sociedade. Essas agressões começam no trabalho”, completou, lembrando que o PL contribui, inclusive, com a manutenção nas cidades, medida que vem sendo encampada pela Federação Nacional dos Engenheiros (FNE), que publicou recentemente a edição do Projeto Cresce Brasil + Engenharia + Desenvolvimento” com esse tema.

Outro trecho destacado pelo especialista é o artigo 2º que define os princípios da política do Sigestcomats: “defesa da dignidade da pessoa humana; respeito aos direitos humanos e do trabalhador; valorização e respeito à vida e a cidadania; integração entre as esferas federal, estadual e municipal de governo; intersetorialidade, transversalidade e integração sistêmica com as demais políticas públicas do meio ambiente; valorização e aplicação das normas da engenharia de segurança do trabalho”.


Atento à expansão do agronegócio brasileiro e dedicado à especialização e qualificação profissional, o Instituto Superior de Inovação e Tecnologia (Isitec) escolheu a cidade de Itapetininga, no interior paulista, como um dos polos de pós-graduação em engenharia de segurança do trabalho.

O curso lato sensu terá início no dia 24 de março, tendo como diferencial a aplicação de conhecimentos específicos em agricultura junto à grade regular para especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho. Ou seja, além das disciplinas regulares previstas para que o profissional se especialize e atue em qualquer área da engenharia, o curso de pós-graduação do Isitec também contará com um módulo específico sobre o campo, abordando, por exemplo, as condições de segurança e o meio ambiente do trabalho nas atividades rurais, ampliando as possibilidades de atuação em atividades rurais e no agronegócio.

O diretor de Extensão e Pós-graduação do Isitec, Antonio Octaviano, ressalta o protagonismo do instituto na aplicação do curso e as possibilidades de atuação para os profissionais que vierem a se especializar. “É um curso inédito no Brasil e chega à Itapetininga para atender engenheiros e arquitetos dessa cidade que buscam atualizar os seus conhecimentos e, também, daqueles que estão na região de Sorocaba. Além de uma pós-graduação, o curso garante uma nova habilitação profissional, como engenheiro de Segurança do Trabalho, permitindo atuar em uma nova área em adição a sua formação original”, destaca.

Segundo Octaviano, o Isitec inova ao associar conhecimentos específicos da agricultura ao novo curso, já que essa é uma área de atuação importante e ainda carente de profissionais especializados. “Normalmente, os cursos de segurança no trabalho são voltados para as áreas urbanas e industriais. Esse novo foco proposto sob o aspecto de atuação no campo foi levado em conta para produção, geração de emprego e renda e, ainda, serão considerados os aspectos regionais de cada município onde se dará a pós”, explica, lembrando que o curso foi concebido a partir de entendimentos iniciais com a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo (Faesp) e seus sindicatos rurais das regiões.

A coordenação técnica do curso é do professor Celso Atienza, renomado especialista em Engenharia de Segurança do Trabalho. Segundo o coordenador, o objetivo é expandir a qualificação dos profissionais para a promoção do agronegócio. “Precisamos de uma agricultura com práticas cada vez mais sustentáveis, executadas por técnicos que tenham a capacidade para acompanhar o avanço tecnológico representados pelo surgimento de novos equipamentos, novos métodos e processos de trabalho. Tivemos a preocupação em formatar um curso que pense em geração de empregos, em sustentabilidade e em criar melhores condições de trabalho”, completou Atienza.

As aulas serão ministradas semanalmente, aos finais de semana, com carga horária de 680 horas e duração de dois anos ? sextas à noite e sábados nos períodos manhã e tarde. As inscrições já podem ser feitas na delegacias sindical do Sindicato dos Engenheiros de São Paulo (SEESP) de Sorocaba.

Informações
O curso terá duração de dois anos, com investimento em 24 parcelas mensais no valor de R$ 700. O valor permanecerá o mesmo durante os dois anos do curso. Associados ao SEESP têm 10% de desconto. O mesmo percentual de desconto também será aplicado aos profissionais vinculados ao Sinaenco e ao Sinduscon e aos profissionais registrados e em dia com o pagamento da anuidade junto ao Crea-SP.

 

Comunicação SEESP

 

 

 

 

 

O Instituto Superior de Inovação e Tecnologia (Isitec) e a Delegacia Sindical do SEESP em Campinas,  inauguram no dia 10 de março, no município do interior paulista, a pós-graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho, com carga horária de 680 horas e duração de dois anos. As aulas serão ministradas na sede da delegacia sindical. Ainda em março, as delegacias de São José do Rio Preto, Bauru e Itapetininga, que integra a delegacia de Sorocaba, também oferecerão a formação, que tem como diferencial conhecimentos específicos do campo. O Isitec, na capital, também oferecerá.


Foto: Agência Brasil

colheitadeira AgBR 600 alrgPós-graduação de Engenharia de Segurança no Trabalho terá foco na agricultura brasileira.


O curso, lato sensu, dará, ainda, uma nova habilitação profissional, de Engenheiro de Segurança no Trabalho, como explicou Antonio Octaviano, diretor de Extensão e Serviços de Consultoria do Isitec: “É um curso inédito no Brasil. Além do conhecimento técnico curricular exigido para essa qualificação, o curso é focado na agricultura, uma área estratégica para o País. E os que fizerem o curso terão uma nova habilitação profissional, como engenheiro de Segurança do Trabalho, permitindo atuar em diversas áreas”.

Ele lembrou que normalmente os cursos de Segurança no Trabalho são voltados para as áreas urbanas e industriais. Atento a expansão do agronegócio brasileiro, o Isitec elaborou uma grade específica para atender a essa demanda, com matérias que abordam, por exemplo, “Condições e Meio Ambiente do Trabalho nas Atividades Rurais”.

“Todo o aspecto do campo no País foi levado em conta, para produção, geração de emprego e renda e, ainda, serão levados em conta os aspectos regionais de cada município onde se dará a pós”, contou Octaviano, lembrando que o curso foi concebido em sintonia com a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo (Faesp) e sindicatos rurais das regiões (filiados à Faesp).

A coordenação técnica do curso é do professor Celso Atienza, vice-presidente do SEESP, mantenedor do Isitec.  Durante o lançamento oficial da pós-graduação, ocorrido em julho de 2016, Atienza lembrou que as aulas trarão novos olhares para o profissional. “É preciso mudar a forma de enxergar o engenheiro dessa área, que geralmente é tido como um intruso, um agente que surge que dá prejuízo. Precisa ser visto como investimento", ressaltou.

De acordo com o coordenador técnico da atividade, o objetivo é ir além de uma simples formação, que se limita a inclusão de equipamentos de proteção. “Precisamos de uma nova agricultura, com práticas sustentáveis, como os alimentos orgânicos. Não queremos só formar técnicos que se limitam a inclusão de EPIS (Equipamentos de Proteção Individual). Tivemos a preocupação em formatar um curso que pense em geração de empregos, em sustentabilidade e em criar melhores condições de trabalho”, completou.

As aulas ocorrerão quinzenalmente, aos finais de semana – na sexta à noite e sábado nos períodos manhã e tarde.

Calendário de inauguração da Pós-graduação nas cidades e respectivos contatos das Delegacias Sindicais:

Campinas: 10 de março
Fone: (19) 3368-0204
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

São José do Rio Preto: 17 de março
Fone: (17) 3232-6299
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Itapetininga:  24 de março (Delegacia Sindical de Sorocaba)
Fone: (15) 3231-0505
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Bauru: 31 de março
Fone: (14) 3224-1970
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Na sede da capital: 10 de abril

Fone: (11) 3113-2600

Mais informações no  Isitec: (11) 3254.6850
 Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.


Deborah Moreira
Comunicação SEESP








A Delegacia Sindical do SEESP em Campinas está com as inscrições abertas para o curso de pós-graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho do Instituto Superior de Inovação Tecnológica (Isitec), com previsão de início das aulas em março de 2017. Mais informações podem ser obtidas em Campinas pelo telefone (19) 3368-0204 ou em São Paulo (11) 3254-6850 e (11) 3254-6874 ou ainda em www.isitec.org.br.

Mais informações sobre o curso:

- Valor do Curso: 24 parcelas de R$ 700,00 Reais (Com desconto de 10% para associados do SEESP, Crea e associações ligadas ao sindicato).

- Duração do curso: 24 meses (dois anos).

- Horários do curso: Todos os finais de semana, nas sextas-feiras e sábados. Nas sextas-feiras das 19h às 23h (1 intervalo para o café). No sábado das 8h às 17h (2 intervalos para o café da manhã e tarde e 1h para o almoço).

- Carga horária do curso: 680 horas/aula.

- Introdução à Engenharia de Segurança do Trabalho - 24h

- Prevenção e Controle de Riscos em Máquinas, Equipamentos e Instalações - 80h

- Higiene do Trabalho - 144h

- Gerência de Riscos - 64h

- Legislação - 24h

- Ergonomia - 32h

- Sistemas de Proteção Contra Incêndios e Explosões - 64h

- O Ambiente e as Doenças do Trabalho- 56h

- Administração Aplicada a Engenharia de Segurança do Trabalho- 32h

- Métodos e Técnicas de Pesquisa - 16h

- Psicologia Aplicada a Engenharia de Segurança do Trabalho - 16h

- Orientação para monografia - 24h

- Normas Técnicas - 8h

- Seminários - 8h

- Proteção ao Meio Ambiente do Trabalho - 48h

- Condições e Meio Ambiente do Trabalho nas Atividades Rurais - 40h

 

Comunicação SEESP
Informação da Delegacia Sindical de Campinas

 

 

 

 

 

 

 

Página 1 de 2

agenda