GRCS

A primeira reunião de negociação do Acordo Coletivo de Trabalho de 2016 foi realizada em 26 de agosto último, na sede do SEESP, na Capital paulista, com a Telefônica Vivo. A empresa, nesse contato inicial, fez uma explanação sobre sua situação financeira. Da apresentação o sindicato viu evidente contradição, pois enquanto indica resultados satisfatórios no primeiro semestre deste ano, em linha com as metas propostas para o Programa de Participação e Resultados (PPR) 2016, afirma ter dificuldades insuperáveis que inviabilizariam reajuste salarial.

Por isso, o sindicato rejeitou o raciocínio da empresa e reiterou a reivindicação da categoria de reajuste, na data-base 1º de setembro, pela variação do maior dos índices inflacionários no período de 1º de setembro de 2015 a 31 de agosto de 2016, com o devido aumento real, condizente com os ganhos de produtividade da empresa. Pleiteia ainda elevação do piso salarial dos engenheiros, conforme previsto na Lei nº 4.950-A/66, para R$ 7.920,00, também na data-base. Os representantes do SEESP solicitaram revisão da posição da Telefônica Vivo até a próxima reunião. A companhia ficou de analisar a questão e apresentar nova proposta, após a divulgação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) de agosto de 2016.

Além disso, os dirigentes do sindicato pediram à empresa que trouxesse uma contraproposta também em relação aos demais itens da pauta de reivindicações da categoria. A Telefônica Vivo se comprometeu a apresentá-la na próxima rodada de negociações. A reunião foi agendada para o dia 16 de setembro.


 

Lourdes Silva
Comunicação SEESP







Em assembleia realizada na noite desta terça-feira (31/05), os engenheiros do Metrô de São Paulo decidiram aprovar a proposta global da companhia para o Acordo Coletivo de Trabalho 2016. A data-base da categoria é 1º de maio.

 

Entre outros itens econômicos, foram aprovados: reajuste salarial de 10,03%, em duas parcelas, sendo a primeira de 7,5%, em 1º de maio de 2016, a segunda de 2,53% em 1º de novembro, ambas incidentes sobre os salários de 30 de abril último; e majoração de todos os benefícios pelo Índice de Preço ao Consumidor da  Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (IPC/Fipe) de 10,03% integral, inclusive os vales alimentação e refeição, em parcela única, a partir de 1º de maio.


Foto: Beatriz Arruda/SEESP
Metro AS 31MAI2016 
Diretores do SEESP explicam proposta do Metrô na assembleia do dia 31
 

Já com relação as demais reivindicações da categoria, foram reiteradas as propostas formuladas pelo Metrô e registradas em ata de audiência realizada no Tribunal Regional do Trabalho 2ª Região de São Paulo (TRT/SP), também no dia 31, como o pagamento da primeira parcela do 13º salário juntamente com o pagamento das férias dos empregados, a contar da vigência do ACT 2016/2017;  as progressões salariais aos empregados elegíveis em dezembro de 2015, serão realizadas em folha de pagamento de julho de 2016, observando os pré-requisitos definidos no atual Plano de Carreira; quando ao salário normativo será renovada a cláusula preexistente do acordo 2015/2016.


 

Imprensa SEESP







agenda