GRCS

Comunicação SEESP

A sexta edição da Semana de Engenharia de Produção do Centro Universitário Eurípides de Marília (Univem) tem este ano o apoio do Instituto Superior de Inovação e Tecnologia (Isitec), faculdade mantida pelo SEESP. A atividade é fruto da parceria firmada entre as instituições em julho último.

O evento começou na segunda-feira (23) com apresentação de projetos científicos dos alunos dos cursos de engenharia e de diversas áreas do conhecimento da Univem. A abertura oficial aconteceu na terça, com a palestra do professor-doutor da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli/USP) José Roberto Cardoso, coordenador do Conselho Tecnológico do SEESP, sobre os desafios da educação em engenharia.

Nesta quinta-feira, a Engenharia de Inovação entra em pauta com a palestra do diretor do SEESP e diretor de Extensão e Serviços de Consultoria do Isitec, Antonio Octaviano. Para o vice-presidente da Delegacia Sindical do SEESP em Marília, Carlos Shiniti Saito, é o início da “interiorização do Isitec”. “Estamos levando o instituto para cidades do interior, divulgando o excelente trabalho que vem sendo feito, fazendo-o conhecido”, disse.


Confira a programação:

engenha 1


A Univem fica na Avenida Hygino Muzzi Filho, 529, Marília-SP. A atividade é gratuita e aberta ao público.

 

 

 

 

O Instituto Superior de Inovação e Tecnologia (Isitec), mantido pelo SEESP, e o Centro Universitário Eurípides de Marília (Univem), assinaram, no dia 3 de julho último, acordo de mútua cooperação, visando o desenvolvimento de trabalhos em áreas de interesse comum. Nesse sentido, serão envidados esforços para a realização conjunta de atividades, como intercâmbios de experiências entre docentes, pesquisadores, estudantes e/ou profissionais; atividades de extensão comunitária e pesquisas conjuntas; participação em seminários, workshops, congressos e encontros técnicos, acadêmicos e científicos diversos, de interesse de ambas as instituições; programas acadêmicos de coorientação em atividades de ensino, pesquisa e extensão universitária; programas para desenvolvimento de cursos de extensão e pós-graduação lato sensu; e promoção de cursos de curta duração.


Foto: Divulgação/Univem
Diretores da Delegacia Sindical do SEESP em Marília, do Isitec e do Univem no ato de assinatura do convênio técnico.

No convênio assinado, é considerado que para a construção de um processo de educação universitária competente é indispensável o estabelecimento de relações culturais, educacionais e científicas que contextualizem e estimulem o desenvolvimento das funções institucionais de ensino, pesquisa e extensão, assim como a importância de se estabelecerem relações dirigidas ao desenvolvimento de atividades científicas e tecnológicas do mais alto nível.

A gestão técnico-administrativa do acordo, cuja vigência inicial será de cinco anos, será realizada pelo diretor de Extensão do Isitec, Antonio Octaviano, e, pela Univem, pelo pró-reitor de Graduação, Pesquisa e Extensão, professor Lafayette Pozzoli. O termo de cooperação foi assinado pelo reitor do centro universitário, Luiz Carlos de Macedo Soares, e pelo diretor de extensão do instituto. Também participaram do ato o presidente da Delegacia Sindical do SEESP em Marília, Luiz Fernando Napoleone, e os diretores regionais Carlos Saito e Rosemary Miguel.

O Univem, há 50 anos formando profissionais diferenciados para o mercado, é a primeira instituição do interior a contar com a parceria com o Isitec. Para o reitor, uma oportunidade ímpar de agregar conhecimento e fomentar a troca de experiências entre profissionais e alunos da área.

 

Rosângela Ribeiro Gil
Comunicação SEESP
Com informações do Univem

 

 

 

 

A Delegacia Sindical do SEESP em Marília recebeu a diretoria executiva do sindicato no dia 15 de fevereiro último. O presidente Murilo Pinheiro fez um relato das atividades sindicais e da Federação Nacional dos Engenheiros (FNE) em 2016, salientando que, apesar das muitas dificuldades com as crises política e econômica, os engenheiros apresentaram uma agenda positiva de discussão e debate à sociedade, aos governos e as diversas entidades representativas.


Foto: Paula Bortolini
Dirigentes dos engenheiros reforçam necessidade de mobilização e unidade da categoria.

Para 2017, prosseguiu Murilo, a previsão das reformas que estão em discussão no Congresso Nacional – trabalhista, previdenciária e sindical – criam uma situação ainda mais preocupante, além dos problemas enfrentando por grandes empresas brasileiras, como a Petrobras, a Eletrobrás e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). “Precisaremos arregaçar as mangas e trabalharmos além do que já estamos fazendo”, disse. E completou: “A Engenharia Unida deve ser uma saída para esses problemas, trazendo propostas à retomada do crescimento e desenvolvimento, com melhores oportunidades para todos.”

A liderança destacou aos presentes que é importante trazer as associações da região, ampliar o debate, fazer com que os engenheiros participem ativamente das discussões dos temas de interesse da sociedade e garantir cada vez mais o jovem na ação sindical dos engenheiros. Nesse sentido, os diretores da regional informaram que estão prevendo realizar eventos junto às universidades e associações, contemplando a linha do movimento Engenharia Unida.

Participaram da reunião o 3º secretário e a coordenadora do Núcleo Jovem Engenheiro do SEESP, Edilson Reis e Marcellie Dessimoni; e também o presidente da regional Luiz Fernando Napoleone e os diretores Carlos Shiniti Saito (1º vice-presidente), Edson Navarro (2º vice-presidente), Rosemary Miguel (1º secretário), Claudia Aparecida Ferreira Sornas Campos (1ª tesoureira) e José Carlos Beto (diretor adjunto). A delegacia de Marília abrange as cidades de Alvinlândia, Bastos, Garça, Herculândia, Lupércio, Oriente, Oscar Bressane, Palmital, Pompéia, Tupã, Assis,Cândido do Mota, Echaporã, Parapuã, Pedrinhas Paulista, Quatá, Rinópolis, Paraguaçu Paulista, Gália, Júlio Mesquita, Maracai, Vera Cruz e Platina.

 

 

Rosângela Ribeiro Gil
Comunicação SEESP
Com informações da assessora da Presidência - Paula Bortolini

 

 

 

 

O livro 'Envelhecimento Humano: diferentes olhares, organizado por Gilsenir Maria Prevelato de Almeida Dátilo e Ana Paula Cordeiro, publicado pela Cultura Acadêmica Editora e Oficina Universitária do câmpus da Unesp em Marília, apresenta o trabalho desenvolvido na Universidade Aberta à Terceira Idade (Unati) da Unesp do Câmpus de Marília, através dos diversos olhares proissionais sobre o fenômeno mundial do processo de envelhecimento as articulações com a promoção da qualidade de vida da pessoa idosa.

A obra apresenta um estilo claro e objetivo, demostrando a diversidade de óticas disciplinares e proissionais, ressaltando aspectos do envelhecimento e da velhice, enfatizando a riqueza da atuação dos proissionais de diversas áreas e além de tudo, trazendo relexões profícuas que subsidiarão tanto o trabalho interdisciplinar quanto suscitando indagações teóricas e cientíicas sobre os assuntos destacados. Cada capítulo do livro nos faz pensar nas possibilidades de intervenção, parcerias e construção histórica com o segmento idoso numa perspectiva interdisciplinar, envolvendo as diversas áreas de conhecimento existentes na universidade e a experiência de cada proissional envolvido.

* Acesse aqui o livro

 

Fonte: Agência Unesp de Notícias

 

 

 

 

 

 

Presidente do SEESP, Murilo Pinheiro, participou de reunião na Delegacia Sindical de Marília, no dia 11 de novembro último. Os temas em pauta: Instituto Superior de Inovação e Tecnologia (Isitec), o projeto Cresce Brasil, planejamento de 2016, engenharia unida e questões locais da categoria. No encontro também foi abordado o Núcleo Jovem Engenheiro e suas ações para atrair os estudantes e recém-formados da área para engrossar as ações sindicais em prol da categoria.


Fotos: Paula Bortolini
Marilia 11NOV2015 2 editada 

Marilia 11NOV2015 3 editada


Imprensa SEESP








Unesp MariliaNo dia 13 último, a Faculdade de Filosofia e Ciências da Universidade Estadual Paulista (FFC/Unesp), Campus de Marília, inaugurou o novo prédio do Centro de Estudos da Educação e da Saúde “Dr. Heraldo Lorena Guida”, Unidade Auxiliar que visa apoio ao desenvolvimento das atividades de ensino, pesquisa e extensão, voltadas para questões relativas à cognição, comunicação, desenvolvimento e educação de indivíduos com necessidades especiais.

Atualmente, o CEES funciona no bairro Cascata, em local distante do câmpus universitário. O novo prédio, construído em área privilegiada no câmpus da FFC, continuará proporcionando estágio e treinamento necessários para a formação profissional, contribuindo para a especialização e aperfeiçoamento de profissionais, além de prestar serviços diagnósticos e de intervenção à comunidade de Marília e região, agora na Av. Hygino Muzzi Filho nº 737, com melhores acomodações dessas atividades e aproximando ainda mais a pesquisa e a extensão ao ensino de qualidade que a Unesp oferece.

Anunciada em 2011, a obra do novo CEES – orçada em mais de R$7 milhões – concretiza o sonho de toda a comunidade acadêmica que trabalhou por mais de 20 anos para que este novo prédio fosse construído. A Unesp de Marília entrega à comunidade uma obra que proporcionará um ambiente mais adequado para a ampliação no número de projetos de pesquisa e atendimentos aos usuários.

No ano de 2014, o Centro realizou 39.970 atendimentos nas áreas de reabilitação de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional. Foram cadastrados 20 novos projetos de pesquisa e 20 de extensão. Desenvolveram atividades 150 alunos de graduação em Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional; seis alunos do aprimoramento profissional, com bolsa Fundap (Fundação do Desenvolvimento Administrativo), nas áreas Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional e 39 alunos de pós-graduação, nível de mestrado e doutorado, em Educação, Fonoaudiologia e Fisioterapia.

A mudança de todas as atividades realizadas pelo CEES será gradativa. Com um aporte de R$250 mil para compra de novos equipamentos e mobiliário, o uso completo do novo prédio será realizado em etapas ao longo dos próximos meses, sobretudo para que toda a logística não interfira nos procedimentos e atendimentos que já estão sendo realizados.


 

Imprensa SEESP
Fonte: Unesp Agência de Notícias








A cidade de Marília realizou importante debate sobre a segurança no trabalho na construção civil, no dia 19 de abril último, cujo objetivo foi o de apresentar e esclarecer dúvidas sobre a aplicação de várias normas regulamentadoras (NRs), entre elas as de números 7 (Programas de Controle Médico de Saúde Ocupacional), 9 (Programas de Prevenção de Riscos Ambientais), 10 (Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade) e, principalmente, 18 (Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção), na sede da Associação dos Engenheiros Arquitetos e Agrônomos da Alta Paulista.

Ao longo do evento, com a previsão de revisão geral da NR-18 para este ano, fez-se um comparativo do texto atual com as principais mudanças propostas. Foi mostrado, também, os principais riscos e medidas de controle administrativas, coletivas e individuais e a definição das responsabilidades dos envolvidos. Aspectos como uso adequado dos elevadores de obras, andaimes tubulares, instalações elétricas provisórias e medidas de proteção coletiva, como redes do tipo força, etc, também foram abordados na palestra. Estiveram em pauta, ainda, questionamentos sobre terceirização, uso de protetor solar e desvio de função nos serviços de limpeza.

A palestra teve na organização: Ministério do Trabalho e Emprego, Delegacia Sindical de Marília do SEESP, Sindicon-SP (Sindicato da Indústria da Construção Civil de Pequenas Estruturas do Estado de São Paulo), Associação dos Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos da Alta Paulista, Crea-SP,  Sindicato dos Contabilistas de Marília e Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil - Região de Marília.

 

Imprensa – SEESP




Com o objetivo de apresentar as Normas Regulamentadoras (NRs) 7 (Programas de Controle Médico de Saúde Ocupacional), 9 (Programas de Prevenção de Riscos Ambientais), 10 (Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade), 18 (Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção), 33 (Segurança e Saúde no Trabalho em Espaços Confinados) e 35 (Trabalho em Altura) e debater os procedimentos em obra para atender as NRs, será realizada a palestra “Segurança do Trabalho na Construção Civil”, nesta sexta-feira (19/04), na sede da Associação dos Engenheiros Arquitetos e Agrônomos da Alta Paulista, em Marília (Rua Mecenas Pinto Bueno, 1207 - Jardim Tangará).

O evento tem como público alvo, os profissionais da construção civil em geral, engenheiros, arquitetos, técnicos, construtoras, empreiteiras, profissionais da medicina do trabalho e trabalhadores da construção civil.

Mais informação e inscrição pelo telefone (14) 3433-6024 ou pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

A palestra é organizada pelas seguintes entidades: Ministério do Trabalho e Emprego, Delegacia Sindical de Marília do SEESP, Sindicon-SP (Sindicato da Indústria da Construção Civil de Pequenas Estruturas do Estado de São Paulo), Associação dos Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos da Alta Paulista, Crea-SP,  Sindicato dos Contabilistas de Marília e Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil - Região de Marília.

 

Rosângela Ribeiro Gil
Imprensa - SEESP




Marília já se prepara para realizar a 5ª Conferência Municipal da Cidade, realizando, entre os meses de abril e maio, pré-conferências no Centro Cultural e de Lazer ‘Ezequiel Bambini’. O tema deste ano será ‘Quem muda a cidade somos nós: reforma urbana já’.

A população, por escrito, irá apresentar as propostas. No final de cada encontro, haverá a definição de uma pauta básica para a Conferência Municipal, dia 9 de maio. A programação das pré-conferências será debatida em quatro encontros, sempre às 19 horas.

Já foram discutidos, em encontros nos dias 2 e 9 de abril, um plano municipal de saneamento básico, com destaque para água, esgoto e  destinação do lixo; e mobilidade urbana, com abordagem da malha viária, ciclovias, transporte coletivo e acessibilidade.

Já O parcelamento do uso do solo será o debate da pré-conferência do dia 16. Os participantes irão discutir o desdobro, a lei de zoneamento e a verticalização.

Finalmente, no dia 23 de abril, estará em discussão a construção da política e do Sistema Municipal do Desenvolvimento Urbano. Em evidência, o Plano Diretor e a política habitacional.

As propostas de cada pré-conferência serão levadas para o evento final, confirmado para o dia 9 de maio. Na ocasião será definida a proposta de Marília para o evento estadual, no segundo semestre em São Paulo.

O presidente do Conselho Municipal de Habitação e Política Urbana de Marília, Darcy Bueno da Silva diz esperar um grande número de participantes. “É uma ótima oportunidade para a população colocar em prática o espírito de cidadania. São temas muito importantes que visam a melhor qualidade de vida da população. O evento vai definir a proposta de Marília para a conferência estadual”, comentou.
 

Imprensa – SEESP
Fonte: Prefeitura de Marília




Segundo divulgado na imprensa local em 1º de março, a Prefeitura da cidade obteve vitória contra determinação da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), por intermédio da Resolução 414/2010, de que a administração municipal assuma a partir de janeiro de 2014 a responsabilidade sobre o serviço de iluminação pública. A transferência dos ativos às prefeituras foi objeto de seminário realizado pelo SEESP, em conjunto com a Assenag (Associação dos Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos de Bauru) e Crea (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia), em Bauru, nos dias 6 e 7 do mesmo mês. 

A liminar foi concedida pelo juiz federal Luiz Antônio Ribeiro Marins. “Impetramos com a ação por avaliar como inconstitucional e absolutamente ilegal essa Resolução Normativa. A Prefeitura não tem como arcar com custos de um serviço que é, há vários anos, de responsabilidade da CPFL (Companhia Paulista de Força e Luz) e que vem funcionando de forma satisfatória. A Prefeitura já paga pela iluminação, mas pela Resolução Normativa 414, teria que assumir gastos com a troca de lâmpadas em todas as praças e vias públicas. A decisão foi rápida e totalmente favorável”, disse o procurador do município, César Donizeti Pillon, conforme publicado na reportagem. Na sentença, o juiz afirma que os atos normativos da Aneel não podem ser ilimitados, sobretudo impondo atribuições ao Poder Executivo. 

Ainda de acordo com a imprensa local, na opinião do procurador, a vitória foi do município e da população. “Na própria redação, o juiz afirma que caso a Prefeitura tivesse que pagar pela manutenção da iluminação pública, o aumento seria repassado ao contribuinte. Não temos o valor exato, mas estimativas dão conta que os custos mensais chegariam a R$ 1 milhão, afinal, precisariam ser adquiridos caminhões, cabos, reatores, lâmpadas, além da contratação de pessoal para esse serviço. Foi uma ação pioneira e outros municípios já nos procuraram para obter informações do processo”, conclui.    

Fonte: http://www.mariliaglobal.com.br   

Imprensa SEESP      

 

 

agenda