GRCS

Mostrando itens por marcador: Bauru

Comunicação SEESP

Em reportagem de destaque, publicada nesta segunda-feira (18/9), o Jornal Cidade de Bauru Online, abordou a recente decisão da Prefeitura Municipal de Bauru, por meio de sua Secretaria de Obras, de cobrar a CPFL Paulista pelo emaranhado de fios nos postes da cidade e como as ações da Federação Nacional dos Engenheiros (FNE) e do SEESP foram fundamentais para que o problema viesse à tona e discutido com seriedade. A seguir, transcrevemos trechos da matéria do periódico:

“A Secretaria Municipal de Obras de Bauru começou a notificar a CPFL Paulista para cobrar adequações ao emaranhado de fios nos postes de energia elétrica, muitas vezes soltos, presos improvisadamente ou em altura inferior à exigida pelas normas federais. Até o momento, 39 pontos da cidade com irregularidades já foram listados, boa parte deles localizados no Centro e na região do Jardim Contorno.

O prazo para que essas primeiras correções sejam feitas começa a vencer no final de dezembro, quando a concessionária e as empresas de telefonia, TV a cabo e Internet que pagam aluguel pelo uso dos postes da CPFL ficarão sujeitas à multa de 1.000 UFIRs - o equivalente, em valores atuais, a R$ 3.699,00.

O montante foi estabelecido por lei municipal, de abril de 2016, que deu prazo de um ano para que as prestadoras dos serviços se adequassem voluntariamente e, então, fossem iniciadas as notificações. A primeira delas, segundo o eletricista Igor Fournier, da Secretaria de Obras, foi emitida em 24 de julho passado. Desde então, outras 38 também foram enviadas à CPFL.

Pela lei, quando os cabos não pertencerem à CPFL, cabe à concessionária, também sob risco de multa, notificar a operadora responsável no prazo de dez dias. A partir de então, a prestadora do serviço tem 150 dias para a correção do problema.

Decorrido o prazo, a Prefeitura irá verificar se a irregularidade foi sanada e aplicar a multa em caso de descumprimento. Na mesma lei, a administração municipal define que CPFL é o ente responsável por substituir, conservar ou remover postes de concreto ou de madeira que estejam em desuso ou posicionados de forma incorreta.

JC suscitou o debate

A necessidade de cada município brasileiro instituir legislação própria sobre a disposição adequada da fiação dos serviços de energia elétrica e comunicação foi suscitada pela Federação Nacional dos Engenheiros (FNE) após reportagem especial publicada pelo caderno Bairros do Jornal da Cidade, sob o título "De quem são estes fios e cabos baixos", em 24 de fevereiro de 2013. A partir do material, o órgão passou a questionar a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e, depois de uma audiência pública da agência reguladora junto à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), houve a aprovação da Resolução conjunta nº 4, que determina, entre outras regras, o limite máximo de seis pontos de fixação de cabos em cada poste.

Com base na resolução, o Sindicato dos Engenheiros no Estado de São Paulo (SEESP) elaborou uma proposta de projeto de lei que foi enviada a diversas prefeituras no ano passado, incluindo a de Bauru. O documento lembra que, além de obedecerem aos limites impostos pela resolução, as empresas também precisam se adequar às regras da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

Elas estabelecem a distância mínima de cinco metros entre o cabo de telefonia e o solo, de 5,5 metros para o cabo de baixa tensão de energia (220 volts) e de seis metros para o cabo de alta tensão de energia (13.800 volts).”


>> Leia ainda: Dar fim ao emaranhado feio e perigoso

 

Bauru vai receber evento de grande porte, reunindo profissionais de todo o País e até do exterior, para discutir a segurança do trabalho. O tema, bastante evidenciado em várias áreas da engenharia, é o ponto central do 1º Workshop Internacional de Engenharia para atualização em Segurança do Trabalho, que ocorre no dia 29 de agosto próximo, das 8h às 18h, no auditório da Instituição Toledo de Ensino (ITE). As inscrições são gratuitas e abertas a profissionais dos diversos ramos da engenharia (civil, elétrica, mecânica, de produção, química, entre outras), estudantes e profissionais técnicos, e interessados do público em geral. As inscrições devem ser feitas por e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou pelos telefones (14) 3224-1970 e 3224-1096.
 

"Bauru é uma cidade que tem tradição nessa área. Há 40 mantém cursos ligados à segurança do trabalho", lembra Veríssimo Barbeiro, diretor do SEESP e conselheiro da Associação dos Engenheiros Arquitetos e Agrônomos de Bauru (Assenag). "Também é importante destacar que as empresas que investem em segurança do trabalho têm um retorno", completa Marcos Vanderlei Ferreira, vice-presidente estadual do SEESP.

"As normas estão sempre em atualização. A NR-48, por exemplo, é uma norma antiga, mas que está sendo atualizada. Por isso, um evento como este é uma oportunidade única", aponta Renato Parreira, conselheiro do Sindicato da Indústria da Construção Civi (Sinduscon).

De acordo com os organizadores, o limite é de 350 vagas, sendo que 260 já foram preenchidas até a semana passada. Entre os temas, tendências internacionais, as NR-35 (trabalho em altura), NR-12 (equipamentos para guindar elevação de pessoas), fiscalização do Ministério do Trabalho e Emprego e novas tecnologias do setor.

Palestrantes
Estão confirmadas as presenças de Luís Alves Dias (professor da Universidade de Lisboa), André Azevedo (Disemaq), Gianfranco Pampalon (auditor-fiscal do Trabalho na Superintendência Regional SP), Marcos Amazonas (Honeywell e coordenador da Comissão de Estudos da ABNT para revisão da NBR 16.489), Luiz Carlos Rocha (Auditor-fiscal na Superintendência Regional RJ), Aguinaldo Bizzo de Almeida (diretor do Seesp e DPST), Helio Domingos Carvalho (engenheiro mecânico e membro da ABNT), Gilvan Nogueira Fonte Boa (Múltipla Representações e Consultoria) e Francisco Drumond (Sellix Ambiental).


>> Programação completa aqui

 

Comunicação SEESP
Com informações do Jornal Cidade de Bauru online

 

 

 

 

 

 

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação, a Prefeitura Municipal de Bauru e a Universidade Estadual Paulista (Unesp) firmaram, no dia 25 de julho último, Protocolo de Intenções com o objetivo de estabelecer um conjunto de ações capaz de promover a implantação de um Centro de Inovação Tecnológica no município, identificando as atuais dificuldades e necessidades e proporcionando condições para a concretização desse objetivo, a ser efetivado mediante instrumentos próprios, obedecidas as normas pertinentes.

Marcelo Strama, subsecretário da pasta, representou, no ato, o secretário Márcio França. Ele lembrou que esse tipo de documento é de grande importância para fomentar ações conjuntas entre o setor produtivo e as áreas responsáveis pela geração de conhecimento. "É ótimo ver as possibilidades que se abrem de aproximação entre Estado, Prefeituras e Universidades hoje", comentou.

O Centro de Inovação Tecnológica de Bauru (CITeB) propõe-se um estimulador de novos empreendimentos e integração entre a universidade, governo, órgãos de fomento ao empreendedorismo e à inovação e novos negócios que surgem com o apoio desses agentes.

Assim, toda a estrutura do centro é alicerçada sobre o Sistema Local de Inovação de Bauru e seu entorno, com base na cultura da inovação, concepção da pesquisa, desenvolvimento e engenharia de novos produtos e/ou processos, atendendo empresas e organizações, objetivando proteger e fortalecer a competitividade e a sustentabilidade econômica e o desenvolvimento social desses empreendimentos.

A inclusão do CITeB à Rede Paulista de Centros de Inovação Tecnológica significará a expansão do programa de desenvolvimento urbano regional planejado, baseado no empreendedorismo, na inovação, na sustentabilidade social e econômica, articulado com as vocações já demarcadas na região e voltado para a produção cientifica, tecnológica e corporativa e para a disseminação do conhecimento e aumento da competitividade dos arranjos locais produtivos.

Desse modo, o CiTeB irá cada vez mais distinguir-se como gerador do progresso social e material da região, harmonizando o desenvolvimento regional e cumprindo seu papel de gerar renda, criar empregos e atuar como catalisador de investimentos em CT&I. E a Unesp como intuição de grande relevância e reputação no cenário nacional e internacional na produção de conhecimento científico que é determinante para o desenvolvimento da sociedade e crescimento sócio econômico das cidades, do estado e do país.

Esta iniciativa da Unesp de Bauru é fundamental ao sucesso da ação e integração desenvolvimentista da região, pois a cidade apresenta um perfil voltado para universidades (são 11 ao todo na cidade e entorno de 12 km), comércio variado, indústrias de inovação em madeiras para mobiliário e de alimentos e bebidas, papel, plástico e lubrificantes, design, economia criativa, saúde e medicina reparadora, além de ser um polo de logística de distribuição, negócios e administração de energia e telecomunicações, e empresas de advocacia, seguros e apoio a sistemas financeiros e de cobrança.

 

Da Unesp Agência de Notícias
Comunicação SEESP

 

 

 

 

Na série de reuniões que a diretoria executiva do SEESP tem feito nas delegacias sindicais do interior paulista, as regionais visitadas no dia 14 de fevereiro último foram as de Bauru, Botucatu e Sorocaba. Em todos os encontros, o presidente Murilo Pinheiro fez um relato de como foi o ano de 2016 para os engenheiros e o País e as perspectivas para o ano novo. “Temos empreendido um movimento proativo apesar dos tempos difíceis que estamos vivendo. Estamos conseguindo superar mostrando trabalho sério e apresentando propostas numa agenda positiva”, destacou a liderança, um desses esforços é o Instituto Superior de Inovação e Tecnologia (Isitec), criado pelo sindicato com o objetivo de ser referência na qualidade do ensino da engenharia. Em todas as reuniões, o sindicalista tem feito um forte chamamento à expansão da ação sindical das delegacias nas regiões onde estão inseridas, agregando outras entidades representativas dos profissionais e principalmente os jovens. 


Fotos: Paula Bortolini
800 Sorocaba 14FEV2017
Presidente da regional de Sorocaba destaca trabalho realizado junto às universidades da região.

Os itens que exigem atenção da categoria, destacou Murilo, são as reformas pretendidas pelo governo federal que vão atingir diretamente, e para pior, as relações de trabalho, o sistema previdenciário e a organização sindical. Ainda no horizonte de atenção, o sindicalista insere privatizações, o enfraquecimento das empresas brasileiras, a defesa da Petrobras, a redução dos investimentos por parte do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a ameaça de demissão na Eletrobrás. Com tantos temas que repercutem na engenharia, Murilo realçou a importância dos trabalhos da Frente Parlamentar Mista de Engenharia, Infraestrutura e Desenvolvimento Nacional, que já realizou duas reuniões no Congresso Nacional, sendo a última no dia 9 último. ”Acredito que as coisas estão muito difíceis, mas precisamos ter otimismo e irmos à luta com mais força”, ponderou. 

800 Botucatu 14FEV2017Botucatu tem bom entrosamento com profissionais de grandes empresas da região.

Para ele, o Brasil precisa ouvir os engenheiros nas questões da área tecnológica, valorizando a área. Nesse sentido, Murilo destacou o movimento Engenharia Unida, “que está cada vez mais amplo e forte em todo o País”.  “Nosso intuito é trazer pessoas que estejam realmente empenhadas no trabalho e em discutir o Brasil de forma consciente e inteligente.” Tudo isso está diretamente ligado, assevera o presidente do SEESP, com as lutas sindicais, por exemplo, como a em defesa do salário mínimo profissional (Lei 4.950-A/66), exemplificando com os casos das prefeituras como São Paulo, Marília e Santo André. 

800 Bauru 14FEV2017Bauru elaborou propostas específicas para a cidade, e mantém contato as administrações de outros municípios abrandigos pela regional.


A presidente da delegacia de Sorocaba, Fátima Aparecida Blockwitz, informou que a regional vem realizando ações junto às universidades locais para atrair os estudantes. Da mesma forma, prosseguiu a dirigente, com as associações, colocando as questões da Engenharia Unida, o posicionamento do sindicato e da Federação Nacional dos Engenheiros (FNE), somando esforços em defesa da engenharia, como na questão da lei das licitações (8666). “Precisamos ocupar o espaço dos engenheiros, retomar o crescimento”, afirmou. Sorocaba abrange as cidades de Alambari, Alumínio, Angatuba, Apiaí, Araçariguama, Araçoiaba da Serra, Boituva, Brigadeiro Tobias, Buri, Capão Bonito, Capela do Alto, Cerquilho, Ibiúna, Itapetininga, Itapeva, Itu, Mairinque, Piedade, Porto Feliz, Ribeira, Riversul, Salto, São Miguel Arcanjo, Sorocaba, Tatuí, Tietê, Votorantim. Estiverem presentes ao encontro os diretores regionais Francisco de S. Vieira de Carvalho, Ronie Lefloch Barbosa, Maurício Michel Maluf, Carlos Azevedo Marcassa e Sérgio Granato. 

Já o presidente da regional de Botucatu, Nivaldo José Cruz, afirmou que a delegacia tem uma tradição forte de entrosamento e parcerias na cidade e região, com lideranças que atuam em importantes empresas, em diversas áreas, como em segurança do trabalho, ambiental, prefeituras, entre outras. “Fazemos há alguns anos ações com engenheiros da Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), que vem rendendo bons resultados.” A regional abrange as cidades de Bofete, Pardinho, Itatinga, São Manuel, Avaré, Pratânia, Anhembi, Areiópolis e Conchas. Participaram do encontro os diretores regionais Lourenço Juliani, Pedro Sansão, Osvaldo Ribeiro Junior, Jorge Montiel Hernandez e Gilberto Gonçalves.

Na reunião de Bauru, o presidente da delegacia Luiz Roberto Pagani ressaltou a importância da presença do presidente do SEESP nas delegacias como um fator motivador e para tratar assuntos de interesses locais. Pagani relembrou que a regional entregou um documento com propostas específicas para Bauru durante a última campanha eleitoral a todos os candidatos. No planejamento interno da delegacia, o dirigente disse estão previstas visitas a empresas, universidades e prefeituras das 17 cidades que compõem a regional - Agudos, Arealva, Avaí, Balbinos, Bariri, Barra Bonita, Bocaina, Boracéia, Cabrália Paulista, Dois Córregos, Duartina, Iacanga, Itapuí, Jaú, Lençóis Paulista, Lucianópolis, Macatuba, Mineiros do Tietê, Pederneiras, Pirajuí, Piratininga, Presidente Alves, Reginópolis e Ubirajara. Participaram da reunião os diretores regionais Carlos Augusto Ramos Kirchner, João Carlos Herrera, Luiz Antonio Battaglini, Delmar Batista Santos, Afonso Celso Pereira Fabio, Aberto Pereira Luz e Francisco A. Ramos de Oliveira. 

O presidente Murilo, nas três reuniões, estava acompanhado do 3º secretário e da coordenadora do Núcleo Jovem Engenheiro do SEESP, Edilson Reis e Marcellie Dessimoni. 

 

Rosângela Ribeiro Gil
Comunicação SEESP
Com informações da assessora da Presidência - Paula Bortolini

 

 

 

 

 

Museu Bauru FerroviárioO Museu Ferroviário, órgão da Secretaria de Cultura, iniciou na terça-feira (19/07), o projeto “Férias no Museu”, destinado a crianças de 05 a 10 anos.

Neste primeiro dia cerca de 20 crianças, acompanhadas de seus responsáveis, participaram da programação que une cultura e entretenimento, possibilitando o aprendizado por meio de atividades lúdicas. Também fazem parte das atividades as brincadeiras antigas como adoleta, amarelinha, alerta, morto-vivo, entre outras bastante populares, além de atividades como produção artística, exibição de curtas-metragens infantis e visita monitorada pelo Museu.

Para iniciar o contato com a história da cidade, os participantes podem colorir, com lápis de cor ou tinta, desenhos relacionados ao tema da ferrovia. Não é preciso levar material. Também haverá um breve contato com o museu e a Maria Fumaça.

A sessão de curtas exibirá produções famosas da Disney e da Pixar, além do popular cachorrinho Snoop. As crianças vão poder aproveitar a sessão com pipoca, oferecida pelo Museu.

O projeto “Férias no Museu” é supervisionado e a participação é gratuita. Os pais podem levar os filhos no Museu Ferroviário (Rua Primeiro de Agosto, q. 1 s/ n°) até esta sexta-feira, 22/07, para participarem do projeto das 14h às 16h. Para mais informações e dúvidas: 3212-8262.

 

 

Fonte: Prefeitura Municipal de Bauru

 

 

 

 

 

 

No dia 12 de julho último, operários que executam as obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) no Parque Santa Cândida trabalharam na alteração da rede de esgoto para confecção de bocas de lobo na Rua Angelina Berteli Vicentini. O trabalho faz parte da ampliação do sistema de galerias, infraestrutura necessária à pavimentação, segundo a Prefeitura Municipal de Bauru.

O Parque Santa Cândida e parte do Parque Val de Palmas terão a implantação de 65 quadras padrão de asfalto novo, cerca de 11.900 metros de guias e sarjetas, 260 unidades de rampas de acessibilidade e aproximadamente 2.450 metros de galerias de águas pluviais.

 

 

Imprensa SEESP
Informação da Prefeitura Municipal de Bauru

 





Bauru ConferênciaCidadesBauru sediou, nos dias 17 e 18 de junho último, a 6ª Conferência Municipal da Cidade, quando foram discutidas e formuladas propostas para o desenvolvimento urbano do município. O tema nacional a ser discutido neste ano é “Função social da cidade e da propriedade: Cidades Inclusivas, Participativas e Socialmente Justas”. No evento, foram eleitos 24 delegados para participar da Conferência Estadual.

A conferência municipal ocorre a cada três anos e é quando a sociedade civil, juntamente com o poder público executivo e legislativo, discute questões que afetam o Município em todos os âmbitos. As mesas temáticas versaram sobre os temais centrais: Meio Ambiente e Agricultura, Mobilidade Urbana, Habitação de Interesse Social, Potencialização e regulamentação das atividades econômicas, Planejamento Urbano e Infraestrutura urbana.

A conferência encaminhou propostas na esfera estadual e nacional, criando instrumentos e propondo medidas que possam ser aplicadas em Bauru e em todo país. Os delegados eleitos irão participar da Conferência Estadual prevista para os dias 2 e 3 de dezembro, em São Paulo.

 

 

Fonte: Prefeitura Municipal de Bauru

 

 

 

 

 

O diretor Cezar José Sant´Anna, da Delegacia Sindical do SEESP em Bauru, proferiu palestra na XX Semana de Engenharia da Universidade Estadual Paulista (Unesp), no campus de Bauru, no dia 12 de abril último. Os temas abordados pelo dirigente foram sindicato, conselhos profissionais e o mercado de trabalho.


Foto: Arquivo pessoal
Bauru Unesp editada 
Cezar José Sant’ Anna ladeado por alunos da Unesp
 

A participação dos alunos, na palestra, segundo Sant´Anna, foi muito grande e o retorno bem positivo. O diretor informou quais as ações e objetivos do sindicato, além dos vários serviços oferecidos aos estudantes da área, assim como mostrou quais as atribuições dos conselhos federal e regional profissional (Sistema Confea-Creas). O mercado de trabalho também foi um destaque da atividade.

 

Rosângela Ribeiro Gil
Imprensa SEESP








A Agência Unesp de Inovação (AUIn), em parceria com a Pró-reitoria de Pesquisa da Universidade Estadual Paulista (Unesp), vem atuando em algumas ações visando incentivar as práticas empreendedoras entre os pós-doutores, pós-graduandos e graduandos da universidade, objetivando a valorização do conhecimento inerente à vida acadêmica de forma inovadora, cuja meta é preparar nossos estudantes para atuarem num mundo global altamente complexo e competitivo.

Dentro desse objetivo, será realizado, no dia 25 de abril próximo, na Faculdade de Engenharia da instituição de ensino, no campus de Bauru, o 2° Workshop de Inovação e Empreendedorismo. O objetivo é desenvolver a cultura empreendedora na comunidade acadêmica e provocar questionamentos nos conceitos envolvidos e aprimorar o conhecimento em inovação.

Mais informações e inscrições clique aqui.


 

Imprensa SEESP
Com informações da Agência Unesp de Notícias (UnAN)









A economia criativa tem se tornado um importante fator gerador de uma grande soma de recursos. Esse é um dos fatores motivadores de pesquisa desenvolvida no Programa de Pós-Graduação em Design, do Câmpus de Bauru, da Universidade Estadual Paulista (Unesp), que verificou a viabilidade de implantar um parque tecnológico referencial em design, indústria e economia criativa para o município e a região. Pesquisa nesse sentido está sendo desenvolvida pela mestranda Ekaterina Emmanuil Inglesis Barcellos, com bolsa da Fundação de Amparo à Pesquisa no Estado de São Paulo (Fapesp). Ela parte do princípio que a análise prática dos projetos de inovação concebidos em parques tecnológicos possibilita uma ação conjunta entre desenvolvimento científico e empreendedorismo criativo, proporcionando a troca de informações entre universidades e empresas de base tecnológica.

A necessária interação entre centros científicos e a iniciativa privada promove a melhoria de produtos e sistemas, serviços e experiências, intermediando a aplicação prática com o conhecimento científico, garantindo resultados futuros e promovendo o desenvolvimento econômico regional. Este estudo certificou que o município de Bauru e região apresentam, como referência, um polo universitário com centros de estudo qualificados, conhecimento e competência nas áreas de Design, Engenharia e Comunicações, entre outras, sinalizando a possibilidade de estender a qualidade teórico-intelectual para a iniciativa empreendedora.

Fatores favoráveis
A conjunção de fatores essenciais na região, como concentração de indústrias inovadoras, ambiente comercial e de serviços intenso, IDH e estrutura local propícia, logística e geografia favoráveis, permitiu a iniciativa e o avanço da pesquisa. Tomando por base a experiência de parques científicos tecnológicos que incluíram essas áreas de atuação em seu portfolio, foi realizada a pesquisa in loco, nos principais parques do Brasil e do estado paulista.

Partindo da atuação de políticas públicas que fomentam a relação universidade-empresa, em parcerias, o estudo identificou a importância, confirmou os indicadores adequados e elaborou uma proposta que viabilize a implantação de um Parque Tecnológico para Bauru e região, voltado à inovação criativa e ao Design. As informações das visitas, consolidadas por meio da submissão de formulários on-line a gestores e técnicos de Parques, confirmaram a especificidade e a viabilidade para a implantação do Parque local. A análise dos questionários em sobreposição aos dados obtidos nas visitas, possibilitou a definição das estratégias que potencializam o projeto proposto.

A pesquisadora destaca que várias iniciativas de PCTs (em projeto desde 2005) não prosperaram até o presente momento. Isso teria ocorrido em diversas regiões e localidades. Especialmente nesta década, algumas iniciativas foram canceladas ou suspensas, provavelmente em função da crise houve uma redução de fomento em diversas áreas Além das suspensões e cancelamentos, cerca de 5% dos PCT do Estado de São Paulo sofreram modificações na configuração (PCTs alterado para Centro de Inovação, exemplo que ocorreu em Jundiaí). Os motivos para o cancelamento ou suspensão se devem a fatores distintos: falta de verba pública, desacordo entre os agentes envolvidos, falhas de planejamento, problemas relativos à área física destinada e projeto etc..

Perfil para Bauru
A pesquisa aponta que o perfil essencial para Bauru é um PCT de DNA Criativo, voltado ao design, à área de comunicação e artes, audiovisual (TV e Rádio), engenharia, sistemas, TI e à inovação. Por seus aspectos, inter, multi e transdisciplinares, o design tem ampla atuação, podendo apoiar diversas áreas e setores, por sua natural transversalidade, como atividade ‘meio’ e como atividade ‘fim’. Não se restringindo a poucas areas priorizadas, como ocorre na maioria dos Parques estudados.

No que tange à proposta a ser elaborada, um planejamento estratégico consistente baseado em dados colhidos garantirá os rumos do modelo de um novo Parque no Estado para o Estado de São Paulo. Este trabalho, além de certificar a importância da iniciativa local na região de Bauru, encontrou 90% dos indicadores necessários para viabilizar a instalação de um Parque Científico Tecnológico atuando nas áreas-tema com total suporte e expertise.

Baseando-se nas visitas e entrevistas realizadas na região Sul, há a percepção de que os Estados visitados nesta região aplicaram, e aplicam, como uma estratégia o caráter empreendedor que os Parques agregam às universidades. A proximidade do Parque e da universidade é uma característica presente em quase todos os PCTs e os que não estão com estas configurações, se adequaram a ela, vide caso do Valetec e mudando essencial o perfil das mesmas. Esta atitude se assemelha ao que foi percebido na única visita internacional, ao Parque de Umbria em Cali/Colômbia.

Tendências internacionais
Esta visão corrobora com tendências internacionais, conforme apresentado na 25ª Conferência Anprotec, em 2015, que discutiu a evolução dos aspectos tecnológicos que levam à evolução naturam ao status inteligentes que permeia a evolução dos Parques no mundo. Há uma notória semelhança entre os modelos e o planejamento estratégico nessas localidades.

A região Sul do país tem usufruído exponencialmente desta aproximação entre a academia e as empresas, utilizando a pesquisa como agente de inovação e desenvolvimento, portanto tem alcançado os melhores resultados em consolidação de iniciativas e protagonismo em proporcionalidade.

Com relação às tendências, a autora aponta duas matrizes de soluções paralelas separadas em 2 eixos: Modelos de Parques ligados a universidades; e a Cidade de Bauru e viabilidade da proposta do Parque local.

 

 

Fonte: Unesp Agência de Notícias (UnAN)

 

 

 

 

 

O campus de Bauru da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp) retificou 10 concursos públicos (CPs) para o provimento de 12 vagas de Professor Substituto/Auxiliar de Ensino na Faculdade de Engenharia.

Foi alterado o endereço para a realização da inscrição, que passou a ser na Seção Técnica de Comunicação da Faculdade de Engenharia do Campus de Bauru, situada na Avenida Engenheiro Luiz Edmundo Carrijo Coube, 14-01, Núcleo Residencial Presidente Geisel, Bauru - SP, acesso pela Portaria 2. Também foram especificadas as formações exigidas.

Todos os profissionais atuarão durante o 2º semestre letivo de 2014, em regime celetista, com jornadas de 12h semanais e remuneração de R$ 769,48. Esse valor pode chegar a R$ 1.138,28, R$ 1.592,11 ou R$ 1.898,11, caso os profissionais tenham títulos de mestrado, doutorado ou livre-docência.

Podem participar candidatos que atendam aos requisitos dos cargos e que efetuem inscrição das 9h às 11h e das 14h às 17h, apenas em dias úteis, na Seção Técnica de Comunicações do campus. É exigida a entrega da documentação listada nos certames e o pagamento da taxa, no valor de R$ 75,00.

O formulário de inscrição está disponível em www.rh.feb.unesp.br e o período para os CPs 139 ao 143/2014 e do 146 ao 148/2014 é de 4 a 15 de agosto de 2014, enquanto para os CPs 144 e 145/2014 é de 4 a 8 de agosto de 2014.

Haverá prova de títulos e didática para todos, conforme detalhado nos certames, e a validade dos mesmos é de seis meses.

Para mais detalhes consulte os editais aqui.


Confira os certames, Departamentos/ áreas e vagas disponibilizadas:

CP 139/2014 - Departamento de Engenharia Civil e Ambiental/ Pontes (1).

CP 140/2014 - Departamento de Engenharia Civil e Ambiental/ Resistência dos Materiais I(1).

CP 141/2014 - Departamento de Engenharia Civil e Ambiental/ Mecânica e Resistência dos Materiais (1).

CP 142/2014 - Departamento de Engenharia Civil e Ambiental/ Projeto de Estradas; Aeroportos, Portos e Vias Navegáveis; e Transporte Ferroviário(1).

CP 143/2014 - Departamento de Engenharia Civil e Ambiental/ Instalações Hidráulicas e Saneamento Básico; Projeto de Instalações II (1).

CP 144/2014 - Departamento de Engenharia Mecânica/ Higiene e Segurança do Trabalho; Manutenção e Lubrificação de Equipamentos (1).

CP 145/2014 - Departamento de Engenharia Mecânica/ Termodinâmica I; Transferência de Calor I (1).

CP 146/2014 - Departamento de Engenharia de Produção/ Gestão da Cadeia de Suprimentos; Gestão Organizacional I; Gestão Organizacional II; Marketing (1).


CP 147/2014 - Departamento de Engenharia de Produção/ Estatística aplicada à Comunicação; Estatística; Estatística aplicada à Psicologia (2).


CP 148/2014 - Departamento de Engenharia de Produção/ Consultoria Empresarial; Administração de Empresas II; Administração; Ética e Cidadania; Economia (2).

Fonte: Site Planeta Osasco





A Associação dos Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos de Bauru (Assenag) comemorou, no dia 14 de setembro, os 47 anos de vida da entidade com a tradicional Noite Alemã, onde foram servidos pratos típicos alemães. A festa foi muito prestigiada pelos associados e contou com toda a diretoria da associação.
 

Foto: Divulgação
Assenag2013dentroToda a diretoria reunida para comemorar os 47 anos da Assenag 
 

História
Em agosto de 1966, um grupo desses profissionais de Bauru, liderados pelo engenheiro José da Silva Martha Filho, entregou em mãos a todos os engenheiros e arquitetos a circular de número 1, convocando para assembleia, no dia 12 de agosto daquele mesmo ano, na sede da Associação dos Engenheiros da Estrada de Ferro da NOB, de fundação da Assenag.


Imprensa - SEESP




A Unesp de Bauru desenvolveu um projeto de restauração da antiga estação Sorocabana, na cidade. De autoria do professor Nilson Ghirardello, da Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação (Faac), o espaço, até o momento é totalmente 'desconhecido' pela população bauruense e faz parte de uma área fundamental para a história da cidade. “Queremos que a estação ganhe a visibilidade e importância que merece com o projeto de restauração e de reuso”, observa. Porém, para tanto, diz o professor, o acesso a esse espaço deve ser franqueado.

De acordo com Ghirardello, o projeto envolve um diagnóstico geral do estado de conservação (área interna e externa), proposta de restauro e de uso da estação. O trabalho foi encomendado pela Pateo Bauru Empreendimentos Imobiliários Ltda., com a interveniência da Fundação para o Desenvolvimento de Bauru (Fundeb).

Estação Sorocabana
A antiga estação da Sorocabana é uma pequena construção de 208 m2, em alvenaria de tijolos. Possui uma das fachadas voltada para a Avenida Pedro de Toledo e a outra fachada voltada para os trilhos.

É uma construção de caráter industrial não só pelo uso ferroviário, como pelos materiais empregados, simples e aparentes, pela discreta ornamentação, assim como por se recorrer à modulação construtiva, explica o professor Nilson 
Ghirardello. Na vistoria, foi constatado que diversos tijolos, nas quatro faces, encontram-se erodidos pela ação do tempo, mau uso e falta de manutenção. 

Segundo ele, a estrutura, de forma geral, encontra-se em bom estado, sem rachaduras importantes ou recalques, possuindo raras fissuras. 'Essa é uma das características positivas dessa e de boa parte das construções ferroviárias, que por sofrerem os altos impactos da trepidação desse meio de transporte, em geral são projetadas para serem submetidas a essas forças e, portanto, são extremamente sólidas e bem edificadas', conta.
 

Fonte: Unesp




Página 1 de 2

agenda