GRCS

O espetáculo "50 tons de comédia", em cartaz até o dia 26 de março próximo no Teatro Maria Della Costa, está com preço bem especial para os associados ao SEESP. Preço promocional do ingresso na bilheteria: R$ 15,00 por pessoa, aos associados ao SEESP, com direito a quatro acompanhantes. Preço normal R$ 50,00 (inteira); R$ 25,00 (meia). Mais informações pelos telefones (11) 2996-2938 e 99340-7557 ou em http://goo.gl/8MD2l9. A exibição é aos sábados às 21h e domingos às 19h30, a classificação etária é de 16 anos de idade. O teatro fica na Rua Paim, 72, Bela Vista, na cidade de São Paulo.


Foto: Divulgação
50 tons de comedia960 


Uma rápida sinopse da peça: Margarida acaba de ficar viúva e descobre que seu marido a traiu. Em virtude disso e com a ajuda de Zanza, sua empregada, ela resolve se vingar do falecido e procura um novo marido que tenha as características do galã do livro Cinquenta Tons de Cinza. Ocorre que os pretendentes são um pior do que o outro, transformando a sua vida. 

 

 

 

Lourdes Silva
Imprensa SEESP

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O Museu da Casa Brasileira (MCB), instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, realiza no sábado (29/8), das 10h às 13h e 14h às 17h, o programa educativo Uma Tarde no Museu, voltada para famílias e para o público em geral, com a última oficina de bioconstrução do mês com o engenheiro Felipe Pinheiro, inspirada na mostra Casas - a morada das almas.



                                                                                   Fotos: divulgação
bioconstrucao no museu da casa brasileira


A cada sábado os participantes desenvolveram modos construtivos diferentes utilizando terra e outros elementos naturais. Foram construídas coletivamente estruturas de adobe (8.8), taipa de pilão (22.8) nos sábados passados e será construída de pau a pique no dia 29, que depois farão parte do acervo do jardim no MCB. Nesta última edição de bioconstrução, a oficina integrará a programação da Virada Sustentável no Museu.

As inscrições gratuitas, com vagas limitadas, devem ser feitas pelos contatos (11) 3026-3913 ou Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.. A indicação etária é a partir de 5 anos (crianças menores de 12 anos devem ser acompanhadas por pais ou responsáveis).

Sobre a mostra Casas - morada das almas
No desenvolvimento deste projeto, Zaida Siqueira percorreu 20 estados brasileiros registrando a sabedoria do homem ao lidar com a natureza para edificar sua casa, manuseando a terra, as pedras e a madeira. Ao estabelecer semelhanças de acordo com características climáticas e de solo, ela observou os aspectos da flora e da fauna.

As influências culturais também aparecem em seu trabalho, como em malocas (tipo de cabana comunitária utilizada pelos nativos da região amazônica) das terras indígenas de Mato Grosso. No interior de São Paulo e Minas Gerais, estados que viveram o apogeu da cultura do café, há registros de casarões de taipa e pau a pique. Na capital paulista, a construção do Pátio do Colégio, por exemplo, empregou essas duas técnicas na edificação das paredes.

A exposição
A exposição é composta por setenta e duas fotografias, revelando aspectos curiosos da construção das casas brasileiras como o uso de elementos como cupinzeiros socados e açúcar mascavo; seis instalações criadas pelo engenheiro civil Felipe Pinheiro, nas quais pedaços de muros semi-prontos ilustram a estrutura interior das construções; duas maquetes, uma de edificação de palafita no Acre e outra, feita em pau a pique, do Casarão do Chá, em Mogi das Cruzes, que evidencia o emprego de troncos em curva, comum nos portais de entrada das antigas residências de reis no Japão; e seis arquivos audiovisuais que integram a série documental de episódios "Habitar Habitat", produzida em 2013 por Paulo Markun e dirigida por Sérgio Roizenblit, abordando habitações brasileiras que trazem de volta a taipa de pilão, o pau a pique, o adobe, palhoças, palafitas e trançados para cobertura vegetal, feitos com materiais como bambu e palha.

Segundo Zaida Siqueira, a proposta da pesquisa que embasou a exposição é resgatar técnicas ancestrais e analisar seu emprego nas edificações contemporâneas. "Na taipa, a parede é feita de terra pura, socada entre guias de madeira preenchidas; no pau a pique, o trançado de bambu recebe pedaços de pau e barro; da cidade de Souzas, interior de SP, há o registro de uma obra recente do engenheiro criador dos objetos para a mostra, que utilizou estrume para dar liga à massa do adobe: tijolo grande de barro enformado, seco no sol, feito a partir de areia, terra local e palha de arroz", revela a fotógrafa.

"A pesquisa revelou que essas técnicas estão sendo retomadas na bioconstrução, pois são sustentáveis e apresentam bons resultados acústicos e térmicos, além da qualidade ecológica. Essas edificações geram menos impacto durante a construção e podem ser reabsorvidas pela natureza", complementa Zaida.

Virada Sustentável
A Virada Sustentável é um movimento de articulação entre pessoas, grupos e instituições, públicas e privadas, que têm em comum o objetivo de melhorar a sociedade e o meio ambiente a partir de uma visão alegre e inspiradora da sustentabilidade. O evento, que ocorrerá no sábado (29) e domingo (30), das 10h às 18h, é gratuito.  O MCB participa do evento promovendo uma intervenção artística com meditação da artista Marcia Aftmus entre os dias 27 e 30, além de oficinas de bonecas, brincadeiras de quintal, feira de troca de livros, pic nic lounge no jardim e oficina de bioconstrução durante todo o final de semana. Destaque para show do Duofel no sábado, 29, às 16h e para o Jazz ao Por do Sol com o Dj Marcos Guzman no domingo, 30, das 15h às 18h. Confira os horários e detalhes da programação no site mcb.org.br.

O Educativo MCB propõe práticas que articulam o olhar, o fazer e o pensar. Queremos que os visitantes assumam o papel de investigadores, pesquisando os conteúdos que o museu oferece em uma perspectiva contemporânea. A ideia é criar desafios para que os participantes das atividades educativas levantem questões a partir de suas próprias experiências e descubram novos sentidos ao relacionar a visita ao MCB com suas vidas.

Visitas em grupos - em geral, instituições de ensino e sociais podem ser agendadas previamente. A duração é de aproximadamente uma hora e meia. Grupos com mais de 25 pessoas são divididos em duas turmas. Visitas espontâneas podem ser realizadas individualmente ou em grupo.

Uma Tarde no Museu - Oficinas de bioconstrução
29 de agosto, sábado das 10h às 13h e 14h às 17h - Gratuito

Inscrições (vagas limitadas): (11) 3032.3727 / 3026.3913 - Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Indicação etária: a partir de 5 anos - Crianças de até 12 anos devem ser acompanhadas pelos pais ou responsável

Local: Museu da Casa Brasileira
Av. Faria Lima, 2.705 - Jd. Paulistano
Tel.: (11) 3032.3727

Horário de visitação:
De terça a domingo, das 10h às 18h
Ingressos: R$ 6 e R$ 3 (meia-entrada) | Crianças até 10 anos e maiores de 60 anos são isentos
Gratuito aos sábados, domingos, feriados e aberturas noturnas
Visitas orientadas: (11) 3026.3913 / Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Acesso a pessoas com deficiência / Bicicletário com 40 vagas
Estacionamento pago no local


Fonte: Assessoria de Imprensa MCB





agenda