GRCS

Mostrando itens por marcador: 2018

Clemente Ganz Lúcio*

Os resultados divulgados pelo Ministério do Trabalho sobre admissões e demissões realizadas no Brasil no ano de 2017 revelam o fechamento de 21 mil postos de trabalho com Carteira assinada (Caged – Cadastro Geral de Empregados e Desempregados). Considerando-se que, em 2015 e 2016, foram fechados quase 2,9 milhões de empregos (1,33 e 1,53 milhão respectivamente), os dados do último ano indicam estabilidade no patamar alcançado pelo emprego formal, o que mostra que o mercado de trabalho chegou ao fundo do poço. Sair é uma outra história!

No ano de 2017, o comércio teve saldo positivo de 40 mil postos de trabalho e a agropecuária e os serviços, de 37 mil cada um. Por outro lado, a construção civil eliminou 104 mil empregos e a indústria da transformação, outros 20 mil. Contudo, quando se considera o ajuste sazonal para a observação da variação do emprego formal registrado em dezembro de 2017 em relação ao mês anterior, o comportamento de todos os setores se mostra mais favorável, com especial destaque para a construção civil e os serviços.

Essas informações negativas sobre o emprego se alinham com a expectativa de baixo crescimento econômico em 2017, depois de mais de dois anos de gravíssima recessão e do acúmulo de 13 milhões de desempregados no mercado de trabalho.

A divulgação dos dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua, realizada pelo IBGE, mostra que o desemprego cresceu, passando de 11,5%, em 2016, para 12,7%, em 2017. Mais importante, houve redução de cerca de um milhão de postos com Carteira assinada no ano, aumento de 5,5% do assalariamento sem Carteira e de 0,7%, dos trabalhadores “por conta própria”.

Também a PED - Pesquisa de Emprego e Desemprego, realizada pelo Dieese, Fundação Seade, MTE-FAT e parceiros regionais - registrou elevação do desemprego e da contratação informal – autônomos e assalariados sem Carteira – e diminuição dos rendimentos do trabalho e da contratação formal na maior parte das regiões metropolitanas onde ocorre o levantamento.

O cenário prospectivo para 2018 aponta para um resultado positivo em termos de geração de postos de trabalho com Carteira assinada e a possibilidade de uma redução do desemprego, a depender, de um lado, da intensidade do aumento da procura por emprego daqueles que saíram do mercado de trabalho e, de outro lado, do ritmo de criação de postos de trabalho. Esses resultados serão fruto de um crescimento econômico, que poderá ser superior a 2%. O fundo do poço da economia, mesmo com o PIB trimestral em desaceleração nos três primeiros trimestres de 2017, abre espaço para uma retomada que virá animada pela queda da taxa de juros; pela alta ociosidade da capacidade produtiva já instalada, o que permite aumentar a produção sem investimentos; e pelo ciclo eleitoral, que deve aumentar as inversões em obras públicas, entre outros fatores. Mas há inúmeras incertezas que ainda devem ser consideradas, conforme indica o Boletim de Conjuntura do Dieese (www.dieese.org.br).

Os dados divulgados pelo Ministério do Trabalho também evidenciam a aplicação das novas regras de contratação para trabalho intermitente (2,9 mil admissões em dezembro) e contrato de trabalho em tempo parcial (2,3 mil admissões em dezembro). Apesar de baixos, é possível que esses números estejam iniciando uma série que poderá crescer ao longo de 2018, na medida em que aumentar a segurança jurídica em relação às mudanças promovidas pela Lei 13.467. Caso isso ocorra, a tendência será a redução do emprego seguro, em função da ampliação de postos de trabalho que, apesar de formais, caracterizam-se pela precariedade; bem como a utilização de contratos intermitentes ou em tempo parcial para que postos de trabalho informais sejam transformados em empregos legais.

A crise política adiciona ingredientes de difícil mensuração sobre a dinâmica econômica e o mercado de trabalho. Tudo indica que 2018 será um ano de alta complexidade para a luta sindical e social e de difícil compreensão sobre a conjuntura política, econômica e social.

Entretanto, sabe-se que as negociações coletivas de trabalho a serem realizadas neste ano ocorrerão em um contexto de baixa inflação – o que poderá ter reflexos positivos sobre as conquistas relativas à reposição de perdas salariais e obtenção de aumentos reais – e abrir espaço para a negociação de outros temas fundamentais para os trabalhadores. As campanhas de data-base – momento de renovação dos contratos coletivos de trabalho das diversas categorias profissionais – são um espaço privilegiado para o enfrentamento das medidas introduzidas pela reforma trabalhista, dado que propiciam condições para a luta pela inclusão, nos acordos e Convenções Coletivas de Trabalho, de garantias que protejam os trabalhadores da precarização dos contratos, da flexibilização da jornada e de seus impactos negativos sobre salários, benefícios e condições de trabalho.


* Sociólogo e diretor-técnico do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese)

 

 

Do Núcleo Piratininga de Comunicação (NPC)

Recuperar as mobilizações das mulheres e dos trabalhadores do mundo todo em defesa dos seus direitos. Esse é o objetivo das agendas temáticas produzidas pelo Núcleo Piratininga de Comunicação (NPC). Quem tem o material em mãos entra em contato com acontecimentos e personagens históricos que se dedicaram a tornar o mundo um lugar melhor para a maioria. Compõem o material pequenas notas e registros diários, poemas, imagens e artigos produzidos por escritores convidados.

Para o ano de 2018, o NPC oferece duas possibilidades de temas. Um deles é “Mulheres de luta”. Devido ao sucesso da agenda do ano passado, resolvemos lançar uma nova edição, revista e atualizada, do material. O outro é o livro-agenda “Lutas por direitos no Brasil e no mundo”, uma recolha de acontecimentos protagonizados por movimentos populares e lutadores sociais em defesa de condições dignas de trabalho e de vida.

Mulheres de garra
O livro-agenda “Mulheres de luta” apresenta, dia a dia, nomes de mulheres que se destacaram em batalhas diversas, seja no movimento feminista, seja em outros movimentos populares. Nessa nova edição, acrescentamos um texto sobre Carolina Maria de Jesus, “escritora que incomoda a classe dominante”, como ressaltou a autora do texto, Miriane Peregrino. Também entrou uma referência à professora Diva Guimarães, que se destacou na Festa Literária de Paraty de 2017 ao denunciar o racismo que sofreu desde a infância.

Também há novas informações sobre, por exemplo, a cineasta camaronesa Pascalo, a pensadora mexicana Juana Inés de la Cruz, a militante brasileira Maria Dalva Correia da Silva, a liderança indígena nahua Maria de Jesus Patricio Martínez, a abolicionista estadunidense Sojourner Truth, dentre outras. Elas figuram ao lado de lutadoras como Dandara dos Palmares, Nísia Floresta, Luísa Mahin, Simone de Beauvoir, Celia Sánchez, Rosa Luxemburgo, Angela Davis e tantas outras referências internacionais.

Trabalhadores de todo o mundo em luta
A novidade deste ano ficou por conta da agenda “Lutas por direitos no Brasil e no mundo”. Em tempo de tanto retrocesso e ataques aos direitos dos trabalhadores, a equipe do núcleo entendeu ser urgente lembrar a mobilização da classe operária de todo o mundo por pautas como a redução da jornada de trabalho, direito a férias, décimo terceiro salário e tantas outras conquistas históricas que, hoje, estão ameaçadas.

O material conta com textos assinados pelo cientista político Josué Medeiros; pelo professor Reginaldo Moraes (Universidade Estadual de Campinas - Unicamp); pelo coordenador do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), João Pedro Stédile; pela jornalista Claudia Santiago; pelo professor Rodrigo Castelo (Unirio); pela escritora Jarid Arraes; e outros colaboradores. Alguns dos temas abordados são a importância dos sindicatos e da comunicação dos trabalhadores; as origens do Primeiro de Maio; a lição das internacionais; a trajetória da luta pela Reforma Agrária e pelos direitos indígenas; o legado da Revolução de Outubro de 1917; dentre outros.

Como adquirir
As agendas custam R$ 30,00 (cada) e estão à venda no Centro do Rio, no Espaço Gramsci. O endereço é: Rua Alcindo Guanabara, 17, térreo, Cinelândia. Também é possível fazer encomendas pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou comprar pelo site http://livrariagramsci.com.br/

 

De Assessoria de Imprensa

O Programa de Trainees 2018 do Grupo Fleury está com as inscrições abertas até o dia 29 de setembro próximo. O grupo busca profissionais inovadores e versáteis, capazes de realizar as mais diferentes atividades nas áreas corporativas.

O programa tem como objetivo desenvolver profissionais recém-formados e com alto potencial para assumir posições de liderança. Com duração de aproximadamente dois anos, os trainees passam no primeiro ano por um período de imersão nas diversas áreas do Grupo e participam do planejamento e da execução de projetos ligados à estratégia da companhia. No segundo ano, as áreas finais de atuação são definidas e os trainees lideram um projeto de impacto expressivo para o negócio.

Podem participar da seleção candidatos de todo o país com perfil multifuncional e que tenham graduação em Engenharia, Administração, Economia, Comunicação e Marketing. São pré-requisitos ter concluído a graduação entre dezembro de 2015 e dezembro de 2017, inglês fluente e disponibilidade para mudança no território nacional.

Além do salário, os trainees também recebem vale-transporte, vale-refeição, vale-alimentação, seguro de vida, plano de participação nos resultados, assistência médica e assistência odontológica.

O processo seletivo será dividido em cinco etapas, sendo elas: inscrição, testes online, dinâmica em grupo, painel de negócios e as entrevistas finais. Inscrições e mais detalhes sobre o processo em www.carreiranogrupofleury.com.br/.

 

De assessoria de imprensa

A AkzoNobel, companhia global que atua nos mercados de tintas, revestimentos e de especialidades químicas, está com as inscrições abertas até 10 de outubro para o seu Programa de Estágio 2018. No total, são 40 vagas para estudantes do ensino superior e de curso técnico. O passo a passo para a candidatura no processo está no site http://www.ciadetalentos.com.br/estagioakzonobel/.

No Estado de São Paulo, há vagas na capital paulista, Itupeva, São Roque, Jundiaí, Mauá, Santo André e São Bernardo do Campo (SP), além de oportunidades em Recife (PE) e Imperatriz (MA). 

O início do programa de estágio está previsto para fevereiro de 2018 e requer disponibilidade dos candidatos de seis horas diárias durante o horário comercial com duração de um ano (nível técnico) ou dois anos (nível superior).

O Programa de Estágio AkzoNobel oferece salário para nível superior de R$ 1.600,00 (no primeiro ano do estágio) a R$ 1.720,00 (último ano). Para nível técnico, o valor é de R$ 1.070,00. Há também benefícios como auxílio médico e odontológico, restaurante no local, vale transporte e seguro de vida.

Ensino superior
Para se inscrever, o estudante de ensino superior deve ter conclusão do curso prevista entre junho de 2019 e dezembro de 2020. Conhecimento do idioma inglês será considerado um diferencial. A empresa busca candidatos cursando: Administração, Administração com ênfase em Comércio Exterior, Análise de Sistemas, Ciências Contábeis, Comunicação Social (Jornalismo, Publicidade ou Relações Públicas), Economia, Engenharias (Ambiental, Elétrica, de Produção, de Manutenção, Mecânica, Química ou outras), Marketing, Matemática, Psicologia, Química, Química Industrial, Relações Internacionais, Sistemas de Informação, Tecnologia em Gestão Ambiental, Tecnologia em Segurança do Trabalho ou demais cursos relacionados às áreas mencionadas. De acordo com a vaga, o processo seletivo pode incluir testes on-line, dinâmica de grupo, entrevistas online e presencial.  

Nível técnico
Para nível técnico, os candidatos devem ter disponibilidade para estagiar por um ano. A companhia procura estudantes ou recém-formados nas áreas de Automação, Elétrica, Eletrônica, Eletrotécnica, Instrumentação, Logística, Manutenção, Mecânica, Mecatrônica, Meio Ambiente, Segurança do Trabalho e Química. O processo seletivo inclui dinâmica de grupo e entrevista com o gestor da respectiva área. Candidatos precisam encaminhar um e-mail para tecnico.akzonobel@ciadetalentos.com.br, com o assunto "Vaga Estágio Técnico - Localidade do estágio", anexando o currículo e informando o nome, telefone, vaga de interesse, curso e cidade.

 

agenda