GRCS

23/06/2015

A importância da indústria brasileira para a dinamização da economia

Na sua 44ª reunião, no dia 22 de junho último, o comitê gestor do Conselho Tecnológico do SEESP trouxe o gerente do Departamento de Competitividade e Tecnologia da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Renato Corona, para falar sobre desindustrialização. Em sua explanação, Corona disse que esse debate foi iniciado, pela federação, em 2002.  “Já mostrávamos àquela época que o País entrava num processo de perda de indústria, e fomos criticados por isso”, lembra.


Foto: Beatriz Arruda
Conselho Tecnologico Canteiro editada 
Dirigente da Fiesp apresentou dados sobre a desindustralização precoce do Brasil
 

Ele apresentou dados que mostram a queda livre da manufatura nacional, mostrando que, de 2003 a 2014, o volume das vendas no comércio aumentou 110,5%, todavia a produção física da indústria de transformação cresceu somente 15,7% . “Ou seja, o incremento do consumo interno foi abastecido majoritariamente por importações.” O cenário foi acompanhado, ainda, pelo encolhimento da participação dos produtos brasileiros nas exportações, passou de 86% da pauta em 2000 para 64% em 2014.

Em 30 anos, prosseguiu o dirigente empresarial, a ocupação industrial perdeu mais de 10 pontos percentuais de participação no total de empregos da economia, passando de 27,7% em 1986 para 16,6% em 2014.

Outra situação que prejudica o setor, argumenta Corona, é o câmbio apreciado e o Custo Brasil, o que fez com que a participação da indústria no Produto Interno Brasileiro (PIB) caísse para 10,9% em 2014, e poderá chegar em 10,6% em 2015, o menor patamar nos últimos 68 anos. “E, se nada for feito, esse índice pode ser reduzido ainda mais, e chegar a apenas 5,2% do PIB em 2029.”

Corona apresentou alguns números para ressaltar a importância do setor ao desenvolvimento do País. Segundo ele, para cada R$ 100,00 produzidos pela indústria de transformação são gerados mais R$ 109,00 indiretamente na economia. Ela é ainda responsável pela maior massa salarial dentre os setores privados – equivalente a R$ 215 bilhões em 2013 – e investe 70% dos seus gastos em Pesquisa & Desenvolvimento (P&D) e 77% em atividades inovativas.

Seminário da CNTU
No dia 29 próximo, das 15h às 17h30, a Confederação Nacional dos Trabalhadores Liberais Universitários Regulamentados (CNTU) realiza o seminário "O desafio de reindustrializar o Brasil", na sede do SEESP, na Capital paulista (Rua Genebra, 25, Bela Vista). Confira a programação aqui.


* Apresentação do diretor da Fiesp, Renato Corona

 

 


Rosângela Ribeiro Gil
Imprensa SEESP

 

 

 

 

 

 

 

 

Lido 3009 vezes

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

agenda